Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Entenda o que são cáseos amigdalianos e como tratá-los



Nas relações pessoais, no trabalho, entre os amigos ou com a própria família, o mau hálito pode causar um grande desconforto, não é mesmo? E existem diversas razões para a existência desse efeito desagradável.

Uma dessas ocorrências, que tendem a afastar as pessoas do convívio do indivíduo portador, são os cáseos amigdalianos. Você já ouviu falar deles?

Pode ser que você nunca tenha escutado essa expressão e não tenha a menor ideia do que se trata. No entanto, com certeza você sabe a que ela se refere. Para entender o que são os cáseos amigdalianos e como tratá-los, continue neste post!

O que são os cáseos amigdalianos?

Parece estranho, mas esse é o nome dado às bolinhas brancas que aparecem nas amígdalas, ao lado e no fundo da garganta. São constituídas por um biofilme de bactérias, células descamadas da mucosa, proteínas da saliva e restos de alimentos.

O nome principal vem de caseum, que, em latim, significa queijo. Isso porque os cáseos se parecem com pequenos grumos de queijo e podem ocorrer em qualquer pessoa, independentemente de sua idade.

Em razão de sua composição, eles apresentam um odor desagradável e, por isso, são responsáveis pelo mau hálito. De textura viscosa, os cáseos aderem facilmente à superfície irregular das amígdalas e podem permanecer ali por vários dias.

Quais são as causas e os principais sintomas?


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Os cáseos devem sua origem a causas mais ou menos definidas. Conheça algumas delas a seguir:

  • viscosidade da saliva: com menor fluxo de saliva na boca, sua concentração aumenta, o que reduz a autolimpeza natural;
  • má higienização bucal: a deficiência na higiene da boca e da língua facilita a deposição de matéria orgânica;
  • criptas amigdalianas profundas: as cavidades da superfície das amígdalas, quando muito intensas, facilitam a formação dos cáseos;
  • aumento da descamação epitelial: quando mais células da mucosa da boca se soltam, em razão de ronco, ressecamento, pelo hábito de mordiscar os lábios e outras razões, aumenta a massa sobre a qual os cáseos se desenvolvem.

Além disso, entre os principais sintomas podem ser citados:

  • saburra lingual (o mesmo biofilme, mas na superfície da língua);
  • desconforto para engolir;
  • amigdalite (inflamação das amígdalas);
  • mau hálito;
  • visualização dos cáseos.

Como tratar?

O tratamento definitivo para quem costuma apresentar cáseos amigdalianos com frequência é cirúrgico. No entanto, por ser muito invasivo (e por agredir a anatomia da garganta), geralmente é evitado.

Outra possibilidade é a utilização de medicação antibiótica ou anti-inflamatória, conforme prescrição médica. Essa alternativa geralmente é indicada quando a ocorrência é em adultos.

Por outro lado, existem algumas medidas que podem ser tomadas a fim de reduzir a ocorrência os cáseos. As mais comuns e, que devem ser adotadas sempre que pertinentes, são:

  • reduzir o tabagismo;
  • reduzir o consumo de bebidas alcoólicas;
  • manter hidratação contínua (tomar água frequentemente);
  • higienizar a boca frequentemente;
  • fazer gargarejo com água morna e sal;
  • utilizar enxaguante bucal.

Gostou deste post sobre cáseos amigdalianos? Então, aqui vai um presente para você: um e-book sobre como ter um hálito fresco e agradável. Boa leitura!

Postado em 09/05/2018.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter