Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Dentes tortos e encavalados: o que são e como corrigir?



Sabe o que os dentes tortos e encavalados, também são chamados de inclinados e entramelados? Apesar de ser bastante comum — segundo pesquisa da Associação Americana de Ortodontia, cerca de 65% das pessoas têm alguma disfunção no crescimento e desenvolvimento dental —, nem sempre o problema é conhecido pelo paciente e por isso é necessário sempre passar por uma avaliação com um dentista profissional.

Entenda, neste texto, o que são e quais as principais causas da anomalia, que pode estar associada a ações que exercem pressão na face (como apoiar a mão no rosto com frequência, e/ou ter usado excessivamente a chupeta na infância), como também à respiração inadequada devido à rinite alérgica crônica.

A seguir, descubra, ainda, as principais opções para cuidar da dentição e voltar a sorrir sem medo. Em geral, você pode ter um sorriso harmônico após o tratamento com aparelho ortodôntico móvel, como aparelho no céu da boca, ou fixo. Ou adquiri-lo depois do procedimento estético, como por exemplo, o de faceta dental, ou ainda com as famosas lentes de contato dental. Tudo mediante ao diagnóstico de um dentista especialista.

Por fim, entenda por que é importante resolver a disfunção bucal com um profissional competente — principalmente por questões ligadas à sua autoestima e à saúde da boca e do corpo. Comece já a leitura e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

O que são dentes encavalados?

Antes de saber tudo sobre os dentes tortos, é preciso entender que o fenômeno provoca desalinhamento dental em diferentes níveis. Em algumas pessoas, o apinhamento, nome mais científico para a anomalia, se dá em muitas regiões da arcada e a parte antagonista também. Chamamos de antagonista a parte superior ou inferior que irá se encaixar a outra. Sendo assim se temos um apinhamento nos dentes inferior da mandíbula, logo a parte antagonista será a maxila que também sofrerá consequências com este desalinhamento. 

O problema costuma afetar muitas crianças, mas também se manifesta em adultos, ainda que a dentição das pessoas mais velhas já tenha se desenvolvido. O tratamento para a disfunção depende das causas, da gravidade, da idade e das condições estéticas do paciente.

Qual é a diferença com relação aos dentes tortos? 

Basicamente, não há diferença entre os dentes tortos e os encavalados, os quais também são conhecidos como inclinados, torcidos e entramelados. O fenômeno se distingue pela falta de espaço para o desenvolvimento da dentição, o que leva ao nome técnico de apinhamento dentário.

No entanto, é fundamental não confundir os dentes apinhados com outras anomalias, como o diastema — o qual ocorre quando o espaço entre os dentes é bastante visível — e a mordida aberta, a sobremordida e a cruzada. 

O que causa a disfunção?

Até o momento, sabe-se o que são os dentes tortos, também conhecidos como encavalados ou, tecnicamente, apinhados. Essa anomalia estético-funcional é causada por aspectos tanto genéticos, como problemas na respiração, língua e amígdalas, quanto decorrentes de maus hábitos.

Pressão na face

Alguns hábitos podem desencadear dentes encavalados, uma vez que alteram a anatomia dessa área. Para se ter uma ideia, práticas como dormir de bruços exercendo pressão na face, roer as unhas, deixar o rosto apoiado nas mãos regularmente, usar chupeta e mamadeira ou chupar dedo por longo período na infância podem provocar a anomalia.

Respiração pela boca

O item anterior nos traz a este: outro hábito bastante comum que pode motivar os dentes tortos é a respiração pela boca. A prática modifica, principalmente nas crianças, os ossos do maxilar e o formato das arcadas, processo que ocorre devido à abertura da cavidade bucal por muito tempo à noite.

Bruxismo

O bruxismo ocorre quando o indivíduo range ou aperta, involuntariamente, os dentes durante o sono, o que desgasta e até amolece a dentição em primeiro momento. No entanto, a desordem funcional chega a comprometer, em casos graves, a região óssea, a mandíbula e a gengivafacilitando o surgimento de dentes apinhados.

Problemas na respiração, língua e amígdalas

Além dos costumes que pressionam a face ao longo da vida, há motivações para os dentes tortos ligadas à respiração difícil em decorrência da rinite alérgica, à projeção inadequada da língua e a inflamações nas amígdalas.

Complicações com periodontite

Periodontite é o nome técnico que se dá às inflamações na gengiva que extrapolam a região gengival e chegam até o osso maxilar — daí a diferença desse problema em relação à gengivite. Uma consequência direta da doença é o enfraquecimento da dentição, o qual leva à movimentação dos dentes e, futuramente, ao apinhamento.

Aspectos genéticos

Os dentes encavalados não são provocados apenas por questões externas. Os cientistas apontam, ainda, causas genéticas que motivam essa anomalia, já que o DNA imprime características geneticamente herdadas que marcam ossos, cabelo, pele, altura e o desenvolvimento da dentição.

Espaço insuficiente na arcada

O crescimento, o desenvolvimento e a posição dos dentes dependem do espaço para eles na arcada. Se o paciente apresenta uma zona insuficiente para comportar a dentição permanente, que requer local maior do que os dentes de leite, sofrerá, provavelmente, apinhamento.

Tratamento ortodôntico não finalizado

Por fim, os dentes tortos podem surgir se o paciente fizer um tratamento ortodôntico e não finalizá-lo com o aparelho de contenção, que é uma etapa na qual se usa um dispositivo móvel para que os dentes se acomodem na posição correta enquanto os tecidos de sustentação se ajustam à arcada.

Quais são as principais consequências?

Apesar de a questão estética ser o primeiro motivo que leva o paciente com dentes tortos ao dentista, as consequências dessa anomalia não param por aí. Inicialmente, a disfunção pode causar traumas no mecanismo de mordida, já que o mau posicionamento dentário atrapalha esse funcionamento e sobrecarrega a mastigação.

Por outro lado, os dentes tortos aumentam — e muito — a chance de você desenvolver outros problemas bucais, porque o desenvolvimento irregular da dentição facilita o acúmulo de restos de alimento na boca, prato cheio para o surgimento de cárie, tártaro e inflamação na gengiva, e prejudica a limpeza da área.

Quais são os mitos sobre dentes tortos e encavalados?

Você conheceu alguns efeitos que os dentes tortos causam ao corpo, mas há dois grandes mitos associados ao problema. Em primeiro lugar, os dentes do siso não são responsáveis diretamente pela má posição dental.

Quando existe espaço suficiente na arcada para que a dentição se desenvolva, os sisos se desenvolvem naturalmente. Contudo, se o paciente tiver uma região com capacidade insuficiente para comportar os novos dentes, provavelmente tal motivo desencadeará desalinhamento.

Em segundo lugar, muito se fala da ligação dos dentes encavalados com o ronco, mas a ciência não comprova essa relação de causa e consequência, uma vez que o barulho produzido ao dormir decorre da flacidez dos músculos da garganta. Então, ainda que uma pessoa que apresenta dentes tortos possa, também, roncar, não é verdade que os incômodos estejam conectados.

Quais são as principais opções de tratamento?


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Há alguns tratamentos que corrigem a má posição dos dentes, mas geralmente a ortodontia — área da odontologia que se dedica a estudar, prevenir e tratar problemas de desenvolvimento da dentição — exerce pressão e tração para conseguir movimentá-los. Opções como aparelhos ortodônticos, facetas de porcelana e lente de contato dental ajudam a resolver a situação.

Aparelhos ortodônticos

Independentemente de os dentes tortos ocorrerem em uma vasta área ou apenas em um local específico, os tratamentos ortodônticos podem ser uma indicação adequada para corrigir o problema. Os dispositivos exercem pressão e criam um ambiente saudável para os dentes voltarem à posição ideal, realinhando-os pouco a pouco e habituando-os novamente aos tecidos bucais.

A tecnologia na área da ortodontia traz novas técnicas ano após ano e atualmente há opções como alinhadores invisíveis que cuidam dos dentes sem prejudicar a estética da face.

Faceta de porcelana

Diferentemente dos aparelhos ortodônticos, que têm uma indicação mais geral para resolver o apinhamento, as facetas de porcelana são recomendadas para casos menos expressivos de dentes tortos.

Como uma espécie de capa, as próteses fininhas da faceta remodelam os dentes e corrigem anomalias. O resultado, observado mais rapidamente em comparação com o método do aparelho, é um sorriso mais harmônico e completamente funcional.

Lente de contato dental 

A lente de contato dental é muito parecida com a faceta. O que as diferencia, em geral, é o material: enquanto a primeira é feita com resina, a base da segunda é a porcelana. Dessa forma, o laminado fino vai sobre a parte externa dos dentes, ajustando a posição deles e eliminando pequenas anomalias decorrentes do mau posicionamento dental.

Extração do dente

Você viu o quão vastas são as causas do entrelaçamento dental. O tratamento depende do diagnóstico e, em alguns casos, é necessário fazer a extração do dente torto, principalmente quando há algum problema para o siso erupcionar ou se desenvolver na arcada. Da mesma forma, ocorre extração quando a dentição está em excesso ou quando o espaço oral é insuficiente.

Outros procedimentos

O tratamento para os dentes apinhados é mais amplo se a causa envolver doenças na boca ou problemas na respiração, língua, amígdalas ou bruxismo. Nesses casos, o recomendado é tratar não apenas o alinhamento dental, mas também os outros fatores que desencadeiam e proporcionam essa anomalia.

Por que fazer a correção?

A saúde bucal não está ligada unicamente a questões estéticas. Muito pelo contrário: é pela cavidade bucal que bactérias e micro-organismos têm acesso ao corpo, o que pode desequilibrar as funções vitais em caso de falta de higiene oral. Por isso, são dois principais motivos que listamos para convencer você a fazer a correção do apinhamento: a saúde e a autoestima.

Saúde

Nesse sentido, a primeira motivação para corrigir o problema é a saúde do seu corpo. A boca é essencial para funções como a respiração, a mastigação e a fonação.

Problemas sérios na área podem levar a complicações gástricas, respiratórias e até comprometer o coração. Este estudo da University College, em Londres, mostra a relação entre a falta de higiene bucal e doenças cardíacas, por exemplo.

Especificamente, os dentes tortos causam disfunções na articulação, provocando uma sobrecarga nas arcadas e prejudicando os músculos da face. Assim, negar-se a realizar o tratamento cria uma série de consequências não apenas para a saúde bucal, mas para todo o funcionamento corporal.

Autoestima

Por outro lado, a autoestima pode ser prejudicada caso o paciente não trate os dentes tortos. Questões de aparência estão entre os principais motivos que levam as pessoas com essa anomalia ao dentista. E a motivação para a procura se explica no fato de que a sociedade está cada vez mais preocupada com a estética, principalmente em tempos de selfie nas redes sociais.

Entretanto, é sempre bom lembrar que as consequências dos dentes encavalados extrapolam a beleza, ainda que o descontentamento com o sorriso, que pode ficar visivelmente marcado, possa levar a graves problemas, como a falta de socialização e, em casos mais avançados, a depressão.

Com que profissionais corrigir o problema?

A disfunção na posição dental são tratados por ortodontistas, cuja especialidade se dedica a compreender, prevenir e corrigir problemas com o crescimento e o amadurecimento dos dentes em proporção com a face.

No entanto, a depender do diagnóstico e do tratamento indicado, pode ser necessário ouvir outros especialistas, como o odontopediatra, dedicado à dentição das crianças, e o periodontista, dentista que estuda a periodontia, área que cuida da gengiva e dos ossos que dão sustentação aos dentes.

Após escolher um dentista adequado, o ideal é fazer o acompanhando clínico desde a infância, já que a fase é tão propícia para o apinhamento, seja por questões genéticas ou por alguns hábitos, como chupar dedo e chupeta ou usar muita mamadeira. Entretanto, os cuidados não são específicos para os pequenos e os adultos devem ir ao consultório odontológico semestral ou anualmente.

Neste conteúdo, você aprendeu tudo sobre os dentes encavalados, os quais também são conhecidos como dentes tortos e têm diversas causas (hábitos que pressionam a face, respiração incômoda, falta de espaço na arcada, entre outros). Em seguida, ficou por dentro dos tratamentos indicados para ter um sorriso harmônico, desde dispositivos ortodônticos até facetas de porcelana.

Além disso, descobriu no artigo por que recorrer à correção do problema na clínica para ter saúde bucal (várias funções essenciais do organismo dependem do equilíbrio oral) e autoestima. Por fim, conheceu a especialidade da Odontologia que geralmente trata anomalias no crescimento e desenvolvimento dentais.

Agora que sabe o que são, em que se diferem, quais os tratamentos indicados e por que corrigir os dentes tortos e encavalados, aprenda outros detalhes sobre a causa e as complicações que essa anomalia pode provocar!

Postado em 08/10/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter