z

Extração dental – Exodontia

Clínico Geral para atendimento de procedimentos odontológicos

Extração dental – Mantenha seu sorriso sempre saudável.

A extração dental, ou a exodontia, nada mais é que um procedimento cirúrgico para remover um dente. A extração pode ser necessária em decorrência de diversos problemas odontológicos. Qualquer um dos dentes (incisivo, canino, pré-molar ou molar) pode ser extraído.

extração dental exodontia

EXODONTIA

 

 

A exodontia é o ato cirúrgico que corresponde a uma extração de dente, ou seja, é remover, extrair, “tirar” ou “arrancar” um dente. A extração dentária é uma pequena cirurgia ou operação, referida como um dos procedimentos estomatológicos mais ancestrais de que há registro.

A necessidade de extração de dentes ocorre no adulto com relativa frequência em consequência de diversos problemas dentários. Na criança, nos dentes decíduos ou dente de leite ou temporários a extração de dentes pode também ser necessária em determinadas circunstâncias.https://www.saudebemestar.pt/pt/medicina/dentaria/exodontia/

 

A extração pode ser efetuada em qualquer um dos dentes (incisivo, canino, pré-molar ou molar). Devido a alguns problemas de erupção, o dente do siso ou terceiro molar (superior ou inferior) é um dos dentes, muitas vezes, indicado para exodontia.

 

Na maior parte dos casos, a extração envolve apenas um único dente, mas em muitas situações podem ser extraídos dois ou mais dentes na mesma consulta cirúrgica sem qualquer contraindicação (exodontia múltipla).

 

Ocasionalmente, para manter a saúde oral, é necessária a extração de dente, ou a exodontia, processo cirúrgico para remover aquele ou aqueles dentes que, por algum motivo (eles podem ser diversos), estão dando problemas ao seu sorriso.

 

O dente ou dentes podem ser retirados através de uma intervenção cirúrgica, sendo qualquer dos elementos que sejam necessários (molar, canino, incisivo ou pré-molar).

Geralmente, a causa mais comum que exige esse tipo de tratamento é a cárie em um estágio que já não é mais possível qualquer outro procedimento, levando a extração do dente.

 

Outras causas  famosas são:

  • Dente do siso, incluso ou semi-incluso;
  • Dente fraturado (na coroa ou na raiz);
  • Dente desvitalizado ou com necrose pulpar e que não foi possível curar com outros tratamentos;
  • Dentes com mobilidade.

 

 

 

Exodontia de dente fraturado

 

 

Um dente fraturado, normalmente, é resultado de um acidente com grande impacto. No primeiro momento, gaze e água fria conseguem estancar o sangramento e parecem resolver o problema, mas não consultar um dentista após o choque com a sua boca é uma péssima decisão a se tomar.

Aquele dente que fraturou ou quebrou ou rachou pode lhe causar muitos problemas como dor, infecções, mordida errada e ainda problemas na mandíbula e, por isso, deve sempre ser avaliado por um especialista.

 

Dente fraturado na raiz

 

Uma  simples atitude rotineira como mastigar um alimento crocante, pode gerar uma fratura no dente na porção onde envolve sua raiz. Por isso, todos nós estamos sujeitos a ser acometidos por uma fatalidade como essa, sendo assim  o ideal é que se mantenha a calma nessas situações e procure um dentista para uma avaliação e diagnóstico preciso.

 

Sendo assim, o  cirurgião-dentista  poderá avaliar se o nível da fratura exige a extração de dente ou se é possível reverter o acidente com outros métodos não cirúrgicos.

 

Na maioria dos casos, a lesão não é visível e o paciente só saberá que algo está errado por começar a sentir dores no local, inflamação ,mobilidade e sangramento.

.O dentista realizará exames radiográficos para precisar e avaliar a fratura e realizar o prognóstico mais favorável em benefício do paciente.

 

Temos, na maioria das vezes, dois tipos de fraturas: a fratura longitudinal que acomete da coroa até a raiz, tendo seu prognóstico insatisfatório, levando a exodontia; e a fratura horizontal onde a coroa é removida no terço onde foi fraturada, posteriormente é tratada a raiz (endodontia) e reabilitado o dente com uma prótese.

 

 

Dente fraturado na coroa

 

Assim como nas fraturas na raiz, esta também pode acontecer na coroa, é o tamanho da lesão que vai decidir se é necessária a extração de dente ou não. Em níveis pequenos, é possível corrigir a fratura através de restauração.

 

Quando a fratura na coroa atinge o seu terço médio, é necessário que seja realizado um tratamento de canal, seguido da reconstrução da coroa que foi perdida devido a fratura, podendo então reabilitar este elemento com uma prótese.

 

Caso a fratura se dá para o acometimento total da raiz, levando a exodontia do elemento, o dentista deverá avaliar e indicar a reabilitação com o uso de implante.

 

Quando o acidente é com crianças ainda com dente de leite, deverá ser levado ao odontopediatra, que realizará exames para uma avaliação e precisará quais serão as medidas cabíveis a serem tomadas para o melhor prognóstico deste dente de leite e para o permanente que irá surgir na sequência natural da troca dentária.

 

Lembre-se sempre de guardar o dente fraturado, seja ele inteiro ou apenas um fragmento. O ideal é que ele seja preservado em soro fisiológico, mas caso não tenha a seu alcance no momento, pode-se optar pela água filtrada.

 

Cuidados para a exodontia

 

 

A extração de dente é realizada pelo profissional cirurgião-dentista. Para casos mais específicos e ou complicados, é feita pelo especialista chamado bucomaxilo, que é especializado e tem referências de técnicas para a realização de cirurgias com alto grau de complexidade. Por isso, não há o que temer, até porque na maior parte dos casos a intervenção cirúrgica é simples e rápida.

 

 

Somente em alguns casos bem específicos o procedimento se torna um pouco mais complicado e pode chegar a ser indicado que seja feito em um ambiente hospitalar.

No dia em que for realizar a extração – isso se ela não for feita no mesmo dia de sua consulta inicial –, opte por refeições leves, tome todos os medicamentos que forem prescritos pelo especialista e vá o mais natural possível, evitando o uso excessivo de maquiagem e acessórios. Isso facilitará o posicionamento da cabeça, evitando que você sofra incômodo enquanto deita na cadeira de cirurgia.

Para os pacientes que usam substâncias, é extremamente recomendado que não as use antes do procedimento cirúrgico, ainda mais se tratando de drogas sintéticas. Elas possuem alguns componentes que, na reação com a anestesia, podem colocar em risco a vida da pessoa. A recomendação também se aplica a quem usa substâncias mais leves, como o tabaco.

No caso de mulheres grávidas, o ideal é que a cirurgia seja realizada até o segundo trimestre de gestação, mas se puder ser atrasado para depois do nascimento do bebê, será ainda melhor. Aqui é mais uma questão de comodidade para o paciente do que de risco de saúde ou de vida para a gestante e seu filho.

Apesar de liberar adrenalina, a anestesia não traz nenhum risco para pessoas hipertensas ou estressadas – caso tenha algum medicamento que o paciente tome, o especialista pode recomendar a substituição por algum que garanta um melhor resultado pós-operatório.

Como dissemos anteriormente, é fundamental seguir à risca todas as recomendações de seu dentista durante os dias antes da extração de dente e após, para garantir uma recuperação rápida e tranquila.

 

 

Recuperação após a exodontia

 

Depois de realizada a intervenção cirúrgica, chega o momento de tomar os cuidados necessários para ajudar na cicatrização da gengiva. O tempo de repouso varia de acordo com o grau de complexidade da operação, mas no geral as primeiras 24 horas exigem atenção redobrada e os três primeiros dias repouso total!

Abaixo, listamos várias dicas que vão ser suas aliadas logo no primeiro momento que você deixar o consultório médico:

  1. Permaneça em repouso o máximo possível, principalmente nos três primeiros dias. Portanto, não faça nenhum tipo de esforço ou de atividade física;
  2. Na hora de dormir, o ideal é que se durma sentado, mas caso seja difícil, mantenha a cabeça mais elevada em relação ao resto do corpo,ou seja, coloque 2 travesseiros.
  3. Evite falar muito;
  4. O calor é seu inimigo. Então, evite sol, fogão, alimentos e banhos quentes. Tudo isso estimula a circulação de sangue nos vasos sanguíneos da região operada, o que causa dor e possíveis sangramentos e inchaços;
  5. Abuse de água, vitaminas, sopas, caldos, sorvete, iogurte, leite. Enfim, tudo o que for pastoso ou líquido vai garantir que você se alimente sem machucar a área que está cicatrizando. Comidas como massas (bem cozidas) também estão liberadas. Mantenha essa dieta pelos primeiros dois dias, pelo menos;
  6. Não faça sucções (uso de canudos), pois isso também é um estimulante que pode causar sangramentos;
  7. Escove os dentes e use fio dental sempre olhando para o espelho. Na região operada, faça movimentos leves e reduza a quantidade de pasta de dente, diminuindo a produção de espuma;
  8. Não faça bochecho, mas não deixe de usar o enxaguante bucal (sem clorexidina). O correto é que se mergulhe um cotonete no produto e use-o para retirar os resíduos que ficam presos nos pontos;
  9. Principalmente nas primeiras 24 horas, use compressas de gelo em vários momentos do dia. Elas devem ser aplicadas por 20 minutos, seguidos de um repouso de mais 20 minutos. Depois disso, você pode refazer o processo. Isso vai evitar o inchaço e o sangramento. Não se esqueça de, se possível, realizar essa dica por pelo menos três dias após a extração de dente;
  10. Evite ficar cuspindo, pois isso gera uma pressão que pode incitar o sangramento;
  11. Não passe dedo, língua e nenhum outro objeto, com exceção aos de higiene bucal, no local da cicatrização;
  12. Pequenos sangramentos são normais. Para contê-los, você pode morder uma gaze estéril, fazendo pressão na área operada, o que conterá a circulação nos vasos sanguíneos. Caso eles persistam, fale com o seu dentista;
  13. Não use substâncias alcoólicas e drogas lícitas ou ilícitas. Elas dificultam o processo de cicatrização e ainda podem trazer outros problemas a sua saúde;
  14. Não deixe de seguir nenhuma recomendação médica que foi dada pelo seu especialista após a cirurgia.

 

Exodontia causa dor?

 

Antes de qualquer procedimento de extração de dente, o dentista-cirurgião aplica anestesia local. Por isso, não existe qualquer tipo de dor durante toda a intervenção.

 

 

Como ela age de forma concentrada na gengiva, você permanece acordado durante o processo. Então, é possível que apesar de não sentir dor, você sinta certo incômodo com o mexer no local durante a realização da cirurgia.

 

Inflamação após extração de dente: o que fazer?

 

 

É comum que, após a extração de dente, haja inflamação, sangramento e inchaço no local operado. Desta forma, existem alguns cuidados que podem ser tomados para diminuir esses efeitos colaterais e auxiliar na cicatrização (a maioria deles está citado na lista acima, por isso ela é tão importante).

As primeiras 24 horas depois da cirurgia são as mais fundamentais do processo de recuperação, já que é durante esse intervalo de tempo que há o desenvolvimento de um coágulo no lugar deixado pelo dente extraído. Porém, lembre-se que os cuidados devem ser mantidos por 7 dias para garantir que você passe por esse período delicado sem sofrer e sem riscos.

O primeiro sintoma da inflamação pós-cirúrgica é o sangramento. Já explicamos como contê-lo utilizando uma gaze, algo que o próprio dentista já deve colocar em sua boca para sair do consultório com o processo de estancamento iniciado. Você deve pressionar a região com a mordida, de forma leve, entre 45 minutos e uma hora.

Caso os sangramentos continuem em casa, você deve repetir o processo, mas tenha a gaze estéril adquirida em farmácias para que não acometa bactérias ao local operado em uma infecção. Faça a colocação da gaze e o uso de compressa de gelo, conforme descrito e orientado anteriormente.

 

O coágulo é essencial para a sua recuperação. Sendo assim, é muito importante mantê-lo saudável após estancar o sangue para que ele possa garantir uma cicatrização mais rápida e eficiente. Por isso, as dicas são evitar pressão (fumar, assoar o nariz, utilizar canudo), a força (enxágue, cuspe, mastigação) e altas temperaturas (em bebidas, comidas, banhos, na rua e dentro de casa).

 

Para o inchaço, é só seguir a recomendação que demos acima sobre o uso de compressas congeladas e o consumo de sorvetes. Mas cuidado com a quantidade de açúcar que está sendo ingerido, pois isso faz mal não só a sua saúde bucal, mas também a demais outras áreas do seu corpo. Sempre que terminar de tomar um, lave a boca, mas não passe a escova no local operado.

 

Agora que você já conteve a inflamação, tome alguns cuidados para evitar a infecção. Os processos são muito simples. Basta escovar os dentes sempre após todas as refeições, não fumar e fazer bochechos leves com água morna e sal, de 2 a 3 vezes no dia, e somente no dia seguinte à extração de dente, garantindo a eliminação do excesso de bactérias.

 

 

Remédios e antibióticos para a extração de dente

 

É normal que, após a extração de dente – em alguns casos, antes dela –, o especialista indique alguns medicamentos para serem tomados, mas sempre com o alerta de que você não deve fazer automedicação em hipótese alguma.

Como citamos no início da leitura, muitos fatores influenciam a abordagem correta e só um profissional capacitado pode te indicar o tratamento certo após conhecer a sua ficha médica e características.

Além disso, a prescrição deve ser seguida à risca, nunca em doses maiores ou menores do que a indicada. Se mesmo realizando todas as indicações de forma correta, a dor, inflamação e infecção persistirem, você deve procurar o seu dentista para uma nova avaliação.

Agende a sua avaliação
Ou agende pelo telefone 0800 601 1520

A Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Assine nossa newsletter

e receba conteúdos exclusivos.

Blog Saúde Bucal