Endodontia tratamento de canal

Clínico Geral para atendimento de procedimentos odontológicos

Tratamento de Canal: Dói? Como é feito?

 

É possível que já tenha ouvido falar sobre coisas absurdamente assustadoras em relação ao tratamento de canal. É uma condição dolorosa, que incomoda. Muita gente acaba evitando consultar um dentista por medo de um diagnóstico que requeira tratamento.

 

Porém, a ótima notícia é que esse tipo de atitude se tornou ultrapassada. Hoje, com a tecnologia avançando, inclusive na odontologia, os tratamentos são muito mais tranquilos. Ainda, quando se ignora uma situação como esta, as dores só tendem a aumentar, bem como o problema.

endodontia tratamento de canal

Tratamento de Canal

 

Tratar um canal, de modo geral, é recomendado quando existem cáries em fases avançadas. A polpa do dente é caracterizada como a vida do mesmo. Conforme apareça alguma exposição ou inflamação de caráter irreversível da polpa, a indicação é o tratamento.

 

Além disso, possíveis traumas nos dentes, com teor crônico ou agudo, podem também desencadear o tratamento de canal para o resgate da saúde dental, impedindo extrações e evitando problemas de maior gravidade.

 

O cuidado com os dentes é fundamental para que se evite o surgimento e progressão de cáries, visto que, quando não há o tratamento em etapa inicial, a inflamação pode acometer camadas de dentes até que chegue diretamente na polpa – área de vida do dente – provocando um estrago imenso.

 

Há ainda, pesquisas que indicam que a ausência do tratamento pode prejudicar efetivamente outras regiões do corpo. Por isso, atente-se a isto.

 

Em casos de lesões agudas, por meio de inflamações, as dores são intensas. É possível aparecer sensações de latejamentos, além de dores contínuas e que se tornam pior ao beber algo gelado ou ao se deitar – contudo, isso pode ser aliviado por meio do calor.

 

Em situações crônicas, em que há possíveis necroses parciais ou totais de polpa, as dores têm outras características. Nessa situação, as dores pioram com o calor e aliviam com o frio. A área do dente que foi prejudicada também pode ter inchaço com o surgimento de feridas.

 

Como é feito o Tratamento de Canal?

 

O dente pode ter sua abertura para que o dentista possa fazer a retirada da polpa do dente infeccionado. O passo seguinte é fazer a limpeza adequada, de modo a desinfetar o canal que, depois disso, terá o preenchimento por materiais específicos que se responsabilizam pela proteção do dente.

 

O tempo de tratamento tem variação. Tudo é possível ser solucionado em uma única data ou, ainda, entre 3 a 4 sessões. Dependerá do tipo da lesão e de que maneiras as raízes tiverem comprometimento.

 

Tratamento de Canal dói?

 

A endodontia é a área responsável pelo tratamento de canal, visto que é a especialista pela análise da polpa do dente. Atualmente, há a possibilidade de atender de maneira bem mais agradável do que diziam os avós em seus tempos. O dentista fará a aplicação de uma anestesia local para iniciar o processo.

 

Ainda, há estratégias totalmente modernizadas que, ainda em situações de maior complexidade, disponibilizam muito mais conforto para os seus portadores da condição.

 

Atualmente, os meios tecnológicos avançados também fazem parte do tratamento. Há aparelhagens microscópicas eletrônicas, que conseguem triplicar a precisão de acesso e obstruir os canais, inclusive aparelhos de obturação, que levam a pasta selecionada e o emborrachado com maior qualidade e eficiência.

 

Tratamento de Canal a laser

 

É comum que as pessoas digam “preciso tratar um canal”. E o que seria isso exatamente? A condição deste problema costuma evoluir de cáries profundas que não tiveram tratamento e são caracterizados por infecções ou óbito da polpa dentária, provocado por elementos bacterianos.

 

Para solucionar isso, é preciso remover a polpa do dente, que se trata de um tecido que fica situada da região de dentro dos dentes.

 

O procedimento para tratar o canal é feito de acordo com cada situação, ao longo de consultas ao odontologista. De forma resumida, é preciso tratar o canal com as seguintes etapas:

 

  • aplicação da anestesia;
  • abertura do dente;
  • remoção da polpa;
  • esterilização do canal;
  • procedimento provisório de fechamento.

 

Em próxima consulta, ocorre a remoção da restauração provisória e tal cavidade tem o seu preenchimento efetivo através de determinado produto. Enfim, faz-se o acabamento dentário para que devolva a anatomia do dente e a função mastigatória.

Todo o procedimento leva algum tempo. Esta é uma das queixas daqueles que sofrem da condição. Porém, tal situação pode ser diferente nos dias atuais.

 

A razão disso é que, como já mencionado, os meios tecnológicos proporcionam opções que trazem eficácia para o auxílio do especialista em toda a intervenção, promovendo maior conforto ao portador da condição.

 

Os lasers são grandes aliados em diversos procedimentos cirúrgicos, odontológicos e importantíssimos para tratar o canal. Nesta situação, age como um elemento desinfetante. Posteriormente ao remover a polpa, fazemos a inserção da fibra ótica que está na parte interna de tal cavidade e realizamos a aplicação do laser.

 

O procedimento é bem mais célere, e ainda traz a garantia de desinfecções, reduzindo possíveis novos tratamentos em mesmo dente.

 

Lasers de alta potência são tecnologias que vieram da Alemanha e estão disponibilizadas em pouquíssimas clínicas do Brasil. Tem utilidade para remover herpes, tártaro, cáries e diversas outras intervenções. Trata-se de uma ferramenta dotada de inteligência, que faz a distinção do que deve ter remoção e do que está saudável a partir da estrutura do dente, resultando na eliminação do que causa, de fato, prejuízos aos dentes.

 

Repouso após o Tratamento de Canal

 

Quaisquer intervenções cirúrgicas necessitam de cuidados, tanto anteriormente ou posteriormente aos procedimentos. Tais cuidados geralmente variam de pessoa para pessoa, ou tipo de intervenção. Tratamento de canal dentário, exemplificando, trata-se de um processo cauteloso que atua de forma direta nos nervos dentais.

 

Por isso, o paciente necessita de diversos cuidados especiais em momento posterior a operação. Isso é essencial para a garantia de um procedimento eficiente.

 

Ao passo que o dente necessita de canal, isso significa que ele já alcançou um ponto muito grave de sua condição. As razões principais são, de modo geral, associadas às contaminações do dente por elementos bacterianos por trauma mecânico ou cáries, além de pancadas nos dentes que possibilitam romper os nervos.

 

Tal tratamento é procedido de maneira muito simples e, por meio de um “motorzinho”, o odontologista faz a remoção da parte interna deste dente e o conjunto de nervos infectados.

 

A partir disso, o especialista faz a lavagem com elementos desinfectantes e faz a secagem da parte interna com produtos específicos.

 

Há muitos casos em que o paciente tem dentes prejudicados pelo canal, em virtude de procedimentos realizados de forma inadequado em relação ao clareamento do dente. Nessas situações, o nervo acaba aquecendo e o paciente necessitará de intervenção cirúrgica.

 

Para que tal procedimento tenha garantia, é importantíssimo tomar medidas de prevenção posteriormente a intervenção. Há três cuidados que são básicas e imprescindíveis nesse instante, e estão de forma direta ligados a forma de higienizar e de se alimentar, além do repouso.

 

O paciente precisa evitar as alimentações dificultosas e duras, além de realizar uma higienização da boca de forma normal. Além disso, o consumo dos medicamentos prescritos pelo odontologista, de forma adequada, é imprescindível para que se evite complicações que possam surgir.

 

Todo procedimento cirúrgico dentário faz com que traumas apareçam na cavidade da boca. Em virtude disso, determinadas reações pós-operatórias do nosso corpo são muito comuns e variam conforme o processo. Exemplos da reação são compostos por:

 

  • inchaços;
  • dores;
  • hematomas na área do canal;

 

Para que tais efeitos tenham teor de minimização, é preciso seguir à risca todas as recomendações do especialista. Caso não siga de forma correta tais procedimentos, é possível que se ocasionem traumas no dente.

 

Curiosidades sobre o Tratamento de Canal

 

Determinadas dúvidas sobre o tratamento de canal e sua intervenção são muito comuns. As pessoas, além de sentirem medo das dores e dos procedimentos, acabam sofrendo com a condição sem saber, ao menos, como o processo é realizado.

 

Por isso, aqui estão algumas questões solucionadas por especialistas que podem auxiliar àqueles que precisam do tratamento de canal:

 

  1. Para que haja a necessidade de tratar um canal, o dente precisa apresentar dores?

 

Ainda que a inflamação da polpa, de forma normal, cause dores, há a possibilidade de não surgir dor também, e de mesma forma, haver a necessidade de tratar este canal.

 

Portanto, agende visitas ao seu odontologista de 6 em 6 meses. Ele poderá te auxiliar na descoberta de condições problemáticas antes mesmo da manifestação de ambas. Ao passo que mais cedo se descubra o problema, melhores atitudes serão tomadas para a sua cura.

 

  1. Tratar o canal torna o dente mais escuro?

 

Sim. O aparecimento de manchas irá depender do que exatamente aconteceu para que se desencadeasse o tratamento do canal e também da estratégia oferecida para o tratamento, de mesma forma que o produto selecionado.

 

Contudo, ao unir a microscopia operatória e os novos métodos de estratégias e recursos de obturação, é possível que as manchas, posteriores ao tratamento sejam condições raras de acometimento do organismo bucal.

 

  1. O dente que teve o tratamento pode ter nova condição de canal?

 

Sim. O dente que teve um tratamento adequado, fraturas ou traumas, são passíveis de novo tratamento e preocupações.

 

Nessa situação, o tratamento do canal age como uma intervenção cirúrgica pequena que deve ter execução por especialistas com qualificação para a reversão do problema.

 

Por isso, muito além de ser um problema, tratar um canal é, de fato, um método de eficácia que restaura e preserva o dente que pode estar acometido por bactérias.

 

Contudo, aqueles que não querem passar por essa situação é só acompanhar o que os especialistas dizem, desde sempre: escove os dentes, diariamente, e forma caprichada; use o fio dental para que se evite a placa e o tártaro – vias acessíveis para a produção de cáries profundas.

 

Prevenção de Tratamento de Canal

 

Tratamento de canal é um dos procedimentos mais temidos pelas pessoas, justamente por não se tratar de um procedimento muito simples. O que acontece é que essa intervenção odontológica é realizada por fases, precisando, às vezes, de duas a três visitas ao consultório para a sua conclusão.

 

O tratamento tem eficácia e segurança, porém, é muito melhor evitá-lo do que precisar realizá-lo, não é mesmo? Dessa forma, aqui estão algumas dicas imprescindíveis para se fazer a prevenção do tratamento de canal, e ainda manter a saúde da boca em dia. São elas: Visita regular ao dentista e tratar a cárie antes que ela fique profunda e atinja a polpa do dente sendo assim, necessário o tratamento de canal.

 

Com a existência de cáries, faça a devida restauração

 

As cáries que você sempre adia para fazer o tratamento, podem desencadear problemas muito maiores futuramente. O que se recomenda é fazer a consulta imediata com um especialista para o procedimento de restauração de cáries.

 

A remoção daquilo que está provocando inflamações, que de modo geral, são lesões provindas de cáries do dente, e realizar a devida restauração de coroa do dente, faz com que o quadro não evolua, não havendo a necessidade de procedimentos endodônticos.

 

Cuidado extremo com a boca para evitar traumas

 

O trauma nos dentes também são razões que levam o desencadeamento de tratamentos de canal. A recomendação é cuidar para que nada atinja os dentes. Conforme a gravidade do trauma, é possível haver comprometimento da polpa do dente. Isso pode acontecer de forma mais comum em adolescentes e crianças, em brincadeiras ou práticas esportivas, estão mais propensos a se machucar.

 

Consulte periodicamente o seu dentista

 

A dica imprescindível e sabida de todos é essa: visite o seu dentista de seis em seis meses. É dessa forma que o especialista pode fazer a identificação de problemas na boca em fase inicial e ter o tratamento o mais rápido possível, procurando maneiras que não sejam tão invasivas para solucioná-lo.

 

Quando, de fato, não se pode escapar de um tratamento de canal?

 

Se precisar do tratamento do canal, a melhor alternativa é discutir antes com o especialista para sanar todas as suas dúvidas e eliminar os medos. Frente a este cenário, o dentista fará explicações como em todas as intervenções realizadas, e disponibilizará de métodos necessários para evitar que o paciente volte a sentir dores.

 

De acordo com o dentista, a primeira atitude está relacionada à seleção de um sal com função anestésica apropriada para que se trate o dente de forma interna. Ainda, o dentista fará a aplicação de anestesias, a partir de uso adequado.

 

Compreender de forma exata todas as etapas do procedimento antes de iniciá-lo só tende a trazer benefícios. Desse modo, o paciente estará mais confiante no processo e no especialista, de modo a permitir que o procedimento endodôntico tenha a sua realização, com a possibilidade de evitar, também, a perda provável do dente em si.

 

Boa higienização, cuidados e visitas ao dentista. É isso que você precisa fazer para evitar problemas de maior gravidade em relação a saúde bucal!

Agende a sua avaliação
Ou agende pelo telefone 0800 601 1520

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Assine nossa newsletter

e receba conteúdos exclusivos.

Blog Saúde Bucal