Placas de bruxismo: quais os tipos e como agem no tratamento? | Sorridents - Clínicas Odontológicas
Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Placas de bruxismo: quais os tipos e como agem no tratamento?



As situações de estresse e os fatores genéticos são os principais responsáveis por uma disfunção dental que afeta muitos brasileiros, o bruxismo. Para evitar o desgaste contínuo da dentição e do tecido gengival, causado pelo hábito involuntário de ranger os dentes, esse problema geralmente é tratado com a placa de bruxismo e acompanhamento profissional.

Pensando nisso, este artigo explica o que caracteriza a disfunção, para que serve a placa de bruxismo, quais são os tipos de tratamento com essa peça, quanto tempo dura o material e qual é a melhor maneira de higienizar o produto odontológico. Tem curiosidade sobre o tema, não é? Continue a leitura agora e aprenda mais sobre o assunto!

O que caracteriza o bruxismo?

O bruxismo se caracteriza pelo ato de apertar ou ranger os dentes de forma involuntária e inconsciente, principalmente durante o sono. Essa disfunção oral, bastante comum entre brasileiros, em geral é motivada por fatores congênitos, problemas psicológicos (tensão e ansiedade, por exemplo) e fechamento inadequado da boca.

A condição, que pode provocar sensibilidade dentária e causar Disfunção da Articulação Temporomandibular (DTM), deve ser diagnosticada e tratada por uma equipe de profissionais, como o cirurgião-dentista e o terapeuta ou o psicólogo.

No entanto, caso o paciente não receba o tratamento adequado, com uso constante da placa de bruxismo, o problema pode resultar em dentes soltos e desgastados, além de deixar a região da gengiva dolorida, comprometendo a função e a estética do sorriso.

Ainda que o distúrbio não provoque danos na superfície dos dentes, a placa de bruxismo comumente é indicada pelos profissionais para controlar o mal-estar e evitar que o caso se complique com o passar do tempo.

Como funciona a placa de bruxismo?

A placa de bruxismo, também chamada de placa de mordida ou placa miorrelaxante, é uma peça que ajuda as pessoas que sofrem com bruxismo a controlar os efeitos da doença, já que essa condição se manifesta de maneira involuntária. O dispositivo, feito sob medida para o paciente, protege a dentição e evita a pressão indevida sobre as arcadas dentárias.

Para que casos a placa de bruxismo é indicada?

Não é à toa que a placa de bruxismo é feita sob medida para os pacientes. O motivo é que serve exclusivamente para quem tem diagnóstico e indicação profissional para usar esse dispositivo específico. Por isso, pessoas que apresentam sintomas comuns da disfunção, como dores na dentição e na cabeça, além de desgaste na parte inferior dos dentes, devem fazer uma avaliação odontológica com urgência.

Quais são os tipos de placa de bruxismo?

Até esse momento, você já sabe para que serve a placa de bruxismo. Então veja agora os tipos de dispositivos disponíveis no mercado odontológico para tratar essa disfunção.

Acrílica

A placa em acrílico, ou oclusal, como também é conhecida, é indicada para a maioria dos pacientes que sofrem com bruxismo. O material, por ser liso, protege a superfície dos dentes e controla o ato de ranger involuntariamente a dentição.


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


O acrílico também tem efeito sobre a retração da mandíbula, por isso é moldado exatamente para replicar os movimentos de abertura e fechamento da boca (função oclusiva).

Silicone

Em comparação com o acrílico, a placa de silicone é mais macia e se adapta facilmente à arcada dentária. Contudo, a indicação para esse tipo de dispositivo é bastante restrita, sendo recomendada para pacientes com bruxismo cêntrico . O motivo é que o material aumenta a pressão nos músculos da mastigação, controlando os sintomas.

Quanto tempo dura a placa para tratamento de bruxismo?

Apesar de ser uma questão comum entre os pacientes, é difícil ter uma resposta exata sobre a durabilidade da placa de bruxismo, porque o tempo útil depende de alguns fatores, como:

  • espessura do material;
  • tipo de dispositivo usado no tratamento, que pode ser danificado por bactérias caso o paciente não faça a higienização bucal adequada;
  • número de dentes em contato com a peça odontológica;
  • gravidade da disfunção.

Mas, de maneira geral, os dentistas têm a expectativa de que a placa de bruxismo dure, em média, seis meses. O tempo de durabilidade da peça pode chegar a um ano, caso o paciente seja extremamente cuidadoso com o tratamento, limpando a peça e seguindo o passo a passo explicado pelo especialista.

Qual é a maneira mais adequada de higienizar a peça?

Pacientes que sofrem com o bruxismo devem ter um cuidado redobrado com a saúde bucal, mantendo a escovação e o uso do fio dental diariamente. Além disso, é preciso higienizar a placa da maneira correta, escovando a peça com escova de dentes e creme dental, para eliminar resíduos orgânicos e proteger o material da exposição à saliva.

Depois da lavagem e secagem, é necessário guardar no estojo específico, que armazena a placa de bruxismo enquanto não está em uso. O estojo evita que o dispositivo entre em contato com impurezas, que podem deixar o material com um aspecto amarelado ou manchado, reduzindo a durabilidade e a eficiência nas arcadas dentárias.

Por que se consultar com profissional para tratar bruxismo?

O dentista ajuda a identificar e a tratar o bruxismo, já que examina e indica um tratamento adequado para o paciente. Nesse caso, o diagnóstico é imprescindível para chegar a uma terapia eficiente para controlar essa condição, que pode ocorrer em três fases: ausente; estado leve a moderado; e grau de desgaste severo.

Além do cirurgião-dentista, a pessoa também pode precisar de outros profissionais, principalmente quando sofre com ansiedade e distúrbios psicológicos.

Neste post, você entendeu como a placa de bruxismo, feita de acrílico ou de silicone, ajuda o paciente diagnosticado com essa condição e evita o desgaste contínuo da dentição e do tecido gengival. Por esse motivo, ao sentir qualquer sintoma da doença, o indicado é procurar ajuda profissional para iniciar o tratamento adequado o quanto antes e ganhar mais qualidade de vida.

O artigo de hoje foi útil para você? Se sim, aprenda mais sobre as estruturas dentárias e disfunções que podem comprometer o seu sorriso. Descubra, agora, os principais mitos difundidos pelo senso comum sobre saúde bucal!

Postado em 03/03/2021.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter