Conheça mais sobre os nossos modelos de franquia

Empreendedorismo na área da saúde: quais são os principais desafios?



Você já ouviu falar de empreendedorismo na saúde? Essa tem sido uma ótima saída para melhorar a realidade em que vivemos e dar maiores passos em direção ao alcance da garantia dos direitos de todas as pessoas. Afinal, como ressalta a Declaração Universal dos Direitos Humanos, “o alto padrão de saúde é um direito fundamental de todo ser humano”.

Mesmo que a cultura empreendedora venha sendo bastante difundida nos últimos anos, ela ainda não é muito comum nessa área. Muitos são os motivos para que essa realidade se mantenha assim, e você poderá saber mais sobre eles ao longo deste post.

O mais importante é ter em mente que uma das maiores contribuições dessa prática, seja na saúde ou fora dela, é a possibilidade de realizar mudanças e causar grandes impactos positivos sem que seja preciso esperar alguma ação externa de uma instituição ou do governo.

Confira abaixo mais detalhes dessa história e o que você precisa para começar a empreender agora mesmo.  

Empreender na área da saúde vale a pena?

Certamente a resposta dessa pergunta é sim. O empreendedorismo tem se tornado cada vez mais uma grande chave de mudanças em todo o planeta e isso é verdadeiro independentemente da área de atuação que você escolher.

Porém, é preciso, antes de iniciar um negócio no ramo, que se tenha em mente as dificuldades inerentes a ele. Ao longo deste artigo, você poderá entender melhor quais são os principais gargalos de realizar algum negócio na saúde e também como traçar o melhor caminho em busca do sucesso.

Em resumo, além das vantagens e desvantagens, você deve refletir se isso é um negócio para você, ou seja, se está de acordo com o seu perfil.

Qual é o perfil do empreendedor de saúde?

O perfil do empreendedor na área da saúde é bem próximo daquele de outras áreas, mas com algumas particularidades. Em sua maioria, ele se destaca pela forte visão humana do negócio, por ter de lidar com isso diariamente em seu trabalho, e também é considerado abaixo da média no quesito de gestão e administração, apesar de investir muito em conhecimento técnico.

Na universidade, esse é um assunto pouco explorado. Isso contribui para uma baixa adesão desses especialistas ao mundo dos negócios, já que em sua formação há uma certa carência de conhecimento em processos gerenciais.

De forma geral, algumas características também são atribuídas a esse perfil, assim como em outros mercados. O empreendedor na área da saúde:

  • guia-se por uma visão e a partir dela escolhe uma direção preestabelecida para alcançar a mudança desejada;

  • lida bem com as incertezas e é capaz de lutar para realizar o que acredita com bastante energia;

  • adapta-se mais facilmente às diferentes situações;

  • guia-se pela criatividade e capacidade imaginativa para a realização de produtos e processos inovadores;

  • é autoconfiante e seguro de seus próprios valores, por isso não desiste perante situações negativas;

  • tem um perfil mais independente e procura autonomia diante das normas;

  • tem consciência da importância de trabalhar em equipe e trabalha para ser um bom líder e inspirar pessoas;

  • calcula os riscos possíveis e busca maneiras de minimizá-los;

  • dedica muito esforço pessoal para encontrar o que for preciso, dentro da ética, para a realização do que acredita;

  • busca constantemente feedback de suas ações, para que assim possa crescer e melhorar de forma contínua;

  • tem grandes habilidades interpessoais e de comunicação e geralmente busca manter relações duradouras;

  • sabe explorar as oportunidades ao máximo.

É importante ressaltar que ainda que você não tenha todas essas qualidades e habilidades bem delimitadas, isso não necessariamente compromete a sua capacidade de ingressar nesse mundo. É muito raro que alguém apresente todas essas características de início; na maior parte das vezes, elas são entendidas e buscadas ao longo do processo.

Para que o caminho seja menos complicado, primeiramente é aconselhável descobrir se você tem um perfil empreendedor. Feito isso, identifique o que precisa ser melhor desenvolvido, o que necessita de um maior investimento de sua parte e o que é mais valioso em sua forma de fazer acontecer.

7 desafios do empreendedorismo na área da saúde

1. A saúde deve ser um bem de todos — mas não é assim na prática

Ainda que a saúde seja um direito essencial garantido por lei, na prática sabemos que infelizmente o acesso a ela não é universal. Você pode enxergar esse fato como um empecilho ou visualizar nisso uma grande oportunidade de fazer algo para que esse patamar seja alcançado. A maneira como você encara essa situação vai dizer muito sobre a sua postura nos negócios.

Muitas vezes criticamos as precárias condições de trabalho, principalmente quando atuamos em países como o Brasil; no entanto, como conhecedores e profissionais, às vezes fazemos pouco ou apenas o esperado para o dia a dia.

Na cultura empreendedora, entende-se que essa é uma forma de ver o mundo pouco criativa e que não leva nada nem ninguém a lugares muito distantes.

Por isso, se você deseja prosperar nessa função, comece por não gastar tempo colocando a culpa em terceiros. Isso vai fazer a diferença em sua vida pessoal e com certeza na de muita gente.

2. O empreendedorismo na saúde é visto como um bem social

Por ser esse um valor humano básico, qualquer projeto em prol da melhoria das condições na área da saúde acaba sendo também social. Isso não seria um problema se muitas pessoas não associassem essa particularidade à impossibilidade de obter lucro.

Ao contrário do que pensa o senso comum, o empreendedorismo social existe e pode ser bastante sustentável. O seu principal valor está no fomento de uma cultura focada no humano e nas transformações sociais, porém com um modelo de negócio sustentável — sem que seja preciso causar a mudança a duras penas e em poucas condições de reinvestimento.

Pelo contrário, se você conseguir criar uma estrutura que seja sustentável financeiramente e que sua taxa de sucesso esteja ligada a alguma causa social, esse parece ser o melhor dos mundos, não é mesmo?

3. A lógica da confiança é invertida

Essa é uma particularidade da área, o que acaba aumentando a responsabilidade de atuar no ramo. Naturalmente, as pessoas acreditam que os profissionais de saúde sejam confiáveis e, por isso, podem embarcar nas propostas realizadas por eles mais facilmente — ao contrário do que acontece em outros mercados, em que a confiança é adquirida pouco a pouco e com muito trabalho.

Na medida em que isso é positivo, é também um peso, pois torna a missão de fazer jus a essa confiança uma grande responsabilidade.

4. Grandes erros afetam pessoas, não produtos

Essa é uma situação delicada e o próprio título revela o porquê. Como citado, sabemos que empreender é estar consciente dos riscos a serem enfrentados e ao mesmo tempo trabalhar para minimizá-los. Porém, o peso de uma inexatidão nessa área é muito grande, por se tratar de pessoas.

Em um mercado comum de varejo, o grande risco do empresário é perder dinheiro em uma ideia furada e que ninguém queira comprar. Já na área da saúde, uma falta pode afetar de maneira negativa e definitiva a vida de muitos indivíduos.

Talvez esse seja o fator mais pesado a assumir, mas, ao mesmo tempo, é uma particularidade do profissional da saúde saber lidar com a fragilidade da vida e com a iminência da morte. Não que isso signifique que a responsabilidade não seja grande, mas para quem tem o perfil, essa situação pode ser encarada de forma mais tranquila.

5. As necessidades do mercado prevalecem

É importante ter em mente que para que uma ideia dê certo ela necessariamente tem que ter um valor de mercado. E o que isso significa? Basicamente, saber que ela deve solucionar um problema já existente ou a dor de alguém. Não adianta criar uma solução inovadora se ninguém vai querer comprar — isso é um desperdício enorme de recursos, não somente de dinheiro, mas de tempo, energia e expectativas.

6. Grande barreira regulatória

Pelos riscos de se ter um empreendimento na saúde, devido às possibilidades de impacto negativo, essa é uma área extremamente fiscalizada. Se você é um empreendedor ou conhece algum, certamente já o ouviu reclamar de como o excesso de burocracia atrasa o desenvolvimento de seus negócios e consequentemente da sociedade.

Se essa é uma dura realidade em situações gerais, na área da saúde ela é ainda mais crítica devido às chances de danos às pessoas, além da possibilidade de ferimento do código de ética.

7. Pouco capital disponível para investimentos

Devido a todas as dificuldades já apresentadas neste tópico, o grau de investimento no setor é muito baixo. Isso é mais um empecilho para a realização de projetos, já que as marcas dificilmente vão querer se associar a realizações que possam afetar negativamente a vida de pessoas e, por consequência, a solidez de seu negócio.


Quero ser franqueado


Por isso, muitas vezes, o empreendedor na área da saúde se vê diante de um impasse: precisa de investimento para fazer seu projeto girar, mas muitas vezes só consegue depois de já possuir um modelo de negócio validado — muitas vezes financiado por ele mesmo.

A melhor saída para essa questão é buscar o auxílio de incentivos governamentais e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento), que normalmente estão em busca de ações nesse sentido.

4 passos fundamentais para um empreendimento de sucesso

Agora que você já entendeu qual é o melhor perfil para o empreendedorismo na saúde e também está consciente dos principais desafios, separamos 4 passos para que você tenha sucesso na carreira, seja você dentista, médico, fisioterapeuta ou enfermeiro. Confira!

1. Ter uma gestão eficiente

Como vimos, é comum que o profissional da área não se destaque na gestão de negócios. A razão para isso é a falta de incentivo das universidades e também a ideia de que uma iniciativa social não precisa se aprofundar nos quesitos gerenciais, já que não visa lucro em primeiro lugar.

Porém, ao contrário do que a maioria pode pensar, nesse tipo de negócio, assim como em qualquer outro, o sucesso só é certo se houver um planejamento. Por isso, o primeiro passo a ser feito é a realização de um plano de negócios.

Na prática, essa ferramenta vai servir como um mapa em direção ao seu principal objetivo, para que assim as incertezas e percalços do caminho possam ser reduzidos.

2. Manter um padrão de qualidade

O que você faz para se destacar de seus concorrentes? Certamente manter um bom relacionamento com o paciente é uma boa maneira de começar. Mas é o suficiente? Pensamos que não.

Para realmente conquistar a confiança do paciente, todos os passos desde o momento em que ele decidiu procurar um profissional até o momento posterior à consulta devem ser especiais e bem pensados.

Invista em cada detalhe e mantenha um padrão de qualidade para que seus pacientes sejam surpreendidos positivamente!

3. Estar sempre alinhado ao código de ética

Atualmente, com a chegada das novas mídias sociais, existe muita discussão a respeito da melhor conduta ética a se tomar. E, certamente, uma boa atenção a esse tópico é indispensável.

Uma das formas de se guiar eticamente é acompanhando o que o Conselho Federal da sua profissão solta de notas, dicas e orientações sobre como conduzir os tratamentos em diferentes situações. Fique ligado!

Usar o WhatsApp para agendamento de consultas e para estreitar sua relação com o paciente é aconselhável. Por outro lado, realizar qualquer tipo de atendimento por meio dessa ferramenta é uma ação que o código de ética não corrobora. Fique atento a essas diretrizes para que você possa agir da melhor maneira.

4. Ter bons equipamentos

Por fim, não adianta realizar ótimos atendimentos se no momento de entregar o prometido seus instrumentos de trabalho não conseguem desempenhar o papel principal. Por isso, invista sempre em equipamentos modernos que contribuam para uma melhor experiência do paciente.

5 formas de se manter um empreendedor atualizado

Se você sofre com a rapidez das transformações e os novos lançamentos da área, que lhe impedem de se manter sempre atualizado, não se preocupe! Você não está sozinho nessa. Em um mundo cada vez mais mutável, sentir isso é normal.

Pensando nisso, separamos 5 maneiras de você se manter sempre atento ao que é novo:

1. Investir em especializações

Se informar e investir em novas formações dentro do seu ramo de atuação é sempre vantajoso e pode trazer muitos benefícios. Por isso, de tempos em tempos, busque realizar um curso de especialização em uma instituição confiável.

Ao se especializar em uma área, você terá mais chances de agregar valor ao seu negócio, simplesmente por ter um objetivo muito claro que seus potenciais clientes possam facilmente identificar.

2. Fazer networking

Você já ouviu falar em networking? Essa pode parecer uma palavra complicada, mas, na prática, é algo que você já faz sem perceber, simplesmente por ser um empreendedor. Isso significa estar sempre em contato com outros realizadores, da mesma área ou não, trocando informações e experiências.

Fazer um bom networking, estreitar relações e conseguir contatos é o diferencial de um grande empreendedor! Por isso, nunca se isole e busque trocar figurinhas com outras pessoas de tempos em tempos.

3. Realizar projetos de pesquisa

Se você é profissional da saúde e tem alguma relação com as universidades de sua cidade, pode propor projetos de pesquisa com os jovens estudantes da área. Assim, poderá entender melhor a realidade da sociedade em que vive para que o investimento na saúde seja mais assertivo.

Em um país como o Brasil, projetos de saneamento básico, por exemplo, são essenciais na busca por uma melhora generalizada no setor.

4. Garantir presença em feiras e eventos

Essa é uma prática que costuma trazer muitos frutos. Primeiramente porque o público de feiras temáticas é realmente quem tem interesse no setor. Além disso, participar de eventos com temas relevantes é uma excelente forma de se integrar às discussões mais atuais e também de realizar o networking com profissionais que estão empreendendo em diferentes frentes.

5. Estar sempre atento aos jovens

Você tem algum tio ou tia que nunca teve filhos? Compare-os com aqueles que tiveram e vai ficar bem clara a diferença no acompanhamento das tendências. Certamente, quem está em contato com jovens, seja por ter filhos nessa faixa etária ou por trabalhar com esse público, consegue se atualizar melhor a respeito do que é novo.

5 tendências para você que decidiu empreender na área

Qual é o futuro do mercado? Para finalizar, vamos citar algumas tendências dentro da área da saúde que estão em alta, para que você possa, quem sabe, agregá-las à sua prática e vontade de empreender. Confira:

1. Investir na criação de produtos de tecnologia

Uma boa atitude para se aventurar no empreendedorismo na saúde é investir na criação de novas tecnologias que possam solucionar problemas do cotidiano das pessoas. Como falamos, as atualizações estão sendo feitas em um espaço de tempo cada vez menor, isso porque existe todo um segmento empenhado em criar produtos que possam revolucionar a maneira como atuamos no ramo.

2. Adotar uma estratégia de satisfação dos pacientes

A cultura do pós-venda é muito comum lá fora, principalmente nos Estados Unidos. No Brasil, ela ainda é muito incipiente e requer maior atenção por parte dos profissionais — que muitas vezes entendem que findado o atendimento, não existe mais a necessidade de conquistar aquele paciente.

Pelo contrário, investir na satisfação é atualmente uma grande tendência em direção à aquisição de um diferencial competitivo. Isso porque, além de colher feedbacks para uma melhora contínua do atendimento e da entrega dos produtos, também é uma boa forma de realizar programas de fidelização.

3. Focar em saúde e nutrição

A tendência fitness é realmente algo que estourou nos últimos tempos e promete se manter ainda por bons longos anos. Podemos observar que a preocupação com o desempenho do corpo e com as melhores dicas de saúde e nutrição está cada vez mais comum entre as pessoas, sejam jovens ou não.

Por isso, qualquer investimento que leve em consideração esse aspecto da nossa cultura contemporânea pode se destacar.

Uma dica: você não precisa necessariamente ser nutricionista para investir nessa área. Se você vai abrir um consultório de odontologia, por exemplo, é possível pensar em ações que tenham o foco na saúde bucal e no bem-estar.

4. Realizar um serviço integrado com a sustentabilidade

Outra pauta muito relevante é a que envolve questões de sustentabilidade e também considerações com o meio-ambiente e com o futuro do nosso planeta. Realizar ações nesse sentido é sempre uma forma de estar alinhado com as grandes tendências e discussões sociais.

É importante ressaltar que mesmo que você não atue em um projeto especificamente direcionado para essa questão, é possível realizar ações simples que tenham esse apelo.

Um bom exemplo disso é investir em uma estrutura empresarial que seja toda planejada para funcionar com energia limpa. Além disso, é possível também organizar com sua equipe formas de acompanhamento dos gastos de água e energia, para que eles nunca passem dos limites.

5. Investir em marketing de conteúdo

Esse é um tópico essencial quando falamos de tendências. Se o marketing digital vem revolucionando a forma como nos relacionamos uns com os outros e também como realizamos compras, o marketing de conteúdo é essencial nessa nova configuração.

Basicamente, ele propõe que, seja qual for o valor que será entregue por você — um produto ou um serviço —, é imprescindível o investimento em conteúdos relevantes para seu público a respeito daquele nicho.

Dessa forma, se você é um dentista profissional, você deve postar constantemente artigos e dicas nas redes sociais. É interessante, também, responder a dúvidas que possam trazer um tipo de informação relevante para seus pacientes.

Essas foram as principais informações que separamos para que você entenda mais sobre o empreendedorismo na saúde. Com certeza, agora que leu este artigo, você está mais apto a abrir seu sonhado negócio no ramo! Esperamos que você consiga ter sucesso e se destaque.

Se você gostou do conteúdo e achou que ele foi relevante para você, talvez possa se interessar em se aprofundar mais nas questões do tema ao ler o nosso  e-book sobre como começar uma franquia de sucesso!

Como administrar e cerscer uma ranquia odontológica

Postado em 22/11/2017.


Compartilhe

Siga-nos no facebook

Siga-nos no Linkedin

Siga-nos no Linkedin