Gengiva doendo: Tratamento e o que pode ser? | Sorridents - Clínicas Odontológicas
Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Gengiva doendo: Tratamento e o que pode ser?



Muitas vezes, pode surgir uma dor na gengiva entre os dentes, situação capaz até de acarretar sangramento na região. Nesse caso, o mais importante é saber exatamente o que está causando essa dor e buscar o tratamento adequado, a fim de evitar o agravamento do quadro.

A queixa de gengiva doendo é um dos problemas que mais levam pacientes a procurarem um cirurgião-dentista, afinal, uma gengiva saudável não apresenta dores. Se isso acontecer, é muito importante o diagnóstico correto e o tratamento apropriado.

Gengiva doendo pode ter diversas origens. Portanto, neste texto, vamos ver quais são as causas, os sintomas, as particularidades e os tratamentos para tal situação, além de dar algumas sugestões sobre como evitar esse problema. Confira!

Quais aspectos irregulares na gengiva e possíveis causas?

Algumas vezes, a gengiva fica inflamada, e isso gera dor. Quando se tenta escovar ou passar o fio dental, ocorre sangramento. Em tais situações, temos o que chamamos de gengivite, que é a inflamação da gengiva pela presença da placa bacteriana próxima ou subgengival.

A gengivite pode evoluir para outros casos, como exemplo, a doença periodontal, com a qual há perda do osso que segura o dente na boca. Logo, é muito importante que, assim que você notar a dor e a inflamação na sua gengiva, procure um cirurgião-dentista.

A gengiva fica inflamada, sangra e dói, porque a placa bacteriana é um conjunto de bactérias que causa essas consequências onde aparece. A gengiva é um tecido delicado e, se em contato frequente com a placa bacteriana, vai inflamar e inchar e, consequentemente, doer.

A gengiva que dói está diretamente ligada à má higiene bucal e afeta pessoas de todas as idades. Gengivas inflamadas e sangrando também levam ao mau hálito. E não há remédios caseiros para melhorar a inflamação da gengiva — o único tratamento começa com a ida ao profissional cirurgião-dentista. Então, é muito importante que você procure esse especialista o quanto antes.

Pus na gengiva

Em alguns casos, há a presença de pus na região da gengiva, além dos outros sintomas citados. Nessa situação, ocorre uma condição clínica chamada gengivite ulcerativa necrosante, que é um quadro bem mais agudo do que a gengivite comum.

A gengivite ulcerativa necrosante geralmente acomete pacientes mais jovens e está associada a períodos de estresse ou de grande desgaste emocional.

Inflamação da gengiva ligada a medicamentos

Alguns tipos de medicamentos causam a inflamação gengival e o inchaço exagerado da gengiva (também chamada de hiperplasia gengival). São eles: antiepiléticos, imunossupressores e betabloqueadores.

É muito importante que o paciente informe ao cirurgião-dentista se faz uso de algum remédio ou se está em tratamento para alguma doença.

Gengiva inflamada devido à reação alérgica

Pode ocorrer da gengiva estar inflamada e doendo devido a uma reação alérgica por algum alimento, medicamento ou até produtos de higiene bucal, como pastas de dente (geralmente as mais abrasivas, ditas ‘clareadoras’ ou ‘branqueadoras’) ou enxaguantes bucais.

Doenças específicas

Algumas patologias, no caso infecções bacterianas, virais ou fúngicas, também podem levar à inflamação da gengiva e provocar a dor. Entre elas, podemos citar:

  • aids;
  • diabetes;
  • epilepsia;
  • gengivoestomatite herpética (bem comum em crianças novas);
  • gonorreia;
  • herpes labial;
  • hipovitaminose (carência de vitaminas);
  • leucemia;
  • sífilis.

Há doenças de pele, como líquen plano e pênfigo vulgar, que conseguem gerar a inflamação da gengiva, levando o paciente a procurar um cirurgião-dentista com a queixa dos sintomas citados. Nesse caso, o tratamento será feito junto ao médico especialista que trata esses problemas.

Ainda, se surgir um tom mais esbranquiçado por dentro das bochechas e na língua, pode ser uma patologia originada por um fungo chamado de Candida albicans, doença mais popularmente conhecida como “sapinho”. É bastante comum em bebês, pois eles ainda têm um sistema imunológico em desenvolvimento.

Qual é a principal causa da gengiva estar doendo?

Com exceção dos casos de doenças específicas e alguns medicamentos, conforme já descrito aqui, algumas situações, como as oscilações hormonais derivadas da gravidez, conseguem aumentar a sensibilidade na região gengival, o que pode gerar mais facilmente inflamações na área.

Entretanto, a principal causa é a presença da placa bacteriana na região próxima à gengiva. Uma vez que essa placa está presente no local, a gengiva inflama, começa a sangrar, o que dificulta ainda mais uma higienização correta da região.

Forma-se um ciclo vicioso: a gengiva está sangrando e doendo porque tem placa. O paciente não consegue escovar os dentes adequadamente, pois a gengiva está doendo e sangrando, daí o caso só piora. Portanto, é preciso encerrar esse ciclo, justamente para a dor cessar.

Outras possíveis causas da dor, inflamação e sangramento na gengiva são:

  • redução na produção de saliva;
  • pressão exagerada sobre algum dente na hora de morder;
  • consequência de próteses e aparelhos ortodônticos malcolocados;
  • machucado feito por algum alimento, como a casca do pão francês, espinha do peixe, pipoca;
  • queimaduras provocadas por comidas muito quentes.

Quais fatores que podem piorar o quadro?

Algumas condições não são necessariamente a causa do problema, mas conseguem piorar o grau de inflamação e a dor. Ao conhecê-las, é possível impedir esse agravamento e, talvez, até reduzir os sinais desconfortáveis da gengivite. Confira alguns fatores responsáveis pela piora:

  • hábito de fumar;
  • mudanças hormonais;
  • ranger de dentes;
  • alimentação pouco nutritiva;
  • estresse;
  • deficiência de vitamina C;
  • dentes apinhados;
  • fraturas dentárias;
  • cárie;
  • restaurações antigas e inapropriadas e não polidas;
  • aparelhos ortodônticos.

Como evitar as dores na gengiva?

Alguns fatores originam o problema e outros até o intensificam, contudo, eles podem ser evitados. Dessa maneira, se você não realiza ações prejudiciais ao seu corpo, consegue reduzir a possibilidade de sofrer dores ou doenças, o que, por consequência, diminui também a necessidade de ir a um médico ou dentista.

Com os problemas bucais isso é bastante efetivo e, por esse motivo, é sempre recomendado não exagerar nos doces e cuidar bem da limpeza dos dentes. Só essas ações já podem impedir vários problemas, como cáries, formação da placa bacteriana, tártaro, mau hálito, entre outros.

Ainda assim, do mesmo modo que é indispensável realizar um checkup no médico periodicamente, é importante visitar o dentista pelo menos uma vez a cada seis meses. Esses são cuidados gerais, também capazes de impedir prejuízos à boca, como a dor na gengiva e entre os dentes. Leia a seguir cuidados mais específicos.

Evitar a automedicação


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Como dito antes, alguns fármacos podem acarretar dor e sangramento na gengiva, por isso, é recomendado nunca se automedicar. Se percebeu algum problema, vá a um especialista, ele saberá qual remédio indicar.

Manter uma dieta adequada

Existem alimentos ou temperaturas extremas na boca que podem gerar a dor na gengiva ou aumentá-la. Para impedir isso, não consuma (ou reduza) açúcar, álcool, biscoitos, picles, tomates, frutas cítricas e alimentos muito quentes ou frios — isso também se aplica a bebidas.

Escovar os dentes corretamente

Primeiro, não escove muito forte, pois assim as cerdas podem machucar a gengiva. Ainda, é indispensável escovar os dentes sempre após as refeições, sobretudo se tiver ingerido açúcar.

O procedimento faça movimentos curtos e circulares por cinco segundos em cada dente, inclusive sobre a gengiva rente aos dentes. Não se esqueça de escovar a língua, ali também podem se concentrar bactérias.

A escova precisa ter cerdas macias e bem-niveladas, e ela deve ser substituída de três em três meses, ou sempre que notar o desgaste nas cerdas.

Usar enxaguante bucal na medida certa

O ideal é usar apenas a medida de uma tampinha, ela já é feita em forma de um copinho com tal intenção. Evite ainda enxaguantes bucais com álcool, essa substância é agressiva aos dentes.

Empregar o fio dental sem machucar

Nunca deixe de aplicá-lo, sobretudo antes de dormir, pois durante o sono nossa boca produz menos saliva e isso aumenta a proliferação de micro-organismos nocivos. O fio dental é essencial para evitar a formação de placa bacteriana e, consequentemente, impedir a inflamação gengival. Mas lembre-se de que é importante usá-lo com cuidado. Abrace o dente com o fio dental e faça um movimento como se estivesse o lustrando, passando-o inclusive no vão entre a gengiva e o dente.

Solicitar orientações ao dentista

A qualquer sinal estranho, consulte o dentista. Ele pode instruir sobre assuntos mais banais, como o enxaguante bucal ideal para sua boca e como escovar os dentes, até os temas mais graves. Ou seja, não tenha vergonha de perguntar coisas que acha insignificantes — o profissional existe para ajudá-lo, e você deve pedir a ajuda dele, independentemente do tipo de dúvida. Então, sempre que algo preocupá-lo, informe o dentista.

Parar de fumar

O tabagismo eleva consideravelmente as possibilidades de inflamação nas gengivas (além de outras doenças). Um fumante pode alcançar até seis vezes mais chances de ter inflamações gengivais que um não fumante.

Massagear a região

Depois de limpar os dentes, pode ser interessante massagear a gengiva. Para isso, aplique dois dedos: um no interior junto ao céu da boca ou língua; outro, por fora, encostado na bochecha. Desse modo, pressione as digitais desses dois dedos de maneira delicada, fazendo movimentos circulares pequenos.

Quais os sintomas?

Todo tipo de irregularidade no corpo pode ser percebida pelos sinais que o próprio organismo apresenta. Isso também ocorre com patologias bucais. Doenças nessa área prejudicam o uso e a aparência da boca. Dessa maneira, é importante estar atento a sensações estranhas ou a dificuldades em mastigar, falar e engolir, além de aspectos incomuns na região bucal. Confira sinais mais específicos de uma gengiva inflamada:

  • gengiva inchada, de coloração vermelho vivo;
  • gengiva sangrando, quando é aplicada a escova ou o fio dental;
  • sensibilidade ou dor ao tocar na região ou ao ingerir alimentos demasiadamente quentes ou frios;
  • perda do contorno gengival (a gengiva fica inchada e começa a recobrir uma parte do dente);
  • retração gengival;
  • machucados ou aftas na região;
  • mau hálito.

Qual o tratamento?

O tratamento para uma gengiva doendo é feito pelo cirurgião-dentista, sempre com a participação ativa do paciente, que deve aderir a esses cuidados. E, para sanar completamente um caso de gengiva doendo, a pessoa precisa melhorar sua higiene bucal. Não existe um medicamento ou uma receita caseira que substitua a ida a tal especialista. Assim, o primeiro passo é diagnosticar o que está causando a inflamação gengival.

O segundo passo é eliminar ou melhorar os fatores que estão culminando no acúmulo de placa bacteriana na região da gengiva. Ou seja, é interessante tratar de dentes cariados, corrigir restaurações inadequadas e antigas, com contorno ruim, que não estão bem polidas. Além disso, melhorar o posicionamento de dentes apinhados e remover o aparelho ortodôntico caso já tenha se encerrado o tratamento, também são ações que ajudam nesse problema.

Em seguida, é necessária a realização da limpeza profissional, ou seja, a raspagem e aplainamento radicular, bem como a profilaxia. Por quê? Porque só com esse tratamento profissional o tártaro será removido (ele não é extinto somente com a escovação) e a placa da região será eliminada. Com os dentes limpos, cabe ao paciente manter a região bem-higienizada.

Uma vez que a higiene bucal estiver correta e os fatores que causam acúmulo de placa tiverem sido removidos, a gengiva desinflama e para de sangrar.

O ideal é consultar seu dentista no mínimo uma vez a cada seis meses para a realização da limpeza profissional.

Quais as complicações do problema?

Caso o paciente não procure um cirurgião-dentista, o quadro de gengivite pode evoluir para a doença periodontal, que é caracterizada pela perda de osso que mantém os dentes na boca. A doença periodontal, se não tratada, leva à perda dos dentes, algo que ainda pode prejudicar a mastigação e a fala, além da aparência, gerando uma baixa autoestima.

Outra complicação é o surgimento do abscesso periodontal, que é um quadro extremamente doloroso. O abscesso periodontal aparece quando há grande quantidade de pus entre os dentes, ocasionando inclusive mal-estar generalizado. É um caso que demanda muito cuidado e atenção, pois há risco de morte do paciente se não for tratado.

E agora?

Confira alguns pontos importantes dos quais você não deve se esquecer:

  • tenha uma boa higiene bucal, escovando sempre seus dentes após as refeições e fazendo uso do fio dental diariamente, sobretudo antes de dormir;
  • se for usuário de aparelho, não abandone o tratamento ortodôntico e escove os dentes da maneira ensinada pelo ortodontista, com passa-fio e escovas apropriadas;
  • consulte o seu cirurgião-dentista uma vez a cada seis meses;
  • siga o tratamento de modo correto, como o seu cirurgião-dentista orientou, realizando a escovação sempre da forma adequada;
  • não fume ou, ao menos, reduza o cigarro;
  • não se esqueça de mencionar ao cirurgião-dentista se toma medicamentos para o tratamento de outras doenças;
  • não faça uso de receitas caseiras para tentar eliminar a gengivite — somente o cirurgião-dentista vai conseguir apresentar o tratamento correto para o seu caso;
  • ao menor sinal de gengiva doendo, marque uma consulta com o cirurgião-dentista na Sorridents mais próxima.

Como você pode notar, a dor na gengiva entre os dentes pode ser gerada por diferentes motivos. Por isso, é indispensável cuidar bem da limpeza bucal e, ao perceber qualquer sinal estranho, procurar um especialista capacitado e confiável, pois ele vai ajudar a descobrir as irregularidades e realizar o melhor tratamento para saná-las.

Além de manter a gengiva sempre saudável, confira outras dicas para alcançar um sorriso bonito e livre de doenças.

Postado em 06/08/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter