Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Canal Dentário



Endodontia ou Canal dentário

Normalmente, quando se fala de tratamento de canal surge o medo na maioria das pessoas. Desenvolvemos uma leitura para  que você possa conhecer um pouco mais desse tratamento que é realizado pelo cirurgião dentista quando temos uma situação de cárie ou quando uma fratura leva a uma lesão ao nervo do dente.

Um dentista ou endodontista realiza o tratamento de canal para tratar problemas relacionados com a parte central do dente, a polpa dentária. No passado, dentes com polpas comprometidas eram frequentemente extraídos. Atualmente, o tratamento de canal confere aos dentistas uma maneira segura de salvar dentes.

A polpa dentária é o tecido mole que contém nervos, vasos sanguíneos e tecido conjuntivo. Ela está localizada no interior do dente e se estende da coroa dentária à ponta da raiz dentária. A raiz dentária está inserida dentro do osso da maxila ou mandíbula.

Canal dentário: como é formado

O tratamento do canal da raiz dentária consiste na retirada da polpa do dente, que é um tecido encontrado em sua parte interna. Uma vez que a polpa foi danificada, infeccionada ou morta é removida, o espaço resultante deve ser limpo, preparado e preenchido. Este procedimento veda o canal. Alguns anos atrás, os dentes com polpas infeccionadas ou mortificadas eram extraídos. Hoje em dia, um tratamento de canal salva muitos dentes que de outra forma teriam sido perdidos.

Os casos mais comuns de polpa infeccionada ou morta são:

  • Dente quebrado
  • Cárie profunda
  • Dano ao dente, como um trauma forte, seja ele recente ou mais antigo.

Estando a polpa infeccionada ou morta, se não for tratada, pode se formar pus na ponta da raiz dentro do osso maxilar, formando um abcesso. O abcesso pode destruir o osso que circunda o dente, causando dor.

Por dentro, nosso dente é constituído de camadas:

  • Esmalte: a parte que fica em contato direto com a sua boca (e com a saliva, os alimentos e bebidas) e sujeita às maiores agressões. É o esmalte que protege seu dente;
  • Dentina ou marfim: é a parte do seu dente que, apesar de dura, é sensível e protege a polpa do dente. É formada principalmente por sais de cálcio;
  • Polpa: é a parte vermelha e mole, repleta de nervos e vasos sanguíneos;
  • Canal radicular e canal acessório, ambos conhecidos apenas como canal: são as cavidades na raiz do dente que permitem a passagem dos vasos sanguíneos e nervos presentes na polpa, para que se conectem com o restante do corpo dentário.

Canal dentário inflamado

A inflamação do canal dentário se dá devido a fissura que acomete o elemento dentário, possibilitando a entrada de microorganismo. Ficando expostas a fissura e a polpa inicia-se o processo de infecção na polpa. Pode ocorrer também devido a algum trauma ou ser ocasionado por cáries, o que também resultará na infecção no canal dentário.

Este procedimento é muito delicado e minucioso e pode, em alguns casos, ser bem dolorido devido à inflamação que está acometendo o local. O local dos canalículos dentinários é repleto de vasos sanguíneos e terminações nervosas, e em alguns casos a dor pode ser muito intensa.

Quando isso acontece, é necessário procurar um dentista habilitado, endodontista especializado para resolução deste diagnóstico, o que irá resultar num prognóstico satisfatório para o paciente.  A inflamação geralmente ocorre quando o esmalte e a dentina sofrem algum tipo de fissura e a polpa fica exposta. Isso pode ocorrer por algum trauma ou ser ocasionado por cáries.

Quando o esmalte e a dentina são danificados, é muito importante fazer o tratamento o quanto antes para evitar que a inflamação se agrave.

Principais sintomas do canal dentário

Alguns sintomas podem indicar que você está com o canal dentário inflamado:

  • Dor contínua e persistente, principalmente se essa dor começar com a ingestão de alimentos muito quentes ou muito frios;
  • Dor no maxilar superior ou inferior. Sentir dor nos maxilares pode significar que a dor que começou no dente afetado está sendo irradiada para o maxilar. Muitas vezes, a pessoa pode chegar a sentir dor de ouvido ou dor de cabeça pelo mesmo motivo;
  • Dor intensa ao mastigar;
  • Inchaço e vermelhidão da gengiva. O inchaço geralmente é visível no rosto da pessoa;
  • Fratura com exposição do nervo;
  • Trauma, que pode ser percebido através do escurecimento do dente;
  • Danos na estrutura dentária. Algumas vezes, esses danos não provocam dor imediata, mas a médio prazo podem debilitar a estrutura do seu dente de maneira irreversível.

Como funciona o tratamento de canal dentário

O tratamento de canal ou endodontia é o tratamento realizado na polpa do dente.

Para identificar a real necessidade de um tratamento de canal, uma vez que se apresenta assintomático, o dentista irá solicitar um raio-x. Assim, o dentista com o exame de raio-x em mãos poderá verificar a profundidade da lesão e realizar o melhor tratamento para cada caso.

Também é necessário investigar a intensidade da infecção. Em alguns casos, a infecção pode atrapalhar a ação do medicamento anestésico local, por isso, deve-se avaliar com o dentista a lesão e a infecção do paciente acometido e a necessidade de medicação de 7 dias antes do início do tratamento local.

Uma vez realizada essa análise, hora de iniciar o tratamento propriamente dito.

O tratamento de canal é feito em várias etapas, realizadas em várias visitas ao consultório, dependendo do caso. São elas:

  • Primeiramente, é feita uma abertura na parte posterior de um dente frontal ou na coroa de um dente posterior, molar ou pré-molar.
  • Em seguida, a polpa infeccionada é removida (pulpectomia), o espaço pulpar e os canais são esvaziados, alargados e limados, em preparação para o seu preenchimento.
  • Se mais de uma visita for necessária, uma restauração temporária é colocada na abertura da coroa, a fim de proteger o dente no intervalo das visitas.
  • A restauração temporária é removida e a cavidade da polpa e canal são preenchidos permanentemente. Um material em forma de cone (flexível) é inserido em cada um dos canais e geralmente selado em posição com um cimento apropriado. Algumas vezes um pino de plástico ou metal é colocado no canal para se conseguir maior resistência .
  • Na etapa final, uma coroa é geralmente colocada sobre o dente para restaurar seu formato e lhe conferir uma aparência natural. Se o dente estiver fraturado ou muito destruído pode ser necessário colocar um pino cimentado no canal antes da confecção da coroa.
    https://www.colgateprofissional.com.br/education/patient-education/topics/tratamentos-dentais/o-que-e-tratamento-de-canal

Tipos de anestesia

A anestesia é uma parte muito importante do tratamento de canal dentário e, nesta leitura iremos esclarecer um pouco sobre essa parte do procedimento que é desafiadora, e tem grande importância, sendo assim, carrega tantos questionamentos e dúvidas.

Os principais tipos de anestesia usados nos procedimentos odontológicos são:

  • Infiltração local: onde são anestesiadas apenas pequenas e superficiais terminações nervosas;
  • Bloqueio de campo: são anestesiados os ramos nervosos terminais maiores;
  • Bloqueio de nervo: é o tipo de anestesia mais abrangente, onde os grandes troncos nervosos são anestesiados.

Todas as formas de anestesias odontológicas são injetáveis, por isso não tem como fugir  daquele pequeno incômodo causado pela picada da agulha.

A profundidade que a agulha precisa atingir também é peça chave na hora de acessar os nervos principais das estruturas que terão que estar dormentes para execução do tratamento, por isso, também depende o tamanho da região que precisa ser atingida pelo anestésico, e essa profundidade também pode trazer um pouco de dor e desconforto, por isso, não se indica o tratamento endodôntico sem anestesia, porque seria uma dor insuportável ao paciente.

Alguns dentistas lançam mão de pomadas anestésicas para ajudar a diminuir esse desconforto e existem técnicas que podem ajudar a minimizá-lo.

Por mais que a aplicação da anestesia possa ser motivo de incômodo e desconforto, ela é necessária para que o dentista possa realizar o restante do procedimento com a atenção total, sem se preocupar se o paciente está sentindo dor.

Qual o valor médio para fazer canal?

O valor pode variar de acordo com a complexidade do seu caso. Em algumas situações, o tratamento pode ser mais complexo e, por isso, elevar os custos. Converse com seu dentista a respeito, pois ele certamente irá te explicar detalhadamente o orçamento do seu tratamento.

Lembre-se sempre que é necessário que você considere a qualificação do profissional que irá te atender, bem como a qualidade dos serviços.


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Procure um profissional ou uma clínica de confiança e, se for o caso, tente negociar valores, ao invés de procurar o dentista mais barato.

Depois do procedimento, precisa de repouso?

Após os procedimentos de tratamento de canal dentário, o seu dente precisa de repouso!

Isso mesmo! O seu dente passou por um procedimento complexo e estressante e ele precisa de repouso, portanto, você precisa tomar cuidado com o tipo de alimentos que vai ingerir e principalmente, você precisa tomar cuidado para não mastigar com aquele dente que foi tratado.

Na  sua boca, uma região foi anestesiada, então, é conveniente que você evite alimentos que exigem muita mastigação durante algumas horas, após o procedimento.

Muitos pacientes relatam que causaram sérios ferimentos na própria boca por não sentirem que estava mastigando a própria bochecha, por exemplo!

Até que você esteja sentindo completamente todas as partes da sua boca, é melhor ter cautela.

De maneira geral, o repouso não é necessário, mas tudo vai depender do seu caso, então, siga corretamente as recomendações do seu dentista.

Se ele recomendar que você repouse, siga essa orientação, faça o tempo de repouso que ele recomendar.

Provavelmente você terá que tomar alguma medicação, então seja bastante rigoroso e cumpra os horários corretamente, respeitando os intervalos recomendados para que tudo saia dentro do previsto pelo seu dentista.

Como é a recuperação?

A recuperação do tratamento de canal dentário é bastante tranquila se você seguir corretamente as recomendações do seu dentista.

Normalmente, não é necessário refazer o tratamento de canal dentário que já tenha sido feito corretamente uma vez.

Eventualmente, é possível que seja necessário refazer, mas são casos raros e muito específicos. Uma vez feita a endodontia, não será necessário se preocupar mais com aquele dente.

Se for feita a restauração adequada, é mais um motivo para você se tranquilizar, as probabilidades de se refazer o tratamento são ainda menores.

Como prevenir?

A partir de agora, você pode adquirir uma postura de prevenção que ajude a evitar os danos no esmalte e, assim, prevenir que seja necessário o tratamento de canal dentário.

 

A evolução das cáries é a causa mais comum de inflamação de canal, por isso, é importante você cuidar bem da sua saúde bucal para evitar o surgimento dessas vilãs.

A higiene bucal diária é o primeiro cuidado que você precisa ter.

Use uma escova de dentes de cerdas macias e procure trocá-la a cada seis meses, mesmo que ela ainda pareça boa para o uso.

Escolha um creme dental de qualidade – que caiba no seu orçamento, claro – e que tenha o máximo possível de proteção e de recursos antibacterianos.

É importante lembrar de escovar os dentes após cada refeição. Se você não costuma comer em casa, carregue com você um kit com escova de dentes, pasta de dentes e fio dental.

Aprenda a usar fio dental – muita gente não sabe e tudo bem não saber, o importante é reconhecer que não sabe e aprender – e use diariamente até que vire um hábito tão automático quanto escovar os dentes.

O enxaguante bucal é um poderoso e importante aliado na higiene bucal, já que ele alcança onde nem a escova de dentes nem o fio dental chegam. Abuse desse recurso para caprichar na higiene bucal e também para manter seu hálito sempre fresco.

Visite o dentista regularmente. O recomendado é realizar uma profilaxia – limpeza profunda nos dentes realizada por dentistas – a cada seis meses.

Dessa forma, seus dentes estarão sempre limpos e seu dentista estará constantemente examinando sua boca, o que facilitará a localização de possíveis cáries e o tratamento delas antes que se tornem profundas o suficiente para que seja necessário o tratamento do canal dentário.

Considerações finais

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a endodontia, a Sorridents espera ter te ajudado a criar coragem e ir tratar logo esse canal dentário – se for o caso.

Outro objetivo que esperamos ter atingido com esta leitura é o de explicar que a prevenção é, mais uma vez, a melhor saída e que ela é bastante simples.

Tenha em mente que todos os profissionais de saúde estão à sua disposição para cuidar de você, prevenir e tratar eventuais problemas de saúde, portanto, não veja o dentista como o vilão de motorzinho, mude seus pensamentos  e desmistifique suas crenças, tornando ele um amigo que vai te ajudar a cuidar da sua saúde, principalmente prevenindo ou tratando seu canal dentário.

Postado em 30/05/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter