Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Com que frequência eu devo ir ao dentista?



Ir ao dentista nem sempre é algo rotineiro de muitas pessoas — e esse descuido pode trazer graves problemas bucais. Como a prevenção é o melhor tratamento, é indispensável incluir essas visitas no seu calendário.

No entanto, você sabe com qual frequência é preciso fazer um check-up odontológico? Continue a leitura e descubra!

Crianças

O mais recomendado é procurar um dentista pediátrico quando a criança fizer 1 ano, ou no nascimento dos primeiros dentes, e, depois, seguir as recomendações de retorno de acordo com a indicação do profissional.

Conforme a criança cresce e passa pela troca da dentição, por volta dos 6 aos 8 anos, é preciso uma atenção mais próxima, já que esse é o período em que elas estão mais suscetíveis ao aparecimento de cáries.

Adolescentes

Nos adolescentes, os riscos de cárie começam a diminuir, então, as visitas podem ser mais espaçadas, por exemplo, 1 vez a cada 2 anos. Porém, é claro que tudo depende das condições de saúde do adolescente.

Nessa fase, os jovens estão suscetíveis a outras condições que merecem atenção especializada, como o acúmulo de placa bacteriana, principalmente devido à má escovação, que pode trazer determinadas questões, como a gengivite e a periodontite.

Outro motivo que costuma levar os adolescentes ao dentista é o uso do aparelho ortodôntico, já que, nessa fase, eles contam com todos os dentes permanentes. Ainda é comum a extração do dente do siso, que poderá ou não ser necessária.

Por isso, ao notar alguns sinais, como dores e incômodos na região, o melhor a fazer é buscar auxílio odontológico, para que o dentista faça radiografias e avalie a necessidade da extração, bem como a época mais indicada para isso.

Adultos


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Os adultos podem estar sujeitos a muitos problemas bucais — e nem sempre eles dão sinais claros de que estão acontecendo. Assim, visitar periodicamente o dentista poderá ajudar a diagnosticar essas questões ainda no início, tornando o tratamento mais simples.

A recomendação é de que a visita seja feita anualmente, mas, em alguns casos, esse período pode ser menor, por exemplo, a cada 6 meses, como para pessoas que têm maior tendência ao tártaro e à placa bacteriana, condições que podem favorecer o aparecimento da periodontite. O mesmo acontece com aquelas pessoas que sofrem de doenças crônicas, como o diabetes, ou de maus hábitos, como o fumo.

Geralmente, nessas visitas, seu dentista realizará um check-up da sua boca, analisando não apenas os dentes, mas também a gengiva, o palato e a língua, identificando vários problemas, como: cáries, inflamações na gengiva, estado das raízes dos dentes e até um possível câncer de boca.

Também pode ser comum que o dentista realize a limpeza profilática, com a raspagem do tártaro e uma escovação mais completa, retirando o acúmulo de placa que pode levar ao surgimento de problemas mais graves.

Idosos

Conforme envelhecemos, as visitas ao dentista podem ser ainda mais regulares. Isso porque estamos mais suscetíveis ao surgimento de vários problemas, como:

  • boca seca, devido à menor produção de saliva, além de uso de medicamentos e outros problemas de saúde;
  • sensibilidade causada, principalmente, pela retração gengival que acontece naturalmente conforme envelhecemos;
  • presença de outras doenças que podem afetar a saúde bucal;
  • cáries que podem afetar a raiz dos dentes, principalmente devido à dificuldade de escovação na terceira idade;
  • gengivite, que costuma aparecer com mais frequência a partir dos 50 anos, devido às dificuldades de escovação, à má alimentação e à presença de doenças sistêmicas;
  • dificuldades de adaptação com as próteses.

A visita ao dentista deve ser feita, ao menos, uma vez por ano no caso dos idosos. Mas é preciso buscar ajuda especializada sempre que você notar algum problema, por exemplo, gengiva sangrando e inchada, sensibilidade ou dor nos dentes, dificuldade de adaptação com as próteses etc.

Como você viu, não existe uma resposta pré-determinada sobre quando ir ao dentista, já que isso pode variar de acordo com a fase da vida ou conforme as necessidades de cada paciente. O ideal é tentar, pelo menos, fazer um check-up anual e sempre seguir as recomendações do profissional.

Você gostou deste conteúdo? Aproveite e siga nossas redes sociais para receber outras dicas: Facebook, InstagramYouTube e Twitter!

Postado em 27/02/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter