Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Sintomas, causas e tratamento para sensibilidade dos dentes



Sensibilidade nos dentes

Você costuma sentir desconforto quando toma uma bebida gelada? Sente dor quando escova os dentes ou passa o fio dental? Se a resposta é sim, você pode sofrer de sensibilidade nos dentes.

A sensibilidade nos dentes é uma das queixas mais frequentes dos pacientes nos consultórios odontológicos. Mais da metade dos brasileiros sofrem dessa condição.

A sensibilidade dentária ocorre quando a camada externa do esmalte do dente se desgasta ou a gengiva retrocede, deixando a dentina ou a raiz do dente exposta. A sensibilidade pode afetar um ou mais dentes. A sensação pode ser semelhante a um calafrio e envolver, até mesmo, uma dor aguda e severa.

Os episódios de sensibilidade são mais comuns ao ingerir alimentos quentes, frios ou ácidos. Em casos de extrema sensibilidade, isso pode se manifestar com algo tão leve quanto respirar ar frio.

Sintomas

Quando há sensibilidade nos dentes, a dor é intensa, embora de duração muito curta, manifestando-se apenas quando em contato com o estímulo que provoca a dor.

Existem 3 grupos de estímulos que causam a sensibilidade:

  • Estímulos térmicos: quando comemos alimentos frios ou quentes (café ou sorvete);
  • Estímulos osmóticos ou químicos: quando consumimos alimentos açucarados ou ácidos (doces ou frutas cítricas, por exemplo);
  • Estímulos táteis ou mecânicos: ao escovar os dentes e usar fio dental ou com o contato de algum outro objeto nos dentes.

 

A sensibilidade nos dentes pode ser confundida com outras patologias. Se a dor não é detectada como resultado do contato com um estímulo externo, ou é difícil de localizar, então o diagnóstico não é de sensibilidade dentária. Neste caso, continua sendo igualmente importante consultar um profissional da área, para que seja realizado o diagnóstico adequado.

Causas

A seguir, são apresentadas as dez principais causas e os passos que se deve tomar para aliviar os sintomas:

  • Escovar os dentes com muita força. Causa uma abrasão excessiva e desgasta o esmalte, expondo a dentina, o que causa a sensibilidade dentária. A solução mais simples é mudar para uma escova de cerdas macias e escovar com movimentos leves;
  • Ingerir bebidas e alimentos ácidos. Refrigerantes, frutas cítricas e doces desencadeiam o processo de desgaste do esmalte dos dentes, portanto, devem ser consumidos com moderação, realizando a escovação sempre após o seu consumo;
  • Apertar ou ranger os dentes. Esse hábito desgasta o esmalte e expõe a dentina, devido ao ato de compressão dos tubos e canalículos dentinários, que transmitem essa força aos nervos. Uma boa solução é utilizar um protetor bucal que proteja os dentes enquanto se está dormindo, sendo indicado e confeccionado pelo cirurgião dentista;
  • Usar pastas de dentes branqueadoras. As chamadas pastas branqueadoras geralmente contêm elementos abrasivos que desgastam e corroem o esmalte dentário. Recomenda-se trocar o creme dental, seguindo as recomendações do dentista;
  • Usar certos tipos de enxaguantes bucais. Alguns desses produtos contêm álcool e outras substâncias químicas que irritam as gengivas e causam sensibilidade nos dentes se a dentina estiver exposta. A solução é a troca do enxaguante bucal por um fluoretado e sem álcool;
  • Periodontite e gengivas retraídas. A retração gengival expõe o terço cervical do dente, em direção a raiz, onde a espessura do esmalte é menor ou inexistente. Quando essa área é exposta, geralmente, ocorre um aumento na sensibilidade dos dentes. A solução é tratar a doença periodontal e selar as áreas que foram expostas;
  • Cáries. É um processo bacteriano que inicia com a cavitação do esmalte, atingindo a dentina, podendo chegar à polpa em um estágio mais avançado. Indica-se o tratamento restaurador/endodôntico dos dentes afetados e a prevenção das cáries com a prática da boa higiene e visitas regulares ao dentista;
  • Realizar tratamento odontológico. Ao realizar uma profilaxia, pode ocorrer hipersensibilidade dentária por alguns dias, que poderá ceder ou não. Caso persista, deve-se consultar um dentista para adequação de creme dental e medicação adequada. O sucesso da profilaxia depende da boa prática da higiene bucal diária;
  • Dente lascado ou fraturado. Um dente lascado ou fraturado deve ser avaliado pelo profissional para que se aplique o tratamento correto; esta situação causa dor e sensibilidade;
  • Restauração dental comprometida. Se as mesmas não forem bem feitas pode ocasionar fraturas ou infiltrações, independentemente do tempo em que foram realizadas. Para estes casos, deve se procurar o profissional para avaliação e realizar novo procedimento de restauração.

 

Seja qual for a origem da sensibilidade nos dentes, ela pode ser tratada. Para alguns casos, é suficiente usar cremes dentais projetados para aliviar os sintomas. No entanto, isso não se aplica para situações mais complexas, onde a avaliação de um profissional é de extrema importância para realização do tratamento adequado.

Sensibilidade nos dentes por clareamento

Após o clareamento, algumas pessoas relatam sofrer de sensibilidade nos dentes de forma transitória. Depois de muitos anos de pesquisa, os materiais e os protocolos profissionais utilizados em processos de branqueamento se tornaram seguros e eficazes.

Alguns pacientes desenvolvem sensibilidade, dependendo do estado de sua saúde bucal. Então, antes do processo de branqueamento, orienta-se avaliar as causas da sensibilidade, realizar o tratamento adequado, e aguardar para a realização do clareamento.

A sensibilidade dentária ocorre quando a dentina está exposta e recebe estímulos externos. No caso do clareamento dental, os agentes utilizados para o tratamento dilatam os poros do esmalte, penetrando e atingindo a dentina que, por sua vez, dilatam seus canalículos apresentando uma sensibilidade durante o tratamento.

No entanto, ao final do clareamento, a sensibilidade deve diminuir dentro de 48 horas.

A sensibilidade dos dentes deve ser tratada tanto durante quanto após o tratamento de clareamento. Esta medida deve ser tomada para que a dor da sensibilidade não dificulte ou paralise a higienização bucal. Se isso ocorrer, poderão surgir outras patologias, como cáries, doença periodontal, entre outras.

Sendo assim, durante e logo após o tratamento de clareamento, recomenda-se:

  • Não consumir alimentos ácidos e/ou bebidas carbonatadas e coloridas. No caso de consumi-los, de acordo com o Prof. Alan Carr, consultor da Divisão de Próteses e professor da Mayo Clinic College of Medicine, recomenda-se aguardar pelo menos 30 minutos antes da escovação, para permitir que a saliva neutralize os ácidos;
  • Evitar alimentos e bebidas muito frios ou muito quentes;
  • Corrigir os maus hábitos como usar palitos ou cortar o fio dental com os dentes;
  • Não fumar;
  • Utilizar escovas de dentes com cerdas macias para reduzir a dor durante a escovação;
  • Utilizar cremes dentais para dentes sensíveis com agentes dessensibilizantes que ajudarão a proteger os seus dentes dos estímulos externos. A última inovação em cremes dentais para a sensibilidade dentária, inclui substâncias específicas que selam os túbulos expostos e reparam o esmalte dos dentes;
  • Usar um enxaguante bucal específico, com flúor e sem álcool, que complementa a ação do creme dental e mantém as substâncias ativas por mais tempo na boca;
  • Ir ao dentista periodicamente, de modo a prevenir e tratar qualquer problema que possa surgir.

Tratamento

Se a sensibilidade é devida à cárie, um tratamento restaurador pode ser necessário.

Se, por outro lado, a causa for gengivite, o cirurgião dentista pode realizar um tratamento para reparo da área afetada. O tratamento pode abranger desde uma limpeza da área, cirurgia, e o uso de medicamentos, mas também o paciente deve mudar seus hábitos de higiene oral, utilizando fio dental todos os dias, e técnica de escovação apropriada, conforme orientação profissional do seu dentista.

No entanto, se a causa é pertinente à exposição da dentina, há muitos tratamentos profissionais que podem ser empregados para reduzir a sensibilidade dentária.

Procedimentos possíveis na clínica odontológica:

  • Aplicação de verniz fluoretado nas áreas expostas, para se formar uma camada protetora e reduzir ou eliminar a sensibilidade;
  • Aplicação de flúor, em espuma ou gel, para fortalecer as áreas atingidas;
  • Realização de tratamento restaurador preventivo na área afetada, para eliminação da sensibilidade, com o uso de resinas restauradoras, selando assim a superfície da dentina, promovendo uma barreira aos estímulos que causam sensibilidade.

 

Em casa:

  • Escovar os dentes adequadamente, conforme orientação profissional de um cirurgião dentista;
  • Usar uma escova de cerdas macias, junto a cremes dentais, indicados pelo profissional da área, que contenham em sua composição óxido de zinco, acetato de estrôncio e fluoreto de sódio, que auxiliará na diminuição da hipersensibilidade dentária.

 

Procure sempre a ajuda de um profissional – não tente diagnosticar o problema sozinho! Isso pode ser um sinal de algo mais sério e apenas um profissional especializado pode identificar sua real natureza.

Dentes sensíveis na gravidez


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Durante a gravidez, as alterações hormonais no corpo da mulher são os principais causadores da sensibilidade dentária. Da elevação no fluxo de sangue à hiperatividade hormonal, a gravidez tem as suas próprias complexidades. As mais frequentes causas para essa condição incluem:

  • Os hormônios: na gravidez afetam decisivamente a forma pela qual o organismo reage às bactérias, o que pode levar a dores nas gengivas, infecção periodontal seguida de sangramento, vermelhidão e edemas, e sensibilidade dentária;
  • O aumento do fluxo sanguíneo: o corpo está trabalhando horas extras para apoiar a mãe e o futuro bebê, o que resulta em aumento do fluxo sanguíneo no corpo. Isso pode deixar as gengivas inflamadas e os dentes mais sensíveis. Alimentos frios e quentes, portanto, podem gerar desconforto, mesmo que nunca tenha experimentado sensibilidade antes.

Como se prevenir?

Embora a gravidez possa limitar alguns produtos da intervenção medicinal frequentemente usados para tratar as dores dos dentes e gengivas, com muito cuidado e atenção, é possível manter o sorriso saudável durante os nove meses pré-natais.

Ao manter todos os hábitos de higiene indicados até este ponto, é possível permanecer saudável e livre de dores. Aqui estão quatro coisas que se pode fazer durante a gravidez:

  • Escolher uma escova de cerdas macias: além de limpar com cuidado e suavidade entre os dentes, uma boa escova pode contribuir para reduzir a inflamação e o sangramento das gengivas no futuro;
  • Observar a condição dos alimentos que causam sensibilidade: É melhor evitar alimentos com temperaturas extremas (quentes ou frios), que desencadeiam a dor da sensibilidade. Na maioria dos casos, a sensibilidade desaparece após a gravidez, portanto, qualquer sensibilidade subsequente deve diminuir, o que permitirá que se desfrute de alimentos quentes e frios novamente em um futuro próximo;
  • Alimentação equilibrada: dosar a quantidade de consumo de açúcar é importante pois reduz a possibilidade de ação das bactérias na boca, o que pode levar à cárie dentária e aumentar a sensibilidade; durante a gravidez, deve-se obedecer a dieta recomendada pelo médico;
  • Consulte o dentista: mesmo durante a gravidez deve-se procurar o dentista para um check-up regular, mantendo-se o sorriso saudável. Informar ao dentista sobre a gestação, para que sejam tomadas as precauções apropriadas para salvaguardar a saúde do bebê.

 

É verdade que a gravidez significa um período de mudança, especialmente para o corpo da mulher. Mas não é necessário suportar qualquer desconforto bucal. Conversar com o obstetra/ginecologista para receber sugestões de medicações seguras e para se certificar de que a sensibilidade nos dentes não incomodará pelos nove meses.

Com constante orientação profissional e cuidados pessoais, se poderá desfrutar da gravidez sem preocupações com efeitos dentários secundários.

Creme dental para sensibilidade nos dentes

Os produtos que estão atualmente disponíveis no mercado e que são voltados à sensibilidade nos dentes podem ser considerados, de modo geral, bastante eficazes. Os cremes dentais que podem ser incluídos nessa categoria são compostos, principalmente, de:

  • Nitrato de potássio, que elimina a sensação de dor do dente;
  • Monofluorfosfato de sódio, que ajuda a remineralizar o esmalte;
  • Fluoreto de sódio, que impede o surgimento de cáries;
  • Flúor.

 

Estes compostos estão presentes em quase todos os cremes dentais para a sensibilidade dentária. Apresentamos a seguir a composição de dois cremes dentais disponíveis no mercado que, segundo seus fabricantes, promovem o alívio da sensibilidade.

O primeiro possui dupla ação dessensibilizante, contando, em sua fórmula, com nanopartículas de hidroxiapatita de cálcio e nitrato de potássio, que impedem a transmissão de estímulos externos (como frio e calor) para as terminações nervosas dos dentes.

As nanopartículas de hidroxiapatita de cálcio (elemento natural do dente que assegura a completa integração com o esmalte) são depositadas na superfície do esmalte, selando os túbulos dentinários expostos. Consequentemente, forma-se uma película de proteção muito resistente, capaz de impedir a transmissão de estímulos externos que causam a dor e a sensibilidade, e também promovem a reparação do esmalte dos dentes.

Segundo o fabricante, utilizando esse produto três vezes ao dia, não demorará muito para se obter excelentes resultados, o qual pode ser acompanhado, após a escovação, de enxaguante bucal específico, para obter uma eficácia ainda maior. Se optar por isso, lembre-se de não dissolver o enxaguante na água, pois isso reduz substancialmente o seu efeito.

No uso de cremes dentais com esses componentes, observou-se menor geração de espuma durante a escovação, o que não significa que este tipo de produto não é eficiente e eficaz no combate a dor e a sensibilidade.

Outro creme dental, de uso diário, apresenta-se com sabor de menta, é composto por acetato de estrôncio e tecnologia usada no campo da regeneração óssea, segundo informações do fabricante.

Este inovador componente de fosfato de cálcio localiza as áreas sensíveis, utilizando elementos naturais do dente para criar uma camada mineral similar à hidroxiapatita sobre as regiões expostas da dentina, reparando assim os dentes sensíveis e aliviando as dores associadas à sensibilidade.

Recomenda-se a consulta ao dentista para prescrição do creme dental que terá o composto adequado para solucionar a sensibilidade dentária.

Como aliviar a dor?

Sabe-se que a sensibilidade dentária causa vários níveis de dor. As pessoas que apresentam sensibilidade, conforme os casos apontados neste artigo, devem procurar o cirurgião dentista para uma avaliação detalhada e a prescrição correta do melhor tratamento a ser feito.

Com o diagnóstico preciso, o dentista poderá prescrever desde o uso de um creme dental, tratamentos clínicos, e também o uso de medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios.

Para os cremes dentais devem ser observados aqueles com os compostos indicados anteriormente.

Os tratamentos clínicos serão avaliados pelo profissional para cada caso específico, podendo ser realizados procedimentos desde uma profilaxia com aplicação de flúor, até um tratamento invasivo como uma restauração ou mesmo cirurgia periodontal.

No caso da prescrição medicamentosa, geralmente faz-se o uso de analgésicos para alívio da dor, sempre observando-se as condições específicas de cada paciente (verificando se o mesmo tem alergias, se é hipertenso, diabético ou cardíaco).

O mesmo se faz para a indicação do uso de anti-inflamatórios, se for necessário, deve-se entrar em contato com o médico que acompanha o paciente para juntos definirem um prognóstico de qual medicação será mais adequada.

É importante mencionar que não se deve automedicar, procurando sempre os profissionais de saúde para prescrição do medicamento correto para o tratamento.

Postado em 15/03/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter