Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

O que você precisa saber sobre os tratamentos de implantes dentários? Confira!



A perda de um ou mais dentes pode comprometer a autoestima e até a qualidade de vida das pessoas. Felizmente, existem soluções odontológicas que podem ajudar você a conquistar um belo sorriso.

Entre essas opções, estão os tratamentos de implantes dentários. Essa técnica possui diferentes procedimentos, de acordo com a necessidade do paciente. Isso quer dizer que, certamente, existe uma alternativa que atenda ao seu caso.

Apresentaremos, a seguir, como funcionam os tratamentos de implantes dentários e para quem eles são indicados, além dos cuidados pré e pós-operatórios. Descubra também por que vale a pena investir nesse procedimento e o que considerar antes de escolher a clínica odontológica. Acompanhe!

Como funcionam os tratamentos de implantes dentários?

A implantologia, área da odontologia que cuida dos implantes, possui diferentes técnicas que podem proporcionar o sorriso dos sonhos. Neste post, vamos abordar o implante da peça de titânio, que é a mais utilizada no Brasil.

Muitas pessoas não sabem, mas o implante dentário é apenas a colocação de uma peça abaixo da gengiva para substituir a raiz do dente perdido. A recuperação se completa com a conexão de uma prótese dentária a esse implante.

Essencialmente, os implantes desempenham a mesma função de sustentação que as raízes naturais, mas há uma diferença quanto à forma e fixação dessas estruturas. Enquanto o implante é fixado diretamente aos ossos maxilares, existe uma estrutura localizada entre a raiz e o osso: os ligamentos periodontais.

Sabe quando você mastiga e sente uma pedrinha escondida no arroz ou no feijão? Isso é um sinal do funcionamento dos ligamentos. Eles funcionam como uma espécie de alarme, identificando qualquer estrutura que possa quebrar ou danificar os nossos dentes.

Tempo de integração

Outro ponto importante sobre o implante é que, apesar de se assemelhar a um parafuso, ele não funciona como um. A fixação dessa peça ao osso maxilar e mandibular ocorre graças a um processo chamado de osseointegração.

Assim que o implante entra no osso, células ósseas começam a agir formando uma espécie de cola entre o implante e o maxilar. Apesar desse estímulo inicial, a cicatrização completa só ocorre após 4 ou 6 meses, dependendo da região onde foi realizado o procedimento.

Outros fatores podem interferir no tempo de osseointegração, como o tipo de superfície do implante e a qualidade óssea do paciente.

Depois desse período, há uma nova cirurgia para unir o implante à prótese dentária. Antes, é necessário remover a gengiva que está encobrindo a peça de titânio. Mas não se preocupe: durante o período de osseointegração, são colocadas próteses dentárias provisórias no local para manter a harmonia estética do sorriso.

Risco de rejeição

Os materiais utilizados nos implantes dentais são perfeitamente compatíveis com o organismo e não liberam qualquer tipo de substância que possa provocar rejeição. Situações que apresentam alguma falha na osseointegração são resultantes de problemas técnicos ou de assepsia durante o procedimento. 

Para quem os implantes dentários são mais indicados?

O principal pré-requisito para os implantes dentários é ter ossos fortes e possuir gengivas saudáveis. Pessoas com ossos considerados suaves ou finos podem necessitar de um enxerto ósseo. Por isso, é importante procurar um profissional especializado para avaliar cada caso. 

A idade mínima necessária para a colocação dos implantes é 18 anos, pois, nessa fase, ocorre o fim do crescimento ósseo. Pacientes idosos também respondem bem aos tratamentos de implantes dentários.

Veja, a seguir, os casos que mais podem se beneficiar com o uso dos implantes.

Pacientes com pontes

Essa é uma das alternativas não definitivas que podem substituir dentes perdidos. Como o nome indica, elas criam uma ponte entre a prótese e os dentes vizinhos, feita de uma estrutura metálica e que pode ser fixa ou móvel.

O problema da ponte é que ela faz uma pressão nesses dentes próximos que pode levar a alguns problemas, como aoclusão dental. Além disso, essas estruturas, quando não são bem encaixadas à gengiva, também podem levar a sangramentos e ferimentos na gengiva.

Pacientes com prótese dentária móvel

Assim como a ponte, a prótese dentária móvel pode ser bastante desconfortável. Problemas na estabilidade da prótese podem comprometer a fala e a mastigação dos pacientes, causando dor ou desconforto durante as interações sociais. 

O uso dos implantes, nesse caso, ainda contribui para uma estética do sorriso mais natural e harmoniosa.

Quais são as contraindicações?

Existem algumas condições que precisam de atenção e que devem ser consideradas antes do tratamento de implante. Conheça algumas delas, a seguir.

Má higiene oral

O implante vai exigir os mesmos cuidados que um dente normal possui para evitar doenças e infecções. Por isso, pacientes que não possuem hábitos de higiene adequados precisam melhorar os cuidados com a saúde bucal antes de realizar o procedimento.

Doenças gengivais

Para que ocorra uma integração correta entre o implante e o osso, o paciente precisa ter gengivas saudáveis. Em caso de problemas como a periodontite, por exemplo, o tratamento para recuperar a saúde bucal deve ser realizado antes do implante, para evitar o risco de complicações.

Diabetes não tratada

Pacientes que não mantém um controle do índice glicêmico têm mais chances de sofrerem com problemas na osseointegração e cicatrização do implante.

Mesmo os diabéticos que mantém a doença sob controle precisam de autorização médica para realizar o procedimento.

Tabagismo

Assim como os diabéticos, fumantes também estão mais propensos a uma má osseointegração dos implantes. Isso é uma consequência da alteração química que o cigarro provoca nas células de todo organismo. Por isso, esses pacientes precisam de cuidados especiais, além de seguir um protocolo de abstinência do tabaco.

Bruxismo

O bruxismo é aquela condição que faz com que as pessoas fiquem rangendo ou apertando os dentes durante o sono. A pressão causa o desgaste e até o comprometimento da estrutura óssea que sustenta os dentes, por isso, o tratamento com implante é contraindicado.

Ausência de espaço

Dentes tortos e encavalados podem levar à extrusão do implante. Isso quer dizer que, por falta de espaço, os dentes vão empurrando a peça de titânio. Nesses casos, o ideal é procurar um tratamento ortodôntico antes de realizar os implantes.

Quais são os cuidados pré e pós-operatórios?

Assim como ocorre em qualquer procedimento cirúrgico, seja ele odontológico ou não, são necessários alguns cuidados antes da realização do implante dentário. O primeiro deles já mencionamos acima: uma boa higiene bucal. Os outros passos, você descobrirá a seguir!

Pré-operatório


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Na primeira visita ao dentista, será realizada uma entrevista para conhecer o seu histórico médico e a sua condição de saúde. Dessa forma, é possível prever algumas possíveis complicações do implante por causa de problemas preexistentes, como aqueles que mencionamos no item anterior.

O dentista também vai realizar um exame clínico para avaliar sua saúde bucal e verificar a necessidade de realização de outros tratamentos odontológicos antes dos implantes. Ele também solicitará radiografias e tomografias, para avaliar a qualidade do osso que vai suportar a peça de titânio.

Realizados os exames e aprovado para a cirurgia, você deve tomar alguns medicamentos anti-inflamatórios e antibióticos prescritos pelo dentista. Eles ajudarão na prevenção de infecções e outras complicações.

Pós-operatório

Sua cooperação é a chave para um pós-operatório bem sucedido, especialmente nas primeiras 48 horas após a cirurgia. Nesse período, é recomendado repouso absoluto para evitar infecções, sangramentos e edemas. Evite abaixar a cabeça, utilize um travesseiro alto e não durma virado para o lado em que foi colocado o implante.

Após a cirurgia, o dentista também vai prescrever alguns medicamentos para evitar o desconforto. Afinal, durante a colocação do implante, você não sentirá nenhuma dor, pois o procedimento é realizado com a aplicação de anestesia.

O dentista também lhe orientará sobre a higienização correta. Nas primeiras 72 horas, você deve evitar bochechos e o uso da escova no local operado. Passado esse tempo, pode usar um antisséptico para a limpeza desse ponto.

Compressas geladas, assim como alimentação líquida e fria, também são fundamentais para garantir um bom pós-operatório. Bebidas com gás ou ácidas estão proibidas nessa fase. Além disso, evite atividades físicas por 10 dias e tente abandonar hábitos como morder objetos duros ou roer unhas.

Por que vale a pena investir no tratamento de implante dentário?

Preencher o espaço deixado pelos dentes perdidos é o sonho de muitas pessoas. Ainda assim, há quem pense que o implante dentário apresenta apenas uma finalidade estética. Conheça algumas vantagens que mostram como vale a pena investir nesse tratamento.

Não danifica os dentes

Para o tratamento com as pontes, é necessário um pequeno desgaste nos dentes vizinhos. No tratamento com implantes, não é necessário mexer na dentição saudável para a reposição das peças perdidas.

Facilita a comunicação

Os dentes são importantes para pronunciarmos adequadamente as palavras. O uso de pontes e próteses removíveis, e até a posição incorreta dos dentes, pode prejudicar a fala dos pacientes. O implante ajuda a corrigir esse problema e devolve a confiança durante a comunicação.

Melhora a mastigação

Os implantes dentários permitem que você consiga articular melhor a mandíbula, com mais segurança, durante a mastigação.

Eles também são benéficos para pacientes que perderam um ou mais dentes e que costumam concentrar a mastigação em um único lado. Afinal, essa sobrecarga também pode desencadear outros problemas.

Contribui para a digestão

Costumamos nos esquecer que a mastigação é uma das etapas do processo digestivo, que sofre com as consequências da perda de dentes e dificuldade na mastigação dos alimentos, podendo provocar problemas digestivos ou gastrointestinais.

Ou seja, o implante dentário contribui para o bom funcionamento do processo digestivo.

Preserva o osso alveolar

Esse tecido ósseo, que garante a sustentação dos dentes, tende a se atrofiar com a perda dental. Ao inserir o implante, o osso alveolar se mantém intacto, evitando a reabsorção óssea e outros problemas.

Ajuda a alinhar os dentes

Sempre que existe um espaço livre, o osso se movimenta para tentar preencher esse vazio, o que pode levar ao desalinhamento dos dentes. O implante pode ajudar a alinhá-los, especialmente se o tratamento for realizado imediatamente após a perda dentária.

Rejuvenesce

A perda dos dentes pode deixar os músculos da face enfraquecidos, resultando em uma aparência envelhecida. Os implantes acabam promovendo um rejuvenescimento facial, mantendo o aspecto jovial do rosto e do sorriso.

O que considerar na hora de escolher uma boa clínica odontológica? 

O tratamento com implantes dentários é um processo relativamente simples. Porém, como qualquer cirurgia, exige alguns cuidados.

O mais importante é escolher uma clínica odontológica de qualidade para realizar o procedimento. A seguir, confira algumas dicas para ajudar você nessa pesquisa.

Pesquise sobre a clínica odontológica

Uma boa clínica é aquela que possui reconhecimento tanto no mercado, como entre os pacientes. Ela também deve oferecer toda a infraestrutura necessária para a realização dos tratamentos odontológicos, sem deixar de pensar no seu conforto. 

Procure saber se a clínica oferece outros procedimentos odontológicos. Assim, você pode encontrar a solução para demais problemas bucais em um só lugar.

Verifique como funciona o atendimento ao cliente

O modo como a clínica odontológica atende os clientes, mesmo antes da consulta, diz muito sobre a preocupação que ela tem com o paciente. Por isso, é importante consultar a página do estabelecimento e acompanhá-lo nas redes sociais. 

Veja se existem canais para esclarecer suas dúvidas e também verifique como podem ser realizados os agendamentos. Em meio a uma rotina corrida, nada melhor do que agendar a consulta online, por exemplo.

Confirme a qualificação do dentista

Outro ponto importante a ser analisado é confirmar se o dentista está apto para realizar o procedimento. Você pode realizar uma consulta no Conselho Regional de Odontologia (CRO) de seu estado para verificar se ele é registrado e reconhecido.

Vale lembrar que uma boa clínica odontológica sempre conta com os profissionais mais qualificados.

Postado em 23/01/2020.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter