Conheça mais sobre os nossos modelos de franquia

Guia de normas para abrir um consultório odontológico



Por causa da falta de conhecimento nos setores administrativos, contábeis e de marketing e das normas para abrir uma franquia odontológica, diversos dentistas acabam não obtendo os resultados que desejariam em suas respectivas clínicas. 

Uma franquia odontológica proporciona vários benefícios aos especialistas da área, visto que, com ela, o profissional conta com todo o suporte necessário para que sua clínica se transforme em uma instituição sustentável e com uma boa rentabilidade.

Nesse sentido, é importante ressaltar que a função de uma franquia odontológica é justamente suprir a lacuna na formação administrativa dos profissionais, levando o dentista a alcançar os excelentes resultados financeiros que deseja por meio de sua profissão. Assim, a franquia odontológica é uma ótima alternativa para empreender.

Continue a leitura e confira as normas para abrir um consultório odontológico!

Por que empreender na área da saúde?

Empreender na saúde é um conjunto de comportamentos e ideias que levam à inovação na criação ou aperfeiçoamento de serviços direcionados ao setor. O mercado de saúde, no Brasil, compreende uma ampla gama de soluções, que vão desde as mais simples, como clínicas e hospitais, até combinações entre saúde e bem-estar, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Desse modo, saber como montar um consultório odontológico é primordial para iniciar seu próprio negócio. Então, conheça as principais características de empreender na área de saúde e veja se isso se encaixa no seu perfil!

Autonomia

Quando você abre sua própria clínica odontológica, não existe ninguém para lhe falar o que você deve fazer nem para dar orientações. Você passa a ser o grande tomador das decisões, então, é primordial sentir-se confortável com essa autonomia para conseguir ser bem-sucedido na sua carreira e em seu empreendimento.

Nesse contexto, ser proativo, ir à procura de soluções e estar preparado para chamar para si a responsabilidade de sua atuação são posturas necessárias. 

Satisfação profissional 

A satisfação profissional é essencial para obter bons resultados no negócio, então, para o profissional da área que deseja empreender, a opção de abrir uma clínica odontológica é excelente.

Afinal, ao mesmo tempo em que ele investe em algo próprio, também trabalha em sua área de especialização. Consequentemente, consegue satisfazer seus anseios profissionais. Vale ressaltar que essas tarefas não são fáceis, mas, com dedicação e compromisso, o resultado pode ser satisfatório.

Ampliar o serviço odontológico à população

Ao decidir empreender na área da saúde, o investidor, por exemplo, aumenta o acesso da população a serviços odontológicos, possibilitando que várias pessoas tenham um atendimento odontológico humanizado e eficiente.

Então, o empreendedor será capaz de ajudar toda a sociedade com seus serviços na área da saúde, que vê, a cada dia, aumentar a quantidade de pessoas que precisam de um atendimento. Por isso, a demanda da área é elevada e promissora.

Adquirir uma franquia é uma opção segura?

Abrir uma clínica não é uma atividade simples, pois envolve diversos riscos e demanda alguns cuidados bem específicos. Como opção, você pode preferir abrir uma franquia na área odontológica.

Para isso, o profissional precisa entrar em contato com a franqueadora e, mediante a assinatura do contrato e o investimento inicial, pode usar o plano de negócio da marca, assim como a sua identidade visual e seu nome.

Logo, a prestação de serviços e os elementos precisam ser iguais, ou seja, padronizados, para certificar a integração em todo o sistema. Além do mais, existe também o pagamento de royalties sobre o faturamento da franquia, em taxa estabelecida pela franqueadora.

Continue a leitura e saiba por que adquirir uma franquia é uma opção segura!

Segurança

Ao investir, você sempre corre riscos, mas, quando decide abrir uma franquia odontológica premiada, é possível anular alguns deles. Afinal, existe muito mais previsibilidade quando se fala em um sistema de franchising, pois tudo já foi testado com sucesso em outros mercados.

Desse modo, o empreendedor pode realizar planejamentos mais longos sobre quais são os investimentos iniciais, as possibilidades de resultados e os possíveis comportamentos de desempenho. 

O elevado número de informações sobre a franqueadora e sobre outros estabelecimentos permite que ele saiba mais sobre a própria empresa e tenha mais segurança e acerto no momento de tomar suas próprias decisões.

Marca estabelecida

Quando você opta por uma franquia para abrir sua clínica odontológica, como dissemos, tem acesso a um modelo de negócio que já foi analisado e validado, tendo garantia de que funciona e de seu sucesso com os consumidores.

Então, o plano de negócio já está elaborado e estruturado, bastando ser colocado em ação por você. Além do mais, você economiza muito esforço e tempo, além de uma redução de erros e falhas. Assim, não vai precisar experimentar nem basear-se na velha e custosa estratégia de tentativa e erro na sua própria empresa, já que o percurso traçado pela franquia com marca reconhecida é mais seguro.

Apoio do franqueador

Parte da segurança que a franquia proporciona ao empreendedor, está diretamente associado ao know-how de mercado que a franqueadora apresenta. Com mais experiência e, especialmente, com sucesso no ramo, a franqueadora já errou, já acertou e já conheceu o que funciona dentro da área odontológica.

Isso contribui para a sua própria instituição ter mais oportunidade de sucesso, fornecendo orientações valiosas sobre como agir. Inclusive, o know-how é altamente aproveitado graças ao fato de que o franqueador também se compromete a proporcionar o devido suporte para o franqueado, com o propósito de que ele tenha o sucesso desejado.

Maior atração de pacientes

A elevação no número de atendimentos, inclusive, está diretamente associada à confiança repassada por uma franquia. Por já ser uma empresa estabelecida, os clientes já conhecem a marca e, possivelmente, já tiveram alguma experiência positiva com ela.

Por isso, os pacientes se sentem mais dispostos a frequentar um ambiente em que sabem que serão bem recebidos ou que, no mínimo, demonstra mais profissionalismo. A propaganda também ajuda, já que, com a rede de franquias, você consegue alcançar mais pessoas.

Logo, conseguir mais pacientes é mais barato e certeiro e menos demorado. Se você caprichar no atendimento, o resultado é que existirá um fluxo cada vez mais intenso de pacientes satisfeitos na sua clínica.

Redução dos custos em geral

Embora exista o pagamento de royalties e, diversas vezes, da taxa de propaganda, os custos para abrir uma franquia tendem a ser menores do que abrir o próprio negócio. Em parte, isso se deve ao fato de que a franquia consegue negociar condições melhores com os distribuidores, minorando os gastos.

Além do mais, a taxa de propaganda é dividida entre os franqueados, o que permite melhorar a divulgação sem elevar as despesas de maneira exagerada. 

Ainda, com menos riscos, você tende a cometer menos falhas. Isso significa menos investimentos realizados de forma errada, menos recursos jogados fora e menos oportunidades desperdiçadas. Como resultado, a sua empresa gasta menos e permite que você lucre mais, devido à elevação da quantidade de atendimentos aliada à diminuição de gastos.

Mais competitividade no mercado

Todos esses fatores, englobados, fazem que com você ganhe mais competitividade. Ao contar com todos esses benefícios, a sua clínica passa a se destacar no mercado, pois consegue chamar mais atenção dos pacientes, oferece mais segurança e realiza uma administração de maior sucesso com a ajuda do conhecimento obtido pela experiência franqueador.

Com isso, fica mais simples se tornar mais atrativo em relação aos concorrentes, conquistando mais clientes e fazendo com que a instituição se desenvolva de forma significativa.

Que normas e padrões avaliar ao escolher uma franquia?

Ao escolher uma franquia, um especialista deve avaliar o cumprimento do conjunto de regras estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

Essas normas são necessárias por três razões: para o bom funcionamento do local de trabalho, para prestar um serviço seguro aos clientes e para o controle de infecção, evitando danos à saúde.

Então, confira quais os aspectos que um dentista precisa avaliar para abrir uma boa franquia odontológica!

Alvará de funcionamento

É necessário regularizar o seu estabelecimento junto à Prefeitura. Sendo assim, antes de comprar ou alugar o imóvel no qual deseja instalar seu consultório, é necessário realizar uma consulta prévia com um engenheiro civil ou arquiteto para confirmar que sua organização estará regular. Dependendo da dimensão do seu consultório, sua licença pode ser retirada pela internet.

Mas, em condomínios, como o prédio apresenta uma área maior, é preciso que um profissional do ramo assine pela responsabilidade técnica do local. Para essas situações, a Prefeitura costuma exigir plantas do ambiente, certificado de conclusão e preenchimento de alguns formulários específicos.

Existem muitas situações em que o condomínio não tem as plantas do prédio, entre outros documentos solicitados, e o trâmite para regularização pode levar muito tempo. Daí a necessidade de consultar um especialista da área antes de começar o processo.

O empreendedor pode formalizar um consultório como pessoa física ou jurídica. A diferença entre os dois processos são as informações exigidas. Na primeira situação, são necessários dados pessoais; já na segunda, a carteira de classe, o CNPJ da empresa e o comprovante de pagamento do carnê do IPTU são pedidos.

Além do mais, é preciso destacar que a Licença de Funcionamento emitida pela Prefeitura deve ser renovada todo ano, e o requerimento precisa ser realizado no tempo mínimo de 60 dias antes do prazo de vencimento.

Licença sanitária

Para o cadastro na Vigilância Sanitária, solicitam-se o preenchimento de formulários específicos e o envio de certos documentos. Essa permissão é primordial para a clínica funcionar corretamente.

Esse documento é o que comprova que a empresa de saúde passou por conferência da Vigilância Sanitária Municipal e que cumpre com a legislação sanitária em vigor. A avaliação da empresa envolve diversos aspectos, como estrutura física, procedimentos, responsabilidade técnica, condições higiênicas e fluxos.

Para obter a licença, é necessário ficar atento. A Vigilância Sanitária não envia a autorização diretamente para você, nem por e-mail, nem por Correios. Ou seja, a sua licença será publicada no Diário Municipal. É fundamental confirmar se ela foi aprovada ou não.

CNAE

Uma característica essencial para a Vigilância Sanitária é a apropriada classificação do CNAE (Classificação Nacional de Atividade Econômica) que está registrado no CNPJ do seu consultório. O CNAE informa quais tarefas serão desenvolvidas em seu empreendimento.

Caso você tenha alguma dúvida para efetuar o processo, uma empresa especializada no setor sanitário pode ser contratada para o encaixamento correto do CNAE, assistência no processo, realização dos trâmites e checagem de publicação no Diário Municipal, proporcionando mais segurança e tranquilidade ao administrador no momento de regularizar um consultório e evitando, com frequência, que o processo seja indeferido.

Cadastro no CNES

O CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde) é estabelecido pelo Ministério da Saúde com a finalidade de ter um conjunto de dados com todas as empresas que prestam assistência à saúde, públicas e privadas, existentes em todo o território nacional.

A solicitação de cadastro no CNES só é possível após ter em mãos o protocolo da Vigilância Sanitária. Além do mais, o CNES é obrigatório para que o empreendedor faça seu credenciamento em convênios e para que os clientes possam, quando preciso, receber o reembolso desses convênios.

É necessário destacar que toda mudança nas informações do estabelecimento devem ser informadas. Qualquer modificação no cadastro da clínica precisa do envio de um novo arquivo do CNES Simplificado, verificando e atualizando o cadastro.

Estrutura física

Em relação à estrutura física do consultório, a Anvisa estabelece, com detalhes, as normas que precisam ser seguidas em cada área da clínica odontológica. A seguir, as principais!

Iluminação

Nas salas e consultórios que realizam os exames clínicos, é fundamental ter uma luz artificial com ótima visibilidade, sem ofuscamento ou sombras nos locais onde é realizado o atendimento aos pacientes. É recomendado fazer uso de lâmpadas LED ou fluorescentes e luminárias com refletores. 

Pisos e paredes

Os pisos e as paredes precisam ser de material liso, impermeável, lavável e de cor clara. Os rodapés não podem apresentar ressalto junto à parede e está proibida a instalação de ralos nos locais de atendimento ao paciente.

Instalação elétrica


Quero ser franqueado


As instalações elétricas precisam cumprir com as normas da Anvisa para clínicas odontológicas. No projeto que será protocolado para alcançar o alvará de funcionamento do consultório, é necessário apresentar as seguintes descrições:

  • localização e características da rede de funcionamento de energia elétrica;

  • sistema de energia: entrada, transformação, medição e distribuição;

  • sistema de proteção contra raio;

  • localização e características da rede pública de telefonia;

  • sistema telefônico;

  • sistema de computadores;

  • sistema de radiologia;

  • sistema de geração de energia de emergência (geradores);

  • sistema de alarme contra incêndios.

Instalações hidráulicas

A clínica odontológica precisa ter um projeto de instalações hidráulicas (esgoto e água) compatível. Esse documento precisa conter:

  • localização da rede pública de fornecimento de água ou a indicação de poço artesiano;

  • descrição do sistema de abastecimento de água;

  • previsão do consumo de água

  • sistema de proteção e combate a incêndio;

  • localização da rede pública de esgoto ou a indicação de sistema de tratamento (fossa séptica);

  • localização de galeria para drenagem de águas pluviais;

  • sistema de tratamento de Resíduos de Serviço de Saúde (RSS);

  • centrais de gases medicinais, vapor e vácuo, se existir, incluindo redes e pontos escuros.

Materiais de limpeza

Os materiais de limpeza precisam ser mantidos em depósitos específicos (DML), com tanque de lavagem própria.

Acessibilidade

Consultórios e clínicas odontológicas precisam possibilitar acesso de pessoas com deficiência, sejam clientes, funcionários ou público em geral, de maneira que consigam entrar no imóvel sem a ajuda de outras pessoas.

Nas calçadas, as guias precisam ser rebaixadas, para permitir a locomoção de cadeiras de rodas. No interior do consultório, é fundamental ter corredores com corrimão em pelo menos um lado.

Imóveis com até dois andares podem funcionar só com escadas e plataforma mecânica, sendo liberados da instalação de elevadores e rampas. Em construções com mais de dois andares, é obrigatória a presença de uma rampa ou elevador.

O quesito de conforto térmico e qualidade do ar-condicionado leva em consideração a população que frequenta o local, as tarefas desenvolvidas e as características dos equipamentos.

Condições higiênicas

Busque por manuais de boas práticas e procedimentos padrão para aprofundar seus conhecimentos com relação à higiene de um ambiente destinado aos cuidados com a saúde. Abordaremos, aqui, algumas dicas para realizar uma boa higienização.

Sendo assim, a limpeza dos pisos e paredes precisa ser realizada da região menos contaminada para a mais contaminada. Não é indicado fazer uma varredura a seco, a fim de que não ocorra a suspensão de partículas de sujeira, isto é, para que a poeira não seja levantada, espalhando microrganismos.

Então, é preciso passar panos com soluções desinfetantes, indicadas pelo Ministério da Saúde, de cima para baixo e do menos contaminado para o mais, sempre em sentido único.

Os balcões e instrumentos podem ser desinfetados com álcool a 70% ou com hipoclorito de sódio a 1%. Não se esqueça de que os colaboradores que realizam a limpeza precisam higienizar os baldes e materiais usados para essa finalidade e também precisam utilizar equipamentos de proteção individual, com o intuito de se protegerem de qualquer microrganismo que possa estar presente.

A limpeza e a organização precisam ser mantidas em perfeitas condições para ajudar o trabalho e a higienização e manter a segurança sanitária do ambiente. Afinal de contas, espaços bagunçados são muito propícios ao acúmulo de bactérias e desenvolvimento de infecções.

Ainda, é necessário mencionar a esterilização dos materiais, que precisa ser realizada em um local adequado. Os instrumentos limpos devem ser separados dos sujos, assim como os que já foram esterilizados. A utilização da autoclave e da estufa deve ser vigiada, e a manutenção preventiva dos instrumentos é fundamental.

É indicada a utilização de embalagens adequadas para cada procedimento de desinfecção ou esterilização, com a identificação do material, data, indicadores químicos e prazo de validade. É indispensável que o profissional que realize a higienização dos materiais faça uso do jaleco, máscara, luvas e óculos de proteção, com a finalidade de evitar qualquer tipo de contaminação.

Licença do Corpo de Bombeiros

Antes de abrir uma clínica odontológica, o empreendedor precisa ficar atento ao projeto arquitetônico do local, o que interfere na liberação da licença do Corpo de Bombeiros para o funcionamento de sua franquia.

Quais são as questões sanitárias mais importantes?

O empreendedor precisa lembrar que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária apresenta muitas normas para regularizar o funcionamento de serviços de saúde. É ela que estabelece a maioria das regras, seja em âmbito estadual ou municipal.

As Boas Práticas de Funcionamento para os Serviços de Saúde são estabelecidas pela Resolução da Diretoria Colegiada-RDC nº 63, de 25 de novembro de 2011, e precisam ser obedecidas por todos os estabelecimentos de saúde do país, independentemente de serem particulares, públicos ou filantrópicos.

Existe, também, a RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002, que “dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde”. 

Sendo assim, é preciso que o investidor leia e se preocupe em ter um estabelecimento conforme as regras da Anvisa, pois ela regulamenta desde a estrutura até a climatização do ambiente.

Em geral, os documentos necessários para conseguir o Alvará Sanitário são:

  1. Formulário de Petição (modelo DIVS);

  2. cópia do Contrato Social e suas respectivas alterações;

  3. cópia atualizada do CNPJ (empresa jurídica) ou CPF (pessoa física);

  4. comprovante de recolhimento da taxa;

  5. cópia da Carteira Profissional retirada pelo Conselho de Classe do Responsável Técnico;

  6. declaração do horário de funcionamento;

  7. planta da localização;

  8. relação dos procedimentos técnicos que são realizados;

  9. relação dos equipamentos e produtos usados nas atividades e respectivos números registrados no MS;

  10. contrato de constituição de empresa, com visto no Conselho Regional de classe, para alteração, autorização e rescisão do Alvará Sanitário.

Portanto, é fundamental avaliar as normas para abrir um consultório odontológico, pois uma organização não pode funcionar na irregularidade, visto que essa atitude pode prejudicar todos os profissionais e clientes envolvidos. Logo, é preciso ficar atento às exigências solicitadas pela Anvisa e pelo Ministério da Saúde. Então, ao decidir abrir uma clínica odontológica, seja individual ou franqueada — que, como vimos, é uma ótima opção —, busque avaliar todos os critérios mencionados no post.

Gostou de conhecer as normas para abrir um consultório odontológico? Quer continuar aprendendo sobre o assunto? Assine a nossa newsletter e receba novos artigos diretamente no seu e-mail!

Postado em 20/11/2019.


Compartilhe

Siga-nos no facebook

Siga-nos no Linkedin

Siga-nos no Linkedin