Conheça mais sobre os nossos modelos de franquia.

6 melhores indicadores financeiros para sua clínica odontológica



Os indicadores financeiros consistem em métricas de desempenho, que são alcançadas por meio dos vários demonstrativos financeiros que se relacionam com um determinado negócio. Eles são dados essenciais para ajudar no planejamento e elaboração de novos métodos no mercado de trabalho.

Desse modo, a principal finalidade desses indicadores é elaborar aos empresários uma boa base de informações para efetuar uma boa tomada de decisão e ajudar na realização de uma avaliação eficiente relacionada à situação financeira de sua organização.

Assim, é possível perceber com mais clareza os principais pontos fortes e pontos fracos de sua clínica odontológica no que diz respeito aos aspectos que proporcionam um maior retorno e àqueles que ocasionam uma elevada quantidade de gastos.

Continue a leitura e conheça os 6 melhores indicadores financeiros para sua clínica odontológica!

1. Custos fixos e variáveis

Os custos fixos mostram quais são os gastos contínuos da instituição, em outras palavras, aqueles que não sofrem alterações e, independentemente do que aconteça, precisam ser pagas no decorrer do processo.

A maneira mais eficaz de saber se um custo é fixo é perceber que ele não muda muito em relação à produção. Nesse sentido, pode considerar custo fixo o aluguel de um espaço, gastos com atendentes ou limpeza ou até mesmo o seguro da organização e os impostos.

Já os custos variáveis correspondem àqueles que mudam proporcionalmente à quantidade de produção ou atividades produtivas do consultório. Ou seja, seus valores são relacionados com o volume produzido, que, por sua vez, vai mudar de acordo com volume de serviços efetivados em um determinado período.

Dessa forma, é essencial conhecer os custos fixos e variáveis para compreender quanto os profissionais de uma clínica odontológica precisam trabalhar apenas para cobrir os gastos e, então, obter uma excelente lucratividade.

2. Liquidez corrente

A liquidez corrente demonstrará o valor monetário que um consultório tem para receber a curto prazo, relacionado ao valor que necessita pagar no mesmo período de tempo.

Isto é, basicamente, indicará as condições que a empresa apresenta para cumprir com suas obrigações em longo prazo. É calculada por meio do ativo circulante dividido pelo passivo circulante. Conheça a fórmula para conhecer a liquidez corrente:

  • liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante.

Diante o resultado alcançado, o empreendedor pode tirar as seguintes conclusões: 

  • maior que 1: mostra que existe um valor disponível para uma possível liquidação das obrigações;

  • igual a 1: as obrigações e o direito a curto prazo são iguais;

  • menor que 1: a instituição não apresentaria um dinheiro disponível para pagar todas as exigências solicitadas a curto prazo, caso fosse preciso.

3. Retorno sobre investimento

O retorno sobre investimento refere-se a um indicador financeiro que calcula o retorno total dos investimentos efetuados. Ou seja, é a soma do capital próprio aumentado do capital de terceiros.

O retorno sobre o capital investido (ROIC) é medido por meio da relação entre o resultado líquido da organização menos os dividendos, dividido pelo preço contábil do capital. O ROIC mostra, em termos percentuais, quanto dinheiro a empresa tem capacidade de gerar com o capital investido.


Quero ser franqueado


Assim sendo, ele se torna um indicador bastante amplo, capaz de mostrar com exatidão o desenvolvimento financeiro de seu consultório. A fórmula para calculá-lo é:

  • ROIC = NOPAT / valor contábil do capital investido.

4. Margem de contribuição

A margem de contribuição refere-se a quanto da venda de cada serviço ou produto será destinado para que a organização cubra todos os custos e gastos fixos e ainda gere lucro.

Saber qual é a margem de contribuição que as vendas proporcionam é primordial para o planejamento de qualquer clínica e importante para poder tomar decisões relacionadas a investimentos e expansão. Caso a margem não seja boa o suficiente, o negócio pode estar vendendo bastante e, mesmo assim, tendo um elevado prejuízo.

Para efetuar o cálculo, é preciso que a empresa tenha os custos e as despesas separados em fixos e variáveis. Assim, é importante destacar que as variáveis correspondem aquelas que não estão associadas à produção, mas elevam-se em função do aumento de atendimentos, tais como o pagamento dos profissionais. Para conseguir realizar esse cálculo, basta utilizar a seguinte fórmula:

  • margem de contribuição = preço de venda – (custo variável + despesa variável).

5. Ponto de equilíbrio

Após compreender a diferença entre gastos fixos e variáveis e saber sobre a margem contribuição, você poderá entender também um dos principais indicadores financeiros de uma instituição, ou seja, o ponto de equilíbrio.

Desse modo, o ponto de equilíbrio consiste na quantidade de receita de que um consultório necessita para cobrir todos os seus custos e despesas.

É fundamental compreendê-lo, para que se possa saber o quanto é preciso vender, no mínimo, não ocasionando nem lucro, nem prejuízo, para que a clínica odontológica não precise de outros meios para cumprir com seus compromissos. É muito utilizado para estabelecer os objetos de vendas.

Para conseguir fazer o cálculo, é necessário somar as despesas fixas com as despesas financeiras e dividir pela porcentagem da margem de contribuição. Então, a fórmula para calcular o ponto de equilíbrio é:

  • ponto de equilíbrio = despesas fixas / margem de contribuição.

6. Margem líquida

A margem líquida será capaz de mostrar o que sobrou do valor de vendas após a compreensão de todos os gastos e a avaliação de todas as despesas, incluindo o Imposto de Renda.

Dessa forma, a margem líquida deixa esclarecido qual é o lucro líquido para cada unidade de venda da organização. Sendo assim, quanto maior for a margem líquida, mais elevado será o restante que a instituição terá após o recebimento de todas as consultas a e a retirada de todas as taxas.

Esse indicador financeiro pode ser calculado por meio do lucro dividido pela receita líquida de vendas e precisa ser representado pela seguinte fórmula:

  • margem líquida = (lucro líquido / vendas) x 100.

Portanto, os indicadores financeiros mencionados podem ser facilmente calculados. O necessário é que a clínica odontológica tenha um sistema que permita o melhor gerenciamento dessas informações, bem como sua exposição, de forma que ajude os gestores a realizar sua análise para, assim, compreender em profundidade a situação financeira de sua clínica. Logo, é preciso que o gestor entenda quais são esses indicadores e consiga agir conforme as necessidades do seu negócio.

Gostou da leitura e tem outras dicas? Então, deixe seu comentário no post e compartilhe a sua experiência no assunto!

Postado em 13/03/2020.


Compartilhe

Siga-nos no facebook

Siga-nos no Linkedin

Siga-nos no Linkedin