Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Periodontite: saiba o que é e como pode ser tratada



Não é novidade para ninguém que um sorriso bonito e bem cuidado é um dos melhores cartões de visitas que uma pessoa pode ter. Para isso, é indispensável prezar pela saúde bucal, realizar uma boa higienização e visitar seu dentista regularmente. Só assim, é possível prevenir e, quando necessário, tratar problemas bucais, como a periodontite, evitando que se agravem.

A periodontite é comum e tem seu início no processo inflamatório da gengiva, quando se estende por todos os tecidos que dão suporte aos dentes. Por isso, a cada dia, cresce o número de pessoas que procuram os consultórios odontológicos para realizar o tratamento adequado, afinal, todo mundo quer sorrir sem medo!

Se você tem dúvidas e quer saber mais sobre essa doença, continue lendo este post e fique de olho nas nossas dicas!

O que eu preciso saber sobre a periodontite?

Muitas pessoas pensam que apenas a escovação diária dos dentes combate as doenças bucais, mas o que elas não sabem é que, para manter a boca longe das bactérias e fungos, muitos cuidados precisam ser tomados.

Como a boca é um dos órgãos do corpo mais expostos aos processos infecciosos, é comum que problemas bucais apareçam com frequência. Saiba quais os riscos da periodontite e fique longe desse mal!

O que é periodontite?

O termo periodontal significa ‘’ao redor do dente’’, portanto, essa doença acomete todos os tecidos em volta dos dentes, como a gengiva, os ligamentos e os ossos que dão suporte a eles.

Embora muitas pessoas não sintam dor ou incômodo, esse processo inflamatório pode levar à perda dos dentes e à reabsorção do osso alveolar. Somente um profissional qualificado pode indicar o melhor tratamento.

Quais são as suas principais causas?

O principal agente causador da periodontite é a placa bacteriana que se forma sobre a superfície do esmalte dentário e na gengiva. Porém, como toda doença, existem alguns fatores que aumentam a chance de contraí-la. Anote aí os principais e evite os que forem possíveis:

  • maus hábitos de saúde bucal;
  • tabagismo;
  • diabetes;
  • idade avançada;
  • diminuição da imunidade;
  • má nutrição;
  • uso excessivo de medicamentos, álcool e substâncias psicoativas;
  • predisposição genética;
  • problemas dentários estruturais.

Quem está nos grupos de maior risco?

Como dito, existem condições que facilitam o desenvolvimento da periodontite, e algumas delas deixam bem claros os grupos de risco: tabagistas, diabéticos, usuários de excessiva quantidade de drogas lícitas e ilícitas, pessoas que consomem grande quantidade de álcool e indivíduos com doenças autoimunes, problemas de estrutura dentária, histórico familiar e desnutridos.

Como o tártaro se acumula na gengiva?

O tártaro, também chamado de cálculo dental, nada mais é do que restos alimentares e bactérias mineralizados. A má escovação faz com que se forme uma massa em nossos dentes, denominada placa bacteriana ou biofilme, que é calcificada pela ação da nossa saliva. Por isso, formam-se os cálculos dentais.

O aparecimento do tártaro forma irregularidades nos dentes, principalmente próximo à gengiva e, assim, facilita ainda mais o acúmulo de sujidades nesse local. Com isso, a gengiva começa a ser agredida e sofre inflamação — a progressão dessa inflamação para o osso e os tecidos de suporte do dente é que se chama periodontite.

E os sintomas?


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Muitas pessoas confundem os sintomas com os da gengivite, mas os primeiros sinais a serem observados são o rompimento das fibras e a formação da bolsa periodontal (espaço entre o dente e a gengiva maior que 3 mm), o que influencia na perda das estruturas ao redor dos dentes. Conheça outros sintomas:

  1. mau hálito constante;
  2. gengivas vermelhas ou arroxeadas, com aspecto brilhante;
  3. dentes soltos;
  4. gengivas inchadas, sensíveis ao toque e que sangram com facilidade.

Existem diferentes tipos de periodontite?

Crônica

Esse tipo de periodontite é aquele decorrente da não higienização correta dos dentes e da evolução da gengivite. O seu início é lento, e a evolução, gradual. Ela tem como característica a perda óssea horizontal ao redor dos dentes e pode ser generalizada ou localizada.

Ela é dividida em graus de severidade e classificada por meio da mensuração de perda óssea: 1 a 2 mm é considerada leve, de 3 a 4, já passa a ser moderada, e a severa começa a partir da perda de 5 mm de osso.

Agressiva

Ocorre mais em jovens e adolescentes. É caracterizada pela perda vertical do osso e tem uma progressão muito rápida. Além disso, é hereditária e pode ser associada a bactérias virulentas altamente agressivas.

Periodontite ulcerativa necrosante

É uma forma grave da doença periodontal, que tem progressão rápida e agressiva. É ligada às bactérias virulentas e, geralmente, aparece em grupos de risco, como tabagistas, alcoólatras, pessoas soropositivas, entre outros.

Periodontite apical aguda

Esse tipo de periodontite não apresenta ligação com a má higienização; ela é conectada a traumas e leva à perda de osso alveolar perto do fim da raiz do dente. Também pode ser decorrente de um tratamento dental mal executado.

Periodontite juvenil

Ocorre geralmente entre os 11 e 13 anos e tem sua origem como hereditária. O que chama a atenção nesse tipo é a ausência de inflamação, placa e tártaro.

De que maneira é feito o tratamento?

É importante ressaltar que a periodontite não tem cura, mas existem tratamentos para controlá-la e diminuir os prejuízos que ela pode causar. O tratamento, na maioria das vezes, consiste em remover todo o acúmulo de tártaro e placa dos dentes, aprender a correta escovação, realizar limpeza profissional regular — 2 vezes ao ano — e usar o fio dental todos os dias.

Todos os tratamentos têm um único objetivo: reduzir a inflamação e tratar as causas da doença, inclusive os cirúrgicos. Pode-se abrir o tecido gengival para ter acesso à lesão e possibilitar uma limpeza mais profunda, como é o caso da redução da bolsa periodontal.

Outras intervenções cirúrgicas muito utilizadas são as de enxerto, tanto de tecido mole como ósseo, já que a periodontite causa a destruição desses tecidos na região bucal. Existem, ainda, outros tipos de cirurgia, e o dentista saberá indicar o melhor, caso seja necessário.

Você entendeu o que é a periodontite e como ela pode ser tratada? Conheceu suas causas e seus sintomas? Se você ainda precisa de informações, quer saber as melhores técnicas para preveni-la ou necessita de tratamento, entre em contato conosco! Será um prazer atendê-lo.

Postado em 24/04/2018.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter