Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Como Tratar a Gengivete



Gengivite é a inflamação da gengiva. Ela pode ocorrer por diferentes razões, mas a principal causa é a presença da placa bacteriana, que por ser composta de bactérias, causa o processo inflamatório da gengiva. Mas há tratamento e cura para a gengivite. 

Sintomas da gengivite 

  • Sangramento ao escovar os dentes ou passar fio dental; 
  • Sangramento ao tocar a gengiva;
  • Dor; 
  • Gengiva inchada; 
  • Gengiva vermelho vivo; 
  • Recessão gengival; 
  • Presença de pus; 
  • Mau hálito.

 

Causas da gengivite 

             A principal causa, conforme dito acima, é a presença de placa bacteriana causada por uma má higienização bucal, mas existem outros fatores que podem estar presentes e são considerados fatores de risco para o desenvolvimento da gengivite: 

  •         Mudanças hormonais em mulheres grávidas ou adolescentes; 
  •         Dentes desalinhados; 
  •         Restaurações antigas, ásperas ou fraturadas; 
  •         Aparelhos ortodônticos mal encaixados; 
  •         Uso de medicamentos como fenitoína e pílulas anticoncepcionais;
  •         Diabetes não controlado; 
  •         Deficiência de vitamina C;
  •         Leucemia;
  •         Fumo;
  •         Imunidade baixa.

             A gengivite não é transmissível, porém traz muito incômodo ao paciente. Inclusive, uma das principais causas de procura de cirurgiões-dentistas é o desconforto causado pela gengivite.

Tratamento da gengivite 

             O tratamento começa pela ida ao cirurgião-dentista a cada 6 meses. Com isso, o profissional conseguirá determinar a causa para a inflamação gengival para iniciar algum procedimento. 

             O cirurgião-dentista fará uma série de perguntas ao paciente para poder ter um diagnóstico correto da gengivite e de suas causas: 

  • Quais são os sintomas? 
  • Há quanto tempo você está sentindo isso? 
  • Tem alguma doença em tratamento ou faz uso de algum medicamento? 

Após isso, o cirurgião-dentista avaliará a cavidade bucal e todas as superfícies dentárias, bem como a gengiva, utilizando um espelho e uma sonda.

             Com todos esses eventos reunidos, o cirurgião-dentista consegue estabelecer o diagnóstico e o plano de tratamento da gengivite para o paciente.

             O principal agente envolvido no tratamento é a melhora da higienização bucal. Para isso, o cirurgião-dentista realizará uma limpeza profissional, removendo o tártaro (que é a placa dentária calcificada, que não sai com a escovação) e retirando a placa dentária da superfície dos dentes.

             Para a limpeza profissional, o cirurgião-dentista utilizará ultrassom, jato de bicarbonato, além de instrumentais específicos, chamadas curetas periodontais. 

             Após a limpeza profissional, é de suma importância que o paciente mantenha a higienização correta em casa, utilizando uma escova dental apropriada e fio dental diariamente, sempre após as refeições. 

             Além disso, o retorno ao cirurgião-dentista para mais consultas pode ser necessário. 

             A escovação dos dentes deve sempre ser realizada com uma boa escova dental, macia e de maneira suave. Não é necessário o uso de força para escovar os dentes.

             Em caso de sensibilidade, o paciente poderá usar um creme dental menos abrasivo, justamente para aliviar a gengiva. Mas somente a remoção da causa principal, a placa dentária, fará com que a gengivite melhore. 


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


             Em casos específicos, o cirurgião-dentista poderá prescrever anti-inflamatórios e até antibióticos para auxiliar a profilaxia. Além disso, bochechos com enxaguantes bucais também poderão ser prescritos por um tempo determinado, para melhora do quadro clínico

             No caso de restaurações antigas ásperas ou fraturadas, bem como dentes cariados, o cirurgião-dentista incluirá em seu plano de tratamento o polimento ou a substituição das restaurações antigas. Dentes cariados demandam novas restaurações. 

             Em caso de gengivite associada com medicamentos ou fatores de risco, como alterações hormonais ou diabetes, o cirurgião-dentista pode avaliar, junto com o médico, a melhor estratégia para melhora do quadro. 

 Tratamentos da gengivite “caseiros”

             Há na internet, tratamentos “caseiros” para melhorar a gengivite, com chás e outras coisas. Não caia nessa!

             O tratamento correto para a gengivite inclui uma avaliação e diagnóstico das causas pelo cirurgião-dentista. Só esse profissional é capaz de tratar adequadamente a gengivite e, com a participação ativa do paciente mantendo a higiene bucal correta, a doença não evolui e regride, com a melhora da aparência da gengiva e fim do sangramento. 

             É importante que o paciente não faça uso de pomadas ou cremes para “tratamento” da gengivite, uma vez que a gengiva inflamada deve ser tratada por um profissional.

             Somente o profissional poderá prescrever medicamentos para o paciente, se o caso clínico demandar.

Como a gengivite não tratada pode evoluir?

             É muito importante que, assim que o paciente notar algum sintoma de gengivite, já procurar seu cirurgião-dentista, uma vez que a gengivite é a primeira fase de futuros problemas, se não tratada. 

             A gengivite não tratada pode evoluir para doença periodontal, que é caracterizada pela perda do osso que mantém os dentes na boca. Além disso, já há estudos na literatura que demonstram ligação de doenças periodontais e mesmo gengivite com um problema cardíaco denominado endocardite bacteriana, que é a fixação de bactérias provenientes da boca nas paredes do coração. 

Recomendações para quem tem gengivite 

  • Procurar seu cirurgião-dentista uma vez a cada 6 meses, para avaliação da cavidade bucal, bem como realização da limpeza profissional;
  • Seguir as orientações do cirurgião-dentista sobre a forma correta de escovar os dentes; 
  • Usar sempre fio dental; 
  • Não abandonar tratamentos ortodônticos; 
  • Usar uma escova macia e trocá-la frequentemente; 
  • Não utilizar medicamentos por conta própria ou sem orientação específica individual do cirurgião-dentista. Apenas fazer uso do que foi prescrito e pelo tempo certo.

Prevenção da gengivite 

             Com o tratamento adequado e a manutenção da saúde bucal pelo paciente, a gengivite não volta. Caso contrário, ela pode voltar. Mas há como prevenir essa doença: 

  • Escove seus dentes adequadamente, não utilizando escovas duras nem força durante a escovação;
  • Faça uso diário do fio dental; 
  • Procure seu cirurgião-dentista a cada 6 meses.

             Há quanto tempo você não vai ao cirurgião-dentista? Tem sentido algum dos sintomas da gengivite? Agende hoje mesmo sua consulta na Sorridents mais próxima, seja acompanhado por excelentes profissionais e melhore a sua saúde bucal.

Postado em 24/09/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter