Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Dez mitos e verdades sobre clareamento


Dez Mitos e Verdades sobre clareamento

A Dra. Ana Carolina Martinez, da Sorridents, explica o que é válido quando o assunto é clarear os dentes nesse post ela esclarece os Dez mitos e verdades sobre clareamento.

 

Apesar de tanta fama e uma procura exagerada pelo clareamento dentário, esse procedimento ainda gera muitas dúvidas. Para ajudar a entender como ele funciona, se faz mal, quando é recomendado, entre outras coisas, a dentista Ana Carolina Martinez, da Sorridents, esclarece os Dez mitos e verdades sobre clareamento.

 

10 – Clareamento deixa os dentes sensíveis.

Parcialmente verdade

Realmente alguns pacientes podem apresentar sensibilidade durante ou após o tratamento. Às vezes a penetração do peróxido (um agente ativo do gel clareador) no tecido da polpa causa sua inflamação (a polpa é conhecida como “nervo” do dente). Ou ainda pode ocorrer a desidratação do dente por conta da sua exposição a uma temperatura elevada durante um longo período (procedimento comum do clareamento).

 

9 – Cremes dentais funcionam como clareadores.

Mito

Os cremes dentais branqueadores possuem muito pouca quantidade de agentes ativos do clareamento dental. Mas, por serem abrasivos, removem manchas externas e dão a impressão de dentes mais brancos.

 

8 – Clareamento enfraquece o dente.

Mito

O clareamento consiste em uma reação química. O gel clareador age no pigmento que ocasiona o escurecimento dental. Esse processo não é abrasivo e não afeta a estrutura dos dentes.

 

7 – Durante o clareamento não pode ingerir bebidas e alimentos com corantes.

Verdade

Durante o tratamento clareador alguns alimentos, bebidas ou produtos devem ser evitados, pois podem interferir no resultado final do tratamento. A durabilidade da cor alcançada com o clareamento será reduzida se o paciente consumir excessivamente algumas bebidas como café ou chá preto ou ainda fumar.

 

6 – Qualquer pessoa pode fazer clareamento.

Parcialmente verdade


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Existem alguns casos em que o tratamento não é indicado como: em mulheres grávidas, crianças menores de 15 anos com o esmalte ainda não completamente formado, pessoa com implante, pacientes que apresentam doença periodontal e muitas restaurações, alérgico aos componentes da fórmula e pacientes com retração gengival.

 

5 – Os dentes escurecem com o passar dos anos.

Verdade

O efeito do clareamento dental tem duração variada, mas na maioria das vezes a cor “satisfatória” pode ficar de um a três anos. Pessoas com uma exposição alta a agentes cromogénicos como o café e chá, por exemplo, necessitam de um tratamento de reforço a cada seis meses. Para pessoas que tem uma exposição menor às substâncias que causam manchas, esses retoques são menos frequentes.

 

4 – Clareamentos caseiros não funcionam.

Mito

Não existem tratamentos mais ou menos eficazes. Na verdade, todos os tipos de clareamento seguem o mesmo princípio: a ação de um gel (peróxido de hidrogênio ou carbamida) em diferentes concentrações, que libera oxigênio que altera a cor do dente, através da oxidação causada nos pigmentos amarelados da dentina.

 

3 – Qualquer pessoa pode ficar com os dentes brancos após um clareamento.

Parcialmente verdade

Isso vai depender da resposta biológica da estrutura dental de cada pessoa.

 

2 – Receitas caseiras como bicarbonato de sódio, limão, água oxigenada e casca de laranja clareiam os dentes.

Mito

Estes produtos citados não possuem o potencial clareador. O bicarbonato de sódio é abrasivo e irá realizar apenas um polimento da superfície externa do dente (esmalte).

 

1 – Clareamento provoca câncer.

Mito

Não há relatos nem evidências de que os agentes clareadores venham a provocar o câncer.

Gostou no nosso post Dez mitos e verdades sobre clareamento então baixe nosso e-book que está logo abaixo.

Fonte: Terra Saúde

Postado em 25/07/2014.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter