Conheça mais sobre os nossos modelos de franquia

Entenda como funciona uma franquia odontológica



Se você é um dentista com perfil empreendedor e pensa em ter sua própria clínica, pode cogitar a ideia de abrir uma franquia odontológica. Isso porque você terá todo o suporte da franqueadora, tanto no momento de começar seu negócio quanto durante a vigência do contrato.

Esse fator é um grande diferencial para pessoas que não têm muito conhecimento e nem experiência em gestão, pois elas contarão com o apoio de profissionais experientes para administrar seu negócio. Sendo assim, os riscos de a sua empresa não proporcionar os lucros esperados ou, até mesmo, de fechar as portas são bem menores do que ao abrir um consultório do zero.

Além disso, a franqueadora só autoriza a abertura de uma unidade franqueada se ela constatar a viabilidade do negócio na região na qual você pretende atuar. Isso aumenta a segurança do investimento em uma franquia.

Se você quer saber um pouco mais sobre o funcionamento de uma franquia odontológica e seus benefícios, continue a leitura deste post. No entanto, primeiro, vamos entender o que é um modelo de negócio baseado no franchising.

O que é uma franquia?

Uma franquia é um modelo de negócio no qual a franqueadora — uma marca já consolidada no mercado — cede os direitos de uso de sua imagem para outra empresa — unidade franqueada — em troca de uma parte dos lucros de seus franqueados.

Falando de forma simples: uma franquia é um modelo de negócio copiado de outra marca. Sendo assim, todos os processos são padronizados, inclusive a gestão e a forma de atendimento, e as campanhas de marketing de todas as unidades seguem o mesmo padrão.

Todas as unidades da empresa têm a mesma fachada, utilizam os mesmos recursos tecnológicos e oferecem os mesmos produtos ou serviços. Uma empresa do ramo de estética por exemplo, que é franqueada de uma marca que só oferece depilação, não pode dispor de outros serviços da área de beleza. É tudo igualzinho, o que muda é apenas o endereço das unidades.

Como funciona uma franquia odontológica?

Uma franquia na área de saúde, especificamente falando, de odontologia, funciona como qualquer outro modelo de negócio desse segmento. Sendo assim, o franqueado adquire o direito de utilizar o nome da marca, mas precisa seguir as normas estabelecidas pela franqueadora.

O local onde será aberta a clínica será decidido pela detentora dos direitos da marca, e a unidade franqueada deve seguir à risca os padrões estabelecidos pela franqueadora no que se refere a: atendimento, procedimentos oferecidos, decoração da clínica, gestão, compra de materiais etc.

Vale ressaltar que o franqueado não tem a liberdade para oferecer outros procedimentos que não são oferecidos pela franqueadora, pois, como já dissemos, ele adquiriu um modelo de negócio pronto e deve somente segui-lo.

Quem pode investir em uma franquia odontológica?

Ao contrário do que muitos pensam, não são apenas profissionais da área de odontologia que podem investir em uma franquia desse segmento. Algumas marcas aceitam pessoas formadas em outras áreas, desde que atendam às exigências da franqueadora.

Para abrir uma franquia odontológica, primeiro, é necessário ter um perfil empreendedor, pois o dono do estabelecimento precisa se dedicar para que o negócio prospere. Quando uma franqueadora cede o direito de uso de sua imagem para outro empresário, ela quer um retorno em determinado prazo, então, quem deseja entrar na rede precisa se dedicar inteiramente ao negócio para que os resultados não demorem a chegar.

Ademais, como todo e qualquer negócio, começar uma franquia pede um bom investimento. Então, é necessário que você tenha o capital financeiro para dar início à sua empreitada, pois, além da taxa de franquia, a ser paga na assinatura do contrato, ainda são necessários investimentos para a abertura da clínica, como aluguel do espaço, reforma, decoração do imóvel, taxas a serem pagas para a abertura do negócio, contratação de funcionários, além de outros mais.

Além disso, é necessário um capital de giro para garantir as despesas da clínica no início de seu funcionamento. Lembre-se de que os lucros não virão logo no início, mas você terá que pagar contas fixas, como água, luz, aluguel, funcionários, compra de materiais e outras despesas. Por isso, o capital de giro é indispensável, pois nem sempre o valor arrecadado com os procedimentos será o suficiente para cobrir todos os custos mensais.

Como escolher a melhor franquia odontológica?

Se você sonha em ser dono de uma franquia de sucesso, precisa fazer a escolha certa, pois existem diversas marcas disponíveis no mercado. E, embora todas sejam voltadas para o mesmo segmento, elas operam de formas diferentes. Então, é importante analisar com cuidado para chegar à conclusão de qual seria a melhor opção para seu caso.

O investimento em uma franquia é bastante alto e, por isso, a escolha não deve ser feita da noite para o dia. Você precisa fazer uma pesquisa minuciosa para identificar se determinada marca está de acordo com seu perfil.

Lembre-se de que o sucesso do negócio depende de um bom relacionamento entre franqueador e franqueado. E, caso você encontre algo depois da assinatura do contrato que não lhe agrade, esse fato pode comprometer seu relacionamento com a marca e, consequentemente, o bom andamento de sua empresa.

Para ajudá-lo nessa tarefa, preparamos algumas dicas básicas para você escolher a franqueadora certa. Confira!

 Analise o modelo de negócios da franquia

Como dissemos no tópico anterior, franquias odontológicas podem ter modelos de negócios diferenciados. Isso significa que cada franqueadora opera de um jeito. Algumas marcas baseiam a escolha dos franqueados em sua formação profissional, ou seja, para investir no segmento, é necessário que o empreendedor seja formado em odontologia.

Já outras franqueadoras não fazem essa exigência, mas pedem que o futuro franqueado tenha conhecimentos, mesmo que básicos, sobre gestão e administração.

 Conheça os valores da franqueadora

Empreender na área da saúde demanda investimento, como abrir qualquer negócio em outra área. Por isso, seus valores devem estar alinhados aos da franqueadora. Se você não acredita na forma com que determinada marca enxerga seus pacientes e presta o atendimento, pode ter certeza de que ela não deve ser a escolhida, pois vocês entrarão em atrito no decorrer da parceria.

Além disso, se você prefere atender ao público de classe mais baixa, mas a franqueadora, no entanto, prefere pessoas de classe mais alta, essa opção também não será uma boa alternativa. Lembre-se de que você vai trabalhar dentro dos valores estabelecidos pela franqueadora, então, eles devem estar alinhados aos seus.

Faça uma avaliação financeira

Um dos principais pontos a serem analisados antes de fechar um contrato com uma franquia é avaliar sua capacidade financeira. No início do negócio, é necessário pagar uma taxa inicial de franquia, que dá o direito de uso da marca. Mas há outros custos, como aluguel de espaço, compra de equipamentos, decoração da clínica, contratação de funcionários, despesas com legalização do negócio, entre outras demandas.

Isso pede um bom investimento inicial. Além disso, há os pagamentos de taxas e royalties para a franqueadora, que devem ser repassados mensalmente. Então, para cobrir essas despesas, é necessário ter dinheiro disponível, o que chamamos de capital de giro — já citamos esse fator em um dos tópicos anteriores.

Você precisa ficar atento também às projeções de lucro e verificar se terá dinheiro o suficiente para cobrir os custos da empresa até que ela comece a lucrar. No entanto, seja sincero em relação à sua realidade financeira, pois caso você não faça uma análise fiel da sua capacidade, corre o risco de contrair dívidas logo no início de sua empreitada. E isso não será nada benéfico para a saúde dos negócios.

Conheça os serviços oferecidos

Uma franquia odontologica tem um padrão de serviços oferecidos. Algumas podem oferecer todos os tipos de tratamento, ao passo que outras oferecem apenas algumas modalidades. A escolha da franqueadora deve ser pautada nos tipos de tratamentos ofertados.

Se você é especialista em implante e gosta de atuar nessa área, deve verificar quais franqueadoras oferecem esse procedimento. Também é preciso ficar atento aos mais procurados pelo seu público-alvo. Não adianta oferecer diversos serviços estéticos de última geração se seus futuros pacientes não têm poder aquisitivo o suficiente para arcar com os custos do tratamento.

 Converse com outros franqueados

Uma excelente forma de conhecer a qualidade dos serviços prestados e a idoneidade da franqueadora é conversando com outros franqueados. Vale ressaltar que, antes de fechar o contrato, tudo são flores. A empresa mostra o lado positivo da marca, e as vantagens de investir no segmento.

Mas a realidade é diferente. Há diversas franquias no mercado e, é claro, todas têm pontos negativos, como todo e qualquer negócio. E talvez você não consiga enxergar esses pontos enquanto conversa com os consultores a respeito da franqueadora.

Uma conversa com alguns franqueados pode possibilitar a coleta de informações preciosas sobre o suporte oferecido pela franqueadora, os materiais de treinamento, o relacionamento da marca com os franqueados etc. Nessa etapa, vale também conversar com ex-franqueados, para entender os motivos que fizeram com que eles abandonassem a parceria.

Mas colha o máximo de opiniões que você puder, pois cada pessoa tem uma visão diferente do negócio. O que pode ser um fator positivo para alguns, para outros, é um ponto negativo. Então ouça os seus futuros colegas e tire suas próprias conclusões em relação à franqueadora.

Esclareça todas as dúvidas


Quero ser franqueado


Se você é um empreendedor de primeira viagem ou não conhece nada a respeito de franchising, aproveite as reuniões para fazer o máximo de perguntas possível. Esclareça todas as suas dúvidas em relação ao contrato, aos valores e às taxas, aos tipos de serviços, ao suporte, entre outras informações relevantes.

Para não esquecer, sempre anote todas as suas dúvidas e questione ao consultor quando estiverem conversando. Essa também é uma boa forma de avaliar a franqueadora: observar como ela se preocupa em esclarecer todos os questionamentos de um candidato a franqueado.

Quais as vantagens de investir em uma franquia odontológica?

Há muitas vantagens de investir em uma franquia, mas há desvantagens também. Talvez, o ponto negativo desse modelo de negócio seja o fato de os procedimentos serem padronizados. Então, se a marca não oferece determinados tratamentos, você não vai poder oferecê-los em sua unidade, mesmo se houver demanda para tal procedimento, como já mencionado.

No entanto, ser um franqueado traz mais vantagens do que desvantagens. Veja alguns benefícios de investir em uma franquia odontológica.

Segurança

A escolha dos franqueados é baseada no perfil de cada pessoa. Então, quando uma marca aceita seu pedido para se tornar franqueado, é porque a empresa acredita no seu potencial. Além disso, antes de fechar o contrato, a franqueadora realiza um estudo de mercado para identificar a viabilidade do negócio na região na qual você deseja atuar.

Melhoras constantes no modelo de negócio

Por ser um negócio bastante seguro, há muitas redes de franquias odontológicas disponíveis no mercado. Por isso, as marcas que desejam se manter competitivas precisam inovar sempre, seja oferecendo atendimento diferenciado, seja investindo em tecnologias de ponta, para melhorar os resultados dos procedimentos.

E cada melhora feita pela franqueadora é compartilhada com todas as unidades franqueadas. Além disso, como são várias empresas trabalhando com o mesmo objetivo, é normal que os franqueados deem sugestões para a melhoria do negócio.

Isso traz vantagens para toda a rede, pois se a franqueadora acatar a sugestão, todas as unidades serão afetadas por essa decisão.

Redução de custos para abrir o negócio

A abertura de uma franquia requer muitas etapas que já são padronizadas, o que, além de reduzir custos, ainda reduz o tempo para iniciar o atendimento na clínica. Além disso, o estudo de mercado e a escolha do local para abrir a franquia são etapas que custam dinheiro, mas são feitas pela franqueadora.

Somente nessas duas etapas, há uma redução de custos e de tempo. Além disso, não há necessidade de investimento para a criação de uma identidade visual e para a comunicação da empresa. Tudo isso é providenciado pela franqueadora, pois, na taxa paga, esses serviços devem ser inclusos.

Além disso, o franqueado recebe orientação a respeito de alguns processos essenciais para a abertura de uma clínica, o que reduz custos com contadores e advogados, por exemplo.

Apoio da franqueadora

Além de escolher o local da franquia e realizar o estudo de viabilidade do negócio e todas as outras vantagens acima, o franqueado ainda recebe apoio em diversos outros aspectos. O empreendedor recebe treinamento para gerir o negócio da melhor maneira possível para que ele consiga gerar bons resultados.

O franqueado aprende a captar e a fidelizar pacientes, a como prestar um bom atendimento, a como fazer uma boa gestão de recursos humanos e financeiros etc. Os funcionários, incluindo outros dentistas que trabalham no local, também recebem treinamentos específicos.

Caso o negócio não esteja proporcionando os resultados esperados, é enviado um consultor de campo para identificar o que está acontecendo na unidade franqueada para que ela tenha resultados negativos. Então, depois de identificar possíveis gargalos, ele propões soluções para que a clínica comece a dar lucros.

Investir em uma franquia odontológica ou montar um consultório próprio?

Mesmo depois de todas as informações acima, é normal ter dúvidas em relação a abrir uma franquia ou montar um consultório odontológico. Ambas as opções oferecem benefícios e desafios. Vamos fazer um comparativo entre as duas alternativas, para que você consiga avaliar qual é a melhor opção no seu caso.

Gestão do negócio

Para quem quer começar seu próprio consultório, talvez o maior desafio seja a gestão do negócio. As faculdades de odontologia não oferecem formação voltada para a administração de uma clínica e, por isso, muitos profissionais não conseguem enxergar seu estabelecimento como uma empresa. E essa talvez seja uma das maiores dificuldades para empreendedores em início de carreira.

O dentista fica focado em atender pacientes e esquece da parte financeira. Sendo assim, nem sempre há um controle exato dos rendimentos da clínica, o que pode comprometer o crescimento do negócio. Mesmo que você contrate um administrador, é importante ter conhecimentos sobre gestão e processos, caso contrário, não terá condições de tomar boas decisões para que sua clínica gere ainda mais receita.

Retorno financeiro

No modelo de franchising, além de receber todo o apoio da franqueadora, existe ainda todo o acompanhamento dos resultados das unidades franqueadas. Isso porque a receita da franqueadora vem de seus afiliados, então, quando um deles apresenta um rendimento baixo ou opera no vermelho, a franqueadora já oferece suporte para que esse quadro mude rapidamente.

Sendo assim, o negócio tem possibilidades de retorno financeiro em um período de tempo menor. Já quem deseja abrir o próprio consultório precisa driblar todos esses problemas sozinho. Não há ninguém em quem se apoiar e, nesses momentos, pode bater um desespero.

É claro que você pode contratar uma consultoria, mas até ela ter conhecimento da operação de sua clinica e identificar os pontos negativos, levará um bom tempo. Com uma franquia, você já tem assessoria especializada de quem conhece a fundo o modelo de negócios no qual você trabalha e tem toda a expertise para oferecer as melhores soluções.

Compra de materiais e equipamentos

Comprar materiais e equipamentos para oferecer o melhor atendimento demanda um bom tempo de pesquisa. Isso é uma coisa que um proprietário de um consultório não tem, pois ele precisa atender aos seus pacientes. E mesmo que você tenha um bom gestor, ele não disporá de conhecimentos específicos para fazer a melhor escolha.

Para quem é franqueado, a compra de materiais e equipamentos é feita em larga escala pela franqueadora e, depois, distribuída a seus franqueados. Então, além de ter acesso a produtos de boa qualidade, o franqueado ainda ganha tempo e consegue adquirir materiais e equipamentos com descontos excelentes.

Isso acontece porque, como serão adquiridos produtos em grande quantidade, a franqueadora consegue preços diferenciados e melhores condições de pagamento.

Divulgação dos serviços

Para conseguir pacientes, é necessário fazer todo o trabalho de divulgação do consultório. Para quem está começando, é sempre difícil saber quais canais de comunicação devem ser utilizados. Claro que é válido contar com boas agências, mas a maior parte não tem conhecimento sobre normas de propaganda do Conselho Federal de Odontologia. Basta olhar as redes sociais de alguns consultórios para constatar esse fato.

Sendo um franqueado, todas as campanhas de marketing para atração e retenção de pacientes são planejadas e executadas pela franqueadora. Você não tem que se preocupar em contratar mão de obra especializada e nem em mensurar resultados, pois a empresa detentora da marca já se encarrega de todo esse trabalho.

Quanto custa uma franquia odontológica?

Para que você decida se vale a pena investir em uma franquia odontológica, é necessário avaliar os custos dessa empreitada. Há diversas marcas disponíveis no mercado, e cada uma delas demanda um valor de investimento. Os valores variam de acordo com o tamanho da empresa, o seu posicionamento no mercado, os anos de experiência e o tamanho da rede.

Vale ressaltar que, quando falamos em investimento, estamos nos referindo a todos os processos necessários para o funcionamento da clínica, como taxas de franquia e infraestrutura. Cada marca exige que a clínica seja montada de um jeito, o que pode aumentar os custos de instalação da empresa.

Então, o valor inicial para a abertura de uma clínica franqueada pode variar desde pouco mais de R$ 170 mil até mais de R$ 500 mil reais. Isso sem contar o capital de giro e os pagamentos de royalties, que devem ser feitos mensalmente.

Por isso que, ao longo do texto, batemos bastante na tecla sobre avaliação de capacidade financeira e planejamento, pois o investimento é alto. Embora o retorno valha a pena, desde que o dentista se esforce, é preciso pesar todos os fatores para que você consiga fazer a escolha certa.

Uma dica importante para ter mais confiança na hora de escolher uma franquia odontológica é observar a quantidade de unidades em funcionamento. Se a rede tiver um bom número de franqueados, significa que a marca é forte e consolidada no mercado, então, você tem grandes chances de ter sucesso. Mas isso depende da execução de um bom trabalho e da parceria com a empresa!

E então, gostou do post de hoje e quer saber mais sobre como funciona uma franquia no setor de saúde bucal? Confira o e-book que criamos especialmente sobre o assunto! Você vai encontrar informações valiosas sobre esse mercado que está em constante expansão em nosso país! Vamos lá!

Postado em 14/05/2018.


Compartilhe

Siga-nos no facebook

Siga-nos no Linkedin

Siga-nos no Linkedin