Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

O que é carie?



 

O QUE É CÁRIE? COMO TIRAR? COMO PREVENIR?

A cárie é a doença da boca mais comum e mais conhecida da humanidade. Ela é a desmineralização do dente, causada por bactérias, que resulta na perda da estrutura dentária, formando cavidades. 

Essa desmineralização do dente ocorre quando há um desequilíbrio na cavidade bucal, fazendo com que restos de alimentos sirvam de alimentação para alguns tipos específicos de bactérias, que produzem ácido e com isso, altere o pH da cavidade bucal. Com esse pH ácido, a estrutura dentária é desmineralizada, gerando as cavidades (buracos) nos dentes. 

 

Causas de cárie 

A principal causa é a má higiene bucal. As bactérias causadoras da cárie existem na cavidade bucal (as mais diretamente relacionadas são os estreptococos do grupo mutans, sobretudo S. mutans), mas seu número cresce se elas não são removidas da superfície do dente e se o paciente também tem uma dieta recheada de açúcares, isso facilita a multiplicação das bactérias causadoras da cárie. 

Portanto, um indivíduo que não tem uma boa higiene bucal, não escovando seus dentes após as refeições de maneira adequada e tem uma dieta rica em açúcares, tem altas chances de desenvolver cárie. 

No caso de bebês ou crianças, é importante que as mães não coloquem açúcar ou farinhas nas mamadeiras. E sempre que a criança for amamentada ou fazer uso da mamadeira, faça a higiene bucal da criança (mesmo que ainda não tenha dentes ou que tenha poucos dentes de leite na boca), utilizando um pano limpo ou escova infantil. 

Com o surgimento dos dentes, é de extrema importância que os pais façam a escovação da cavidade bucal da criança utilizando escova dental infantil e pasta dental apropriada, em pequena quantidade, do tamanho de um grão de arroz cru.

O cuidado com dentes de leite diminui muito a probabilidade de cárie nos dentes permanentes. 

Sintomas de cárie 

 

Geralmente, quando o paciente tem cárie, começa a sentir alguns incômodos, dentre eles: 

  • Dor de dente; 
  • Sensibilidade quando mastiga algo doce, frio ou quente; 
  • Mau hálito; 
  • Furinhos ou buracos nos dentes; 
  • Gengiva inchada e doendo, quando tem contato com a superfície cavitada. 

Tipos de cárie 

Existem alguns tipos de cárie, de acordo com a localização e estágio. 

Cárie coronária 

É o tipo mais frequente de cárie, podendo atingir tanto adultos, quanto crianças. É a cárie que se manifesta na parte visível dos dentes (chamada de coroa). Também é a cárie mais facilmente diagnosticada e, dependendo do caso, tem prognóstico muito bom. 

Cárie radicular 

É a cárie que afeta a raiz do dente. Ela geralmente ocorre em dentes nos quais há retração gengival (que é o afastamento da gengiva, expondo a raiz do dente). Essa superfície da raiz tem menos proteção que a coroa, uma vez que não há esmalte (ao contrário da coroa), portanto, cárie radicular geralmente costuma ter progressão mais rápida. 

Cárie recorrente 

Também chamada de lesão de cárie secundária. Ocorre em dentes que já foram tratados e, já tinham uma restauração, mas infelizmente a cárie se desenvolveu novamente, desta vez sob o material restaurador ou ao redor dele. 

Lesão de cárie inicial 

A cárie se inicia como uma mancha branca rugosa nos dentes. O cirurgião-dentista, ao observar os dentes em exame clínico, consegue perceber essas manchas brancas rugosas que são os primeiros sinais clínicos da cárie, antes de haver cavitação. 

Nesse estágio, muitas vezes não há nenhum sintoma e com a melhora da qualidade de higiene bucal e da dieta, é possível que esse processo seja revertido e não haja formação de cavitação.

Lesão de cárie intermediária e profunda 

Nesse estágio já há formação de cavitação, ou seja, um buraco na superfície do dente. O cirurgião-dentista irá avaliar o caso e estabelecer o tratamento, mediante o quadro clínico presente. 

 

Diagnóstico da cárie 

O diagnóstico é feito pelo cirurgião-dentista, por meio de anamnese (uma série de perguntas que o cirurgião-dentista faz, para saber mais sobre a história da doença e das queixas do paciente, que deve relatar o que ele está sentindo), exame clínico, observando diretamente os dentes e também com auxílio de exames de raios-X, quando necessários. 

Cárie tem cura? 


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


A cárie é uma doença causada por uma série de fatores que inclui má higiene bucal, dieta cariogênica (cheia de açúcares) e bactérias. O tratamento inclui a remoção do tecido cariado e sua substituição por outro material. Ou seja, o dente cariado pode ser ‘curado’, mas se o paciente não melhorar os outros itens, há chance da doença voltar a se manifestar, com lesões recorrentes. 

A saliva tem papel fundamental na presença ou ausência da cárie. Isso porque a saliva ajuda a ‘limpar’ a superfície dentária das bactérias e seu pH, que deve ser sempre neutro, age equilibrando a acidez bucal. 

Dietas muito ricas em alimentos açucarados alteram o pH da saliva, fazendo a cárie se desenvolver ainda mais. Portanto, o paciente diagnosticado com este problema deve não só realizar o tratamento com o cirurgião-dentista, mas também melhorar hábitos de higiene e a sua dieta, para que a doença seja efetivamente curada.

 

 

Transmissão de cárie 

 

A cárie não é uma doença que é ‘transmitida’ pelo ar. O que pode ocorrer é a transmissão das bactérias causadoras da cárie, mas somente a presença dessas bactérias não é suficiente: é necessária dieta rica em açúcar e que a higienização da cavidade bucal pelo paciente não seja boa. Somente com a presença dos três elementos (bactérias causadoras da doença, dieta rica em açúcares e má higiene bucal) é que a doença cárie se desenvolve e progride. 

Mesmo assim, no caso de bebês, não se deve colocar a colher na boca do adulto antes de colocá-la na boca da criança, uma vez que crianças novas ainda não possuem imunidade adequada e nem tem toda o conjunto de bactérias desenvolvidas na boca, como um adulto. A atitude de colocar algo na boca do adulto e depois na boca da criança faz com que haja transmissão das bactérias do adulto para a criança. 

Tratamento da cárie 

 

Feito o diagnóstico, o cirurgião-dentista iniciará o tratamento. Se a lesão de cárie for inicial, sem cavitação, apenas com manchas brancas rugosas, a aplicação de flúor e melhora da condição bucal do paciente, com higienização bucal adequada e diminuição do consumo de açúcar na dieta é o tratamento indicado. 

Se a lesão já for intermediária ou profunda, já com cavitação, será necessária a remoção da cárie, com brocas e instrumentais específicos. Dependendo de quanto tecido cariado for removido, é possível substituir esse tecido com uma restauração, que pode ser resina (material da cor do dente) ou com uma coroa (que pode ser de porcelana, por exemplo), tudo depende do estágio da doença. 

Se a cárie for muito profunda e tiver atingido a polpa do dente, então é necessário o tratamento de canal. Após o tratamento de canal, o cirurgião-dentista pode então colocar uma restauração ou coroa no dente, dependendo de como é o caso clínico. 

No caso de lesões recorrentes, é necessária a remoção da restauração antiga e do tecido cariado ao redor ou sob ela. Não há possibilidade de ‘reaproveitamento’ da restauração antiga, sendo que ela deve necessariamente ser substituída por uma nova. 

Geralmente, lesões menos profundas costumam ter tratamentos menos dolorosos do que as mais avançadas, e o custo do tratamento também costuma ser maior em casos mais complexos. Portanto, quanto mais cedo o tratamento se iniciar, melhor!

Prevenção da cárie 

 

A cárie é uma doença que pode ser prevenida. Para isso, algumas ações são necessárias: 

  • Consuma uma dieta com pouco açúcar; 
  • Minimize o consumo de bebidas açucaradas e ácidas, como os refrigerantes;
  • Procure ingerir alimentos ricos em fibras, que estimulam a produção da saliva e auxiliam na diminuição da acidez da cavidade bucal; 
  • Faça higienização dos dentes sempre após as refeições, com uso do fio dental e  pasta dental com flúor; 
  • Visite o cirurgião-dentista a cada seis meses para prevenção. 

No caso de crianças: 

  • Não utilizar açúcar nem farinhas em mamadeiras; 
  • Sempre higienizar a cavidade bucal, seja com escova ou com pano, após cada amamentação ou consumo de mamadeiras; 
  • Não estimular o consumo de balas ou chicletes. 

Há quanto tempo você não vai ao cirurgião-dentista? Algum dente está com sensibilidade ou dor? Agende uma consulta hoje mesmo na Sorridents mais próxima e cuide de sua saúde bucal! 

Postado em 08/08/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter