Ética e marketing odontológico: qual a importância dessa relação? | Sorridents - Clínicas Odontológicas

Conheça mais sobre os nossos modelos de franquia.

Ética e marketing odontológico: qual a importância dessa relação?



Com a grande concorrência no mercado de serviços odontológicos é cada vez mais comum o uso de estratégias de marketing para destacar o trabalho de dentistas e clínicas. Por isso, a relação entre ética e marketing odontológico é um ponto que deve ser debatido entre os profissionais da saúde bucal.

Você sabe a importância de ações de divulgação para estabelecer e expandir sua clínica odontológica, mas já parou para avaliar o que pode ou não ser feito? E, ainda, quais os efeitos que o marketing tem em seu trabalho como dentista do ponto de vista ético?

Neste artigo vamos falar um pouco sobre ética e ações de marketing na odontologia, bem como o que é ou não permitido no momento de divulgar sua clínica odontológica. Vamos lá?

O código de ética e o marketing odontológico

Em 1971 foi elaborado o primeiro manual com os direitos e as normas a serem seguidas pelo dentista. Esse Código de Ética Odontológico (CEO) também tem o intuito de garantir a integridade e segurança dos pacientes.

Naquela época, as estratégias utilizadas pelos dentistas na divulgação da odontologia não contavam com as ações de marketing desenvolvidas nas últimas décadas.

Isso sem falar no desenvolvimento da internet, que permitiu, por exemplo, o agendamento de consultas online. Além disso, o ambiente digital se firmou como uma ferramenta de promoção e interação com pacientes e pacientes em potencial.

Assim, as regras do CEO foram sofrendo ajustes ao longo dos anos. Especialmente a partir dos anos 2000 houve uma série de regulamentações a respeito do marketing odontológico. A mais recente novidade é a resolução 196/2019, que trouxe pontos permitidos e proibidos a respeito da publicidade de sua clínica odontológica.

Você vai conhecer essas mudanças promovidas pelo Conselho Federal de Odontologia a seguir. 

O que é permitido?

As novidades da nova resolução foram realizadas com o intuito de modernizar a atuação dos profissionais de odontologia. E a maioria delas diz respeito à divulgação do dentista ou da clínica no ambiente digital

Agora você confere os pontos que foram flexibilizados. Preparado?

Sobre o uso de imagens e vídeos

Um dos principais objetivos do marketing odontológico é fortalecer sua marca e transformar sua clínica em uma referência no setor. Outro ponto importante, possível com a divulgação, é apresentar resultados reais dos tratamentos.

E nada melhor que o uso de imagens para mostrar esses resultados. Pensando nisso, o Conselho Federal de Odontologia estabeleceu algumas regras sobre a adoção de recursos visuais na divulgação da prática odontológica e dos serviços oferecidos por sua clínica.

Selfies

Elas estão por toda parte e não há quem resista a fazer uma selfie, não é mesmo? Depois da resolução 196/2019, o dentista está autorizado a divulgar os autorretratos realizados sozinho ou com os pacientes

Esta é uma excelente maneira de mostrar aos clientes em potencial o seu bom relacionamento com os pacientes. O que também ajuda a mostrar sua preocupação com a satisfação do cliente.

Contudo o cuidado ético não pode ser negligenciado. Antes de postar a imagem nas redes sociais da sua clínica odontológica, você precisa da autorização do paciente ou do representante legal e da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, o TCLE.

Imagens de “antes e depois”


Quero ser franqueado


As imagens do tipo “antes e depois” são uma sensação nos ambientes digitais. De casas até as transformações de pessoas em processo de emagrecimento, essas imagens atiçam a curiosidade dos internautas. 

Não é diferente quando o tratamento em questão é odontológico, mas as imagens “antes e depois” eram proibidas no marketing do setor. A boa notícia é que a resolução 196/2019 liberou a utilização de imagens referentes ao diagnóstico e resultado final dos tratamentos realizados pelos profissionais de odontologia.

Essa medida contribui significativamente na promoção do marketing de sua clínica. Primeiro, porque é possível apresentar de modo claro os resultados possíveis de determinado tratamento. Isso pode estimular pessoas com o mesmo problema a procurar atendimento.

As imagens podem revelar a qualidade do seu serviço e sua habilidade profissional. Consequentemente, você fortalece sua marca e pode se transformar em referência na área. Além disso, não se esqueça da autorização e assinatura do TCLE.

Identificação das imagens e vídeos

Outro ponto importante quanto às fotos e vídeos utilizados nas ações de marketing em sua clínica é sobre a identificação do profissional nas imagens.

Mesmo em fotografias em que você não aparece, é obrigatória a indicação do seu nome e número de inscrição no Conselho Regional de Odontologia.

O que é proibido nas ações de marketing?

Apesar de certa flexibilidade quanto às ações de promoção das atividades dos dentistas e das clínicas odontológicas, a resolução 196/2019 trouxe algumas proibições. Elas se acrescentam a pontos já abordados anteriormente no Código de Ética Odontológica.

Conheça as novidades e relembre alguns impedimentos no marketing odontológico. 

Sobre o uso de imagens e vídeos

É proibida a utilização de qualquer imagem que permita a identificação de tecidos biológicos, equipamentos e outros recursos no marketing odontológico

Também está vetada a divulgação promocional de imagens ou vídeos durante o procedimento. A publicação desse conteúdo só é permitida quando utilizada em publicações científicas.

Sobre o uso de expressões faladas ou escritas

Infelizmente, algumas ações de marketing não são de boa-fé, anunciando produtos e serviços que nem sempre correspondem à realidade. E, por isso, permanece proibido o emprego de expressões que podem indicar promessa de resultado, autopromoção, sensacionalismo, concorrência desleal ou a mercantilização da Odontologia.

Do mesmo modo, estão proibidos os anúncios de serviços que não foram cientificamente comprovados, além da apresentação de títulos, especialidades e qualificações que o profissional não tenha.

Sobre o sigilo profissional

Este é mais um ponto que permanece inalterado. Continua expressamente proibida a apresentação de casos clínicos nos quais é possível reconhecer o paciente, sem a devida autorização.

Neste artigo você viu como a ética profissional se relaciona com as ações de marketing na odontologia. Conheceu também as práticas permitidas com a resolução 196/2019 do Conselho Federal de Odontologia que ajudam na divulgação de sua clínica. Por fim, conferiu algumas limitações que o CFO impõe à publicidade odontológica. Por isso, é importante estar atento ao Código de Ética, para não desrespeitar a relação dentista-paciente ou sofrer sanções.

Gostou deste conteúdo sobre ética e marketing odontológico? Que tal seguir a gente nas redes sociais para ficar por dentro deste e de outros assuntos? Estamos no Facebook e no LinkedIn esperando por você.

Postado em 20/02/2020.


Compartilhe

Siga-nos no facebook

Siga-nos no Linkedin

Siga-nos no Linkedin