Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Tudo que você precisa saber sobre gengivite



A gengivite é uma das doenças bucais mais comuns e que pode se desenvolver desde a infância até a terceira idade. Apesar de ser um problema com um tratamento bastante simples, muitas pessoas não cuidam ou sequer percebem que estão passando por essa situação. Isso faz com que as chances de a gengivite se agravar e se transformar em outras complicações mais sérias sejam muito grandes.

Por isso, é preciso entender as principais características da doença, para garantir que saberá identificá-la em seus primeiros sinais. Ou, melhor ainda, é preciso saber como preveni-la para que não precise se preocupar com tratamentos no futuro.

É nisso que este e-book te ajudará. Aqui você vai conhecer as principais causas e sintomas da doença, além das formas de tratamento e prevenção.

Afinal, o que é a gengivite?

De forma resumida, a gengivite é uma inflamação na gengiva. É uma doença relativamente comum, causada, na maioria das vezes, pela falta de higiene bucal. A gengivite acontece quando a placa bacteriana evolui e se transforma em tártaro, deixando a região muito sensível e podendo até causar problemas mais graves.

Em alguns casos, esta doença pode não apresentar sintomas. Por isso, é imprescindível visitar o dentista periodicamente, pois essa é a melhor forma de prevenir esse e qualquer outro problema.

 Os estágios da gengivite

A gengivite é o primeiro estágio das doenças nas gengivas. Por ser um problema simples de se tratar, é importante que seja identificado logo no início, para garantir que não evolua para estágios mais avançados. Se não tratada, ela pode se transformar em periodontite, uma doença bem mais séria e que pode ter graves consequências.

A periodontite apresenta os mesmos sintomas da gengivite, porém de forma mais severa. Além disso, ela desgasta os dentes e a gengiva de forma irreversível, o que pode resultar na perda de dentes. Outras consequências ainda mais sérias, como o infarto, também podem acontecer. A doença ainda pode se transformar em periodontite avançada, afetando a mastigação e a mordida.

Quais são as causas e sintomas da doença?

A causa mais comum da gengivite é a higiene bucal deficiente, porém outros fatores também podem ser causadores da doença. Seus sintomas são relativamente simples e discretos, tanto que muita gente passa pelo problema e nem ao menos percebe o que está acontecendo, especialmente no estágio inicial da doença.

Principais causas da gengivite

Falta de higiene bucal

A principal causa do problema é a falta de higiene bucal, ou uma higiene mal feita. Lembrando que os dentes devem ser escovados três vezes por dia, finalizados com fio dental e enxaguante bucal. Quando a higiene é feita de forma deficiente, a dentição começa a acumular a placa bacteriana, problema responsável pela gengivite.

A escovação deixa os dentes limpos, evita o acúmulo de alimentos e de bactérias, evitando essa e diversas outras doenças bucais. Por isso, os cuidados devem ser diários e feitos da forma correta, com produtos adequados.

Língua, gengiva e bochechas também podem acumular placas bacterianas, portanto, também devem ser higienizadas todos os dias.

Fatores hormonais

Algumas alterações hormonais também podem causar problemas como inchaço, sensibilidade e sangramento na gengiva. É muito comum que isso aconteça, principalmente durante a gravidez, mas também em períodos pré menstruais e outras situações nas quais os hormônios sofrem alguma mudança.

Boca seca

A gengivite também pode ser causada por efeitos colaterais de alguns medicamentos, como os que deixam a boca seca com a diminuição da saliva. Caso não saiba, uma das principais funções desse fluido é ajudar a eliminar restos de alimentos e bactérias remanescentes. A boca seca faz com que as bactérias se proliferem com mais facilidade, aumentando as chances de problemas na gengiva.

 Uso de aparelhos ortodônticos

Os aparelhos ortodônticos não devem ser considerados vilões, pois eles são muito importantes em determinados casos e fazem toda a diferença para a estrutura física e para a estética dental. Porém, quem os utiliza acaba tendo mais chances de sofrer com a gengivite, já que os eles dificultam a escovação e ainda podem fazer com que as bactérias se proliferem mais rapidamente.

Se esse é o seu caso, com certeza seu dentista já te orientou quanto à maneira correta e eficiente de escovar seus dentes. Mas se ainda houver dúvidas, não deixe de conversar com ele novamente sobre o assunto. Lembre-se que os cuidados com a higiene bucal devem ser redobrados durante o uso de aparelhos.

Principais sintomas da gengivite

Mau hálito

O mau hálito é um dos principais sintomas da gengivite, tanto pela provável falta de higiene bucal quanto pelo acúmulo de bactérias dentro da boca. Se perceber que o mau cheiro não sai, mesmo após uma boa escovação, ou que ele está acompanhado de um gosto ruim, saiba que pode ser um sintoma da doença e que o dentista deve ser procurado.

 Sangramento na gengiva

Como a gengiva fica muito sensível durante a gengivite, um dos sintomas é o sangramento, que acontece principalmente durante a escovação e o uso do fio dental. Nesses casos é preciso escovar os dentes de forma mais delicada e com produtos específicos, que vão evitar irritação e machucados nessa região — peça por orientações ao seu dentista.

Gengiva inchada

Pelo mesmo motivo da sensibilidade, a gengiva pode ficar inchada e com aspecto mais avermelhado que o normal. Além disso, nos estágios mais avançados da doença, é normal que hajam bolsas gengivais, que podem estar cheias de secreção, como pus.

 Como funciona o tratamento?

Existem alguns tratamentos diferentes para a gengivite, podendo variar de acordo com o estágio em que a doença se encontra. Há tratamentos caseiros, naturais e até medicamentos para gengivite. Porém, lembre-se que é imprescindível contar com uma orientação de um odontólogo, pois só ele saberá qual o melhor tratamento para seu caso.

A automedicação diminui as chances de o problema ser tratado de forma totalmente eficiente e, em casos mais sérios, ainda pode piorar a situação.

É preciso saber que, mesmo sendo totalmente tratada nos estágios iniciais, a gengivite é um problema que pode aparecer novamente e por várias vezes durante a vida. Portanto, após se livrar dela uma vez, é preciso manter os cuidados recomendados pelo resto da vida.

Tratamentos para gengivite nos estágios iniciais

Escovação

Quando a gengivite está nos estágios iniciais, é uma doença de fácil tratamento. A escovação é uma das formas mais fáceis, não só de tratar, mas também de evitar o problema. Se feita 3 vezes por dia, todos os dias e da forma adequada, ela vai evitar o acúmulo da placa bacteriana — e, caso já esteja acumulada, a escovação vai eliminando-a aos poucos.

Tratamentos caseiros

Também existem diversos tratamentos caseiros que vão ajudar a tratar a gengivite. O mais comum é o uso do bicarbonato de sódio, mas também podem ser usados ingredientes como limão, vinagre e outros, como se fossem enxaguantes bucais.

Os tratamentos caseiros podem ser muito eficientes, mas é preciso saber exatamente como usar cada opção. Além disso, eles nunca podem substituir a escovação adequada ou a visita ao dentista. Use-os apenas para potencializar os resultados, desde que seja permitido por seu médico.

Tratamentos para periodontite


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Quando a gengivite chega em seu estágio mais avançado, os tratamentos são um pouco mais complicados e, de forma alguma, podem ser feitos pelo paciente. Nesses casos é imprescindível que haja acompanhamento de um dentista, pois será necessário realizar procedimentos que somente ele poderá fazer.

Porém, é preciso ter consciência de que a periodontite é irreversível. É possível amenizá-la e impedir que ela cause ainda mais problemas a toda a estrutura bucal, porém, os danos causados na gengiva e nos dentes dificilmente serão desfeitos. Por isso é fundamental tratar a gengivite em seu estágio inicial!

 Raspagem

Se necessário, o dentista fará uma raspagem nos dentes e nas gengivas, para remover a placa bacteriana presente ali e evitar que ela se transforme em tártaro, além de remover o tártaro já existente. Nesse processo também podem ser usados produtos amolecer a placa, além de outros que ajudam a impedir o retorno da doença.

Medicamentos

Em alguns casos, o dentista pode indicar medicamentos anti-inflamatórios ou antibióticos, para ajudar a garantir bons resultados no tratamento. Porém, os remédios nunca serão indicados de forma isolada, somente em conjunto com outros tipos de tratamentos, como a limpeza dos dentes.

Como posso prevenir a gengivite?

Mesmo tendo um tratamento simples, a melhor forma de lidar com a gengivite e com qualquer outra doença é prevenindo-a. E para prevenir esta doença em específico, só é necessário cuidar dos dentes da maneira que você deve ter sido ensinado desde seus primeiros anos de vida. A prevenção resume-se em hábitos saudáveis e uma escovação adequada.

Escove os dentes diariamente

Não custa reforçar mais uma vez neste e-book, que a escovação é a melhor e mais fácil maneira de prevenir a gengivite. Ela deve ser feita diariamente, pelo menos três vezes por dia — ao acordar, depois do almoço e antes de dormir.

E não se esqueça de utilizar o fio dental pelo menos uma vez por dia, para remover os resíduos que a escova não consegue tirar. Essa é a maneira mais simples de evitar a placa bacteriana e o tártaro.

Lembre-se que não são apenas os dentes que devem ser escovados e limpos. Para evitar o acúmulo de bactérias, também é preciso higienizar a língua, as bochechas e até mesmo o céu da boca.

Utilize os produtos adequados

É preciso utilizar produtos adequados para garantir que a escovação será feita de forma eficiente e sem prejuízos à gengiva. A escova deve ser macia, já que a região estará muito sensível, e deve ser trocada pelo menos a cada quatro meses.

Utilizar um bom creme dental também é muito importante, mas, além disso, é recomendado fazer uso de um enxaguante bucal pelo menos uma vez por dia. Para resultados ainda melhores, invista em um produto com ação antibactericida.

Invista em uma boa escova elétrica

As escovas mais indicadas para quem tem gengivite são as elétricas. Algumas possuem tecnologia avançada, fazendo com que a escovação seja mais delicada e não cause irritações, mas garantindo que os dentes e toda a boca estejam muito bem limpos.

Existem modelos de escovas elétricas que possuem funções diferentes, como a de massagear a gengiva. Estas e outras inovações vão lhe ajudar a cuidar dos dentes e da gengiva sensível, com menos chances de machucá-las ou de agravar o problema. Além disso, esse tipo de escova realiza uma escovação ainda mais eficiente que as escovas normais.

Visite o dentista regularmente

É imprescindível visitar o dentista regularmente, para manter os dentes saudáveis e evitar qualquer tipo de doença bucal. Para evitar o surgimento de uma gengivite e, principalmente, sua evolução para uma periodontite, é preciso contar com o acompanhamento do profissional, que conseguirá identificar problemas que estão fora do conhecimento e da percepção dos pacientes.

Conte com a ajuda do profissional para te orientar sobre os melhores produtos a serem usados, a forma certa de escovar os dentes, a rotina adequada de higiene bucal e qualquer outra informação que precisar.

Além disso, é importante solicitar que seu dentista faça uma limpeza completa em sua boca, pelo menos a cada seis meses. Dessa forma, ele conseguirá remover qualquer indício de placa bacteriana, tártaro ou sujeiras que possam estar acumuladas ali.

Mantenha hábitos saudáveis

Hábitos saudáveis, como uma boa alimentação, prática de exercícios físicos, cuidados com a saúde mental e uma vida sem vícios fará bem para todo o seu organismo, inclusive para a saúde de sua boca. Evitar alimentos com muito açúcar e o consumo de álcool e cigarro já pode ajudar bastante a diminuir as chances de doenças bucais, incluindo a gengivite.

Beber muita água também é importantíssimo, para manter-se hidratado e evitar a boca seca. Ainda, o consumo de alimentos saudáveis e nutritivos é necessário.

Conclusão

Conseguiu perceber a importância de visitar um dentista frequentemente e de cuidar da sua higiene bucal? São atitudes tão simples e rotineiras, mas que fazem toda a diferença em sua saúde e ajudam a prevenir problemas sérios e incômodos.

Seguindo as dicas deste e-book, as chances de ter que lidar com a gengivite são mínimas. Cuide de sua boca e encontre um dentista de confiança para lhe acompanhar nessa trajetória.

Sobre a Sorridents Clínicas

Sorrir com vontade. Sorrir com paixão. Sorrir com liberdade. A qualquer momento. Sem receio, sem constrangimento, sem medo de ser feliz.

Nós acreditamos que o brilho que faz o mundo girar está no sorriso de cada um. E para expandir esse poder transformador, oferecemos em nossas unidades uma enorme variedade de soluções odontológicas.

Mais do que proporcionar um atendimento qualificado com produtos certificados, temos como objetivo a segurança e o conforto em todas as etapas de nossos serviços. Além disso, nossos profissionais são referências em suas áreas de atuação e atestam os pilares da marca Sorridents: acesso, conforto, conveniência e qualidade. Acesse o nosso site e saiba mais!

Postado em 03/04/2020.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter