Agende a sua avaliação
Ou agende pelo telefone 0800 601 1520

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Entenda os perigos do refluxo ácido para a saúde bucal


Refluxo ácido

Cuidar da saúde de toda a família nem sempre é uma tarefa simples. Apesar de todo cuidado com consultas, exames, vacinas e medicamentos, vez ou outra ainda surge alguma questão. O refluxo ácido, por exemplo, muitas vezes passa despercebido e pode trazer diversas complicações.

Por isso, é preciso estar sempre atento a qualquer risco que possa comprometer a qualidade de vida, desde a primeira infância até a terceira idade. Buscar informações e orientação qualificada é sempre a melhor alternativa.

Leia o post a seguir com as principais dúvidas sobre o assunto e entenda melhor os perigos do refluxo ácido para a saúde bucal.

O que é refluxo ácido?

Também conhecido por refluxo gastroesofágico, ele geralmente vem com aquela sensação de que a refeição não caiu muito bem. Então, surgem sintomas comuns como queimação, azia, boca ácida e parte do que foi ingerido costuma voltar à boca.

De fato, é uma situação bastante desagradável e, se ocorrer com uma certa frequência, deve ser analisada por um profissional especializado. Esse retorno do suco ácido causa inflamações, e com o tempo pode favorecer, inclusive, o aparecimento de um câncer.

Quais são suas principais causas?

Entre os motivos que causam o refluxo ácido está o desequilíbrio que pode ocorrer nas barreiras antirrefluxo. Uma válvula chamada esfíncter fica desregulada e aberta, quando deveria fechar-se após permitir que o alimento vá para o estômago. Por isso, acaba acontecendo de o suco ácido ou de restos de alimentos voltarem ao esôfago.

A obesidade também é um fator de risco, quando o excesso de gordura acaba impedindo a passagem dos alimentos e do suco gástrico pelos órgãos durante a digestão.

Além disso, existem os fatores agressores das práticas alimentares, como a acidez acentuada e o alto volume gástrico. Dessa maneira, algumas mudanças no estilo de vida e de hábitos podem ser favoráveis ao desaparecimento do refluxo.

Por que o tratamento é importante?

O diagnóstico do problema pode ser feito após análise do médico e da realização de alguns exames, como a endoscopia. A partir de então, é essencial iniciar o tratamento, de preferência com o acompanhamento conjunto de um médico especializado, um dentista e um nutricionista.

Na maioria das vezes, mudanças de comportamento e medicamentos específicos bastam para reverter e solucionar o caso. Contudo, há ainda a opção da cirurgia para tentar corrigir situações mais graves.

De qualquer forma, procurar ajuda é fundamental, pois ao longo do tempo o quadro pode evoluir e ocasionar dores, dificuldade para alimentar-se, problemas bucais e até câncer.

Como o refluxo ácido afeta a saúde bucal?

É muito comum que o refluxo ácido cause danos à saúde bucal tanto crianças como de adultos. A acidez elevada na cavidade oral costuma gerar:

Mesmo mantendo uma boa rotina de higiene bucal, tais problemas podem acontecer. Logo, o tratamento odontológico é tão importante quanto o gástrico. O ideal é não deixar que o grau de desgaste dos dentes fique muito elevado, o que prejudica o sorriso e dificulta a reabilitação oral.

Como posso evitar o problema?

Mudando alguns hábitos rotineiros as chances de o refluxo ocorrer podem ser reduzidas. Dentre as atitudes que podem ser tomadas no dia a dia estão:

  • Fazer pequenas refeições no decorrer do dia em vez de comer muito de uma só vez, principalmente antes de dormir;
  • Comer com calma, mastigando bem e sem ingerir líquidos junto com as refeições;
  • Evitar alimentos muito ácidos e picantes, como pimenta e frutas cítricas;
  • Evitar substâncias nocivas como álcool, tabaco e cafeína em excesso.

Embora tais medidas sejam recomendáveis, é sempre bom lembrar que apenas profissionais especializados podem avaliar cada caso, prescrevendo orientações e medicamentos.

Conseguiu aprender um pouco mais sobre o refluxo ácido? Fique sempre atento aos sintomas mais comuns e, se ainda restou alguma dúvida, deixe um comentário!

Postado em 23/12/2016.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter