Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Excesso de saliva: entenda por que acontece e como resolver



Você sabia que o excesso de saliva pode estar relacionado a outros problemas bucais? Apesar de parecer algo comum, a hipersalivação é caracterizada pela produção intensiva de secreção salivar, o que prejudica a saúde da região, causa engasgos involuntários e pode até provocar constrangimentos sociais.

Para evitar que você passe por esse tipo de situação, no artigo de hoje vamos mostrar tudo que precisa saber sobre o excesso de saliva, incluindo o que é, quais são as suas principais causas, sintomas e tratamentos mais comuns.

Se você quer saber mais, leia esta publicação e absorva as nossas informações!

Afinal, o que é o excesso de saliva?

Também conhecido por hipersalivação, ptialismo e sialorreia, o excesso de saliva é a produção excessiva de saliva. Esse líquido se origina nas glândulas salivares e se caracteriza por ser um fluido viscoso composto de muco, água e outros elementos.

Uma pessoa com produção normal libera, por dia ,cerca de um litro e meio de saliva, que é indispensável nos processos de digestão, de fala, de remoção de germes bucais e cicatrização de feridas.

Já uma pessoa com excesso de saliva é capaz de produzir até o triplo dessa quantidade.

Quais são os sintomas do problema?

Podendo ser constante ou intermitente, a hipersalivação possui sintomas bastante característicos.

Os mais comuns são cuspir constantemente, babar, engolir saliva o tempo todo ou até mesmo ter dificuldade de engoli-la, justamente pela quantidade excessiva. No entanto, também existem outros sintomas associados ao problema. São eles:

  • desidratação;

  • mau hálito;

  • danificação da pele ao redor da boca;

  • facilidade de engasgar;

  • lábios rachados.

É válido mencionar, ainda, que o excesso de saliva pode provocar ansiedade social e problemas psicológicos, afetando a capacidade do indivíduo de falar e de comer em público.


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Em situações mais graves, a pneumonia por inalação também pode ser um sinal, uma vez que pessoas com o problema inalam e levam para o pulmão com mais frequência a própria saliva, alimentos e demais fluidos.

Quais são as principais causas da hipersalivação?

Geralmente, mulheres grávidas são o público mais afetado pelo problema, justamente devido às mudanças hormonais. Mas existem outros fatores de risco que podem afetar um público diverso. Os principais são:

  • utilização de próteses dentárias;

  • baixa coordenação oral;

  • dificuldade de engolir a saliva;

  • incapacidade de manter a boca fechada;

  • a própria produção em excesso da saliva, que pode ser causada pela presença de úlceras, dor de garganta, sinusite, inflamações, má higiene oral, doença do refluxo gastroesofágico, estomatite, amigdalite e sinusite.

Como é feito o tratamento?

Ao identificar os primeiros sintomas, é indispensável que o indivíduo se dirija a uma clínica odontológica e realize os procedimentos recomendados por um profissional. É ele quem realiza o diagnóstico e identifica a causa subjacente, recomendando também o tratamento.

Em geral, são utilizados métodos que melhoram o controle da língua, dos lábios e da deglutição, que regulamentam a produção de saliva (até mesmo por meio de medicamentos específicos) e terapias de fala.

Agora que você já sabe o que é o excesso de saliva e como o problema é causado, fique atento aos sinais e procure imediatamente uma clínica odontológica para assegurar um sorriso bonito e saudável para você e toda a sua família!

Você conhece alguém que já passou por uma experiência como essa? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então deixe o seu depoimento aqui nos comentários!

Postado em 13/06/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter