Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Fixador de dentadura: saiba como escolher o modelo mais adequado



É recorrente que pessoas relatem desconforto ou insegurança com o encaixe preciso de dentaduras. Mastigação ruim, dicção mal articulada e quedas constantes são algumas das reclamações. Por isso, usar um bom fixador de dentadura é altamente recomendável.

Esse produto reduz o deslocamento porque promove uma melhor estabilidade entre a prótese e a gengiva. Há vários modelos de fixador que podem agradar a todas as pessoas que enfrentam diversos problemas com a dentadura.

Quer saber mais? Neste artigo, você vai conhecer algumas dicas e fatores que devem ser avaliados para escolher o fixador de dentadura ideal. Também vai descobrir a importância desse item para o conforto do seu aparelho e os cuidados na hora de observar a composição do produto. Confira!

Qual a importância do fixador de dentadura?

O fixador de dentadura tem várias vantagens para quem usa esse tipo de prótese. A começar pela facilitação para mastigar alimentos, até os mais rígidos.

Isso porque, geralmente, a dentadura pode soltar quando alimentos duros ou crocantes passam pela boca. O fixador ajuda a aderir a prótese à gengiva, deixando o processo de mastigação mais eficiente.

Outra vantagem é impedir o acúmulo de alimentos no espaço entre a dentadura e a gengiva. O fixador permite prender as bordas, evitando que resíduos se depositem em regiões difíceis de limpar, facilitando a proliferação de cáries e bactérias.

Auxiliar na dicção é outro benefício importante do fixador de dentadura. Parte da nossa habilidade de falar, especialmente de maneira clara e articulada, depende da boa fixação da prótese. Se ela estiver folgada ou soltar algumas vezes, pode deixar a dicção defeituosa.

Com o uso do fixador, isso não acontece. Esse produto faz com que a dentadura estabilize na gengiva, permitindo que a pessoa fale claramente. Também devemos considerar o benefício de diminuir o risco de quebra da prótese, pois impede que ela escape da boca e caia no chão. Ou seja, há aumento de vida útil da sua dentadura.

Para quais casos é mais recomendado o fixador de dentadura?

Geralmente, as pessoas ficam com dúvidas sobre quais as situações mais adequadas para utilizar o fixador de dentadura. Por exemplo: é possível usá-lo quando tem problemas na qualidade e na quantidade da saliva?

Esse questionamento é recorrente porque sabe-se que a saliva ajuda na retenção das dentaduras. No entanto, há pessoas que têm doenças sistêmicas que afetam a produção dela. Nesses casos, há dificuldade de aderência da prótese. São nesses momentos que o fixador entra em cena e faz melhorar a retenção da dentadura.

Outro caso é quando são usadas próteses provisórias imediatas. Essas são recomendadas a pacientes que perderam seus últimos dentes. Seu uso é indicado por apenas alguns meses. Esse é o tempo necessário para cicatrização total das feridas cirúrgicas. Se esse tipo de prótese apresentar problemas de retenção, é recomendado o uso de fixador de dentadura.

Também é indicado o uso de fixador quando a prótese inferior tem o rebordo pouco retentivo. Geralmente, pessoas que não podem fazer cirurgia precisam colocar implantes que servem de encaixe de dentaduras. Para que essa prótese não deslize na hora de mastigar, o uso do fixador é recomendado.

Por fim, a dentadura frouxa é uma das mais clássicas recomendações para uso do fixador. É importante destacar que se a prótese está solta, é preciso buscar a substituição. Afinal, sabe-se que próteses mal adaptadas aumentam as chances de câncer bucal. Mas enquanto você não providencia isso, é possível usar o fixador de dentadura para deixá-la rente à gengiva.

O que considerar nos modelos de fixador de dentadura presentes no mercado?


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


É possível encontrar no mercado três tipos principais de modelos de fixadores de gengiva. O primeiro é o creme, mais pastoso e que deve ser usado com moderação para que o excesso não leve ao transbordamento.

Outro modelo é o fixador de prótese em pó. Ele promove a fixação de dentaduras totais e parciais, com duração de até 12 horas. Essa tecnologia não espalha e não transborda. O fixador em pó serve tanto para dentaduras inferiores quanto superiores.

O modelo de fixador de fita também está disponível no mercado, mas ele requer alguns cuidados. Por exemplo, a dentadura deve estar limpa e seca. Para aplicar a fica, basta retirar a fita adesiva do envelope e depois umedecê-la levemente com água.

As fitas não devem ficar muito próximas às bordas da dentadura. Isso porque é a região central da dentadura que promove maior fixação e equilíbrio. Também não se deve sobrepor as fitas. A recomendação é cortá-las em pequenas partes. Depois, basta aplicar a fita na dentadura, segurar firmemente e morder por alguns segundos.

O que avaliar na composição dos produtos?

Apesar da variedade dos modelos de fixadores de dentadura, é importante ficar atento à composição de cada material. Um detalhe fundamental é observar a presença de zinco. De acordo com alguns estudos, existem potenciais riscos do uso excessivo e prolongado do componente.

Em resposta a isso, a empresa GlaxoSmithKline (GSK) interrompeu o fornecimento de fixadores de dentaduras fabricados por ela que continham zinco. Foi uma medida voluntária e específica para um produto, o Ultra Corega Selante Anti-Partículas. Os demais continuam sendo normalmente comercializados.

Você pode estar se perguntando: mas o zinco não é parte essencial para a saúde? Depende. Há sinais de que o uso de excessivo de fixadores de próteses contendo zinco, durante muitos anos, pode ocasionar distúrbios neurológicos. Há casos em que é possível desenvolver  dormência, por exemplo.

Para aquelas pessoas que usaram o produto em excesso, é necessário interrompê-lo imediatamente. Segundo a empresa, no Brasil, o produto é comercializado há pouco tempo, portanto não foram colhidos relatos de eventos adversos associados ao seu uso.

Essas foram algumas informações sobre o fixador de dentadura. É importante destacar que os modelos apresentados anteriormente são eficazes. No entanto, cada pessoa se sente mais confortável com o modo de utilização entre as opções. Vale a pena testar cada um dos tipos. Assim, você identifica qual fixador de prótese se adapta melhor a você.

E aí, qual modelo de fixador de dentadura você prefere? Deixe um comentário no post e divida a sua experiência com mais leitores.

Postado em 07/08/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter