Conheça mais sobre os nossos modelos de franquia

A importância da ginástica laboral para profissionais da odontologia


A importância da ginástica laboral para profissionais da odontologia

Chamamos de ginástica laboral a prática de exercícios físicos realizados por trabalhadores, de forma coletiva ou individual, no ambiente de trabalho.

Geralmente, são atividades que, apesar de muito simples, trabalham grupos musculares estratégicos, e que podem ser realizadas em um espaço restrito.

O objetivo da ginástica é relaxar áreas tensionadas pelo esforço repetitivo e, sobretudo, fortalecer as musculaturas mais requisitadas durante a jornada de trabalho. Então, para conhecer mais benefícios dessa prática na rotina odontológica, continue lendo o nosso post!

Os benefícios

Para o corpo

Em primeiro lugar, essas atividades laborais não são suficientes para gerar cansaço, porque são de curta duração. Na verdade, movimentar o corpo e fazer o sangue circular melhor de tempo em tempo acaba promovendo maior sensação de disposição, relaxamento e bem-estar.

Além disso, essa é uma ótima forma de prevenir as “doenças do trabalho”, também conhecidas como Distúrbio Osteomioarticular Relacionado ao Trabalho (DORT) e Lesão por esforço repetitivo (LER).

A longo prazo, se você for disciplinada e fizer ginástica todos os dias, ela também proporcionará maior flexibilidade, coordenação motora e resistência muscular.

Assim, você tende a manter por mais tempo uma boa postura ao longo das consultas e, consequentemente, sofrer menos com inflamações e lesões.

Para a mente

Parte da insatisfação ou frustração com o trabalho vem, não raro, de uma rotina maçante, que acaba massacrando o corpo e a mente.

Nesse sentido, a ginástica laboral ajuda a quebrar a monotonia da jornada de trabalho, além de torná-la mais prazerosa. Certamente, você também vai sentir diferença na sua concentração no trabalho e na melhora da sua autoestima e consciência corporal.

Para a vida em sociedade

Embora muitas vezes seja feita de forma individual, quando é feita em conjunto — como uma prática estimulada pela empresa — a ginástica laboral favorece o contato interpessoal e a integração entre os profissionais.

E, nessas ocasiões, muitas pessoas acabam demonstrando grande poder de liderança e articulação. Ou seja, é uma ótima oportunidade para identificar novos talentos e qualidades dentro de uma equipe!

Para a sua empresa

Se você trabalha em uma clínica com vários outros funcionários e dentistas, vale muito a pena investir na ginástica laboral como estratégia de produtividade.

Afinal, lidar com pessoas — sobretudo quando o assunto é odontologia — pode ser muito delicado: dores, atrasos, crianças sensíveis ao tratamento, pessoas em situação de risco… São inúmeras as situações de tensão, que exigem um trabalho extremamente minucioso.

Logo, é normal que, com o decorrer do dia, os profissionais rendam menos. Nesse sentido, fazer uma pausa para se exercitar propiciará maior produtividade e motivação.

Tipos de Ginástica Laboral

Preparatória

A ginástica laboral preparatória deve ser realizada no início do expediente, pois tem como objetivo aquecer os grupos musculares que serão usados nas tarefas profissionais.

Assim, você ativa o organismo e fica mais disposta e concentrada à medida em que sua temperatura e frequência cardíaca aumentam, e os tecidos se oxigenam.

Dez minutos já são suficientes para jogar a energia lá no alto. Contudo, procure focar em exercícios de coordenação, equilíbrio, concentração e flexibilidade.

Compensatória

Quando as funções estiverem monótonas e maçantes, é hora de parar para compensar a tensão muscular acumulada ao longo de muitas horas de uso inadequado dos músculos, tendões e ossos. Aqui, é preciso focar em alongamentos e exercícios posturais e respiratórios.

Caso a postura de trabalho esteja promovendo a fadiga muscular, é preciso estimular a circulação para eliminar resíduos metabólicos e corrigi-la. Para isso, as atividades devem se estender de 5 a 10 minutos.

Relaxamento

O serviço pode ter acabado, mas a rotina de exercícios ainda não terminou. Após o expediente, é preciso relaxar e aliviar a tensão muscular.

Afinal, se isso não for feito, você corre o risco de sofrer microlesões, que podem se agravar com o tempo, a longo prazo.


Quero ser franqueado


Basta gastar mais 10 minutos no consultório fazendo automassagens, respirando fundo ou fazendo uma rápida meditação para espantar o estresse. Isso te ajuda não só a não levar problemas do trabalho para o ambiente familiar, mas também a chegar a casa com as energias renovadas.

Os pontos fracos do dentista

Ombros

Especialmente no caso dos dentistas, um dos pontos que mais sofrem com lesões são os ombros. E isso acontece porque sua postura fica prejudicada quando você se inclina para manusear a boca do paciente.

Além disso, essa é uma articulação muito complexa, que permite vários tipos de movimentos. O que, em muitos anos de profissão, pode levar a lesões mais graves, como tendinite, bursite e síndrome do ombro doloroso.

Para alongar a região, apoie uma das mãos no cotovelo oposto e levantando o braço até a altura dos ombros, cruzando o peito. Mantenha essa posição por 30 segundos, até sentir a parte de trás dos ombros.

De frente para a parede, a 30 centímetros de distância, empurre seu corpo contra ela fazendo flexões. Por fim, levante um dos braços, apoiando-o atrás da cabeça, e use a mão oposta para empurrar o cotovelo para baixo. Segure por 15 segundos e repita do outro lado.

Coluna e costas

Hérnia de disco e cifoescoliose também são duas patologias típicas de dentistas. Sobretudo no caso dos cirurgiões dentistas, é preciso passar muitas horas mantendo posturas repetitivas e exaustivas.

E é justamente nesse ponto que devem agir as ginásticas laborais compensatórias, amenizando os efeitos negativos da má postura e do sedentarismo.

Para a região da lombar, quando estiver sentada, traga um dos joelhos até o peito e, com as mãos, segure a parte de trás da coxa, empurrando-a delicadamente em direção ao tórax. Mantenha as costas retas e mantenha essa posição durante 30 segundos.

Outra estratégia é apoiar os dedos na ponta da mesa e empurrar lentamente a cadeira para trás, até que sua cabeça esteja entre os dois braços. Repita 15 vezes o movimento.

Você também pode esticar os braços acima da cabeça com os dedos entrelaçados, sentado ou de pé. Nesse caso, vire a palma da mão para cima e a cabeça para trás, inspirando e expirando lentamente.

Pescoço

Apesar da cadeira de dentista ser regulável, ainda assim é preciso olhar ligeiramente para baixo para visualizar a boca do paciente. E esse movimento, no caso de procedimentos muito longos, pode gerar uma tensão acumulada na região.

Nesse caso, recomenda-se fazer a rotação de pescoço e o encolhimento de ombros. Faça assim: feche os olhos e apoie o queixo no peito. Então, gire o pescoço lentamente para a direita, para a esquerda e para trás.

Depois, inspire profundamente e encolha os ombros em direção às orelhas. Segure-os, e depois os deixe cair. Repita o movimento três vezes.

Punhos e mãos

Odontologia é uma área que exige punhos fortes e delicados ao mesmo tempo. Todo o trabalho depende dessa região — que, é claro, também acaba ficando desgastada. Por isso, a síndrome do túnel do carpo é muito comum entre dentistas.

Existem três opções de exercícios para prevenir esse mal: a primeira é rotacionar os pulsos dez vezes para cada lado, de hora em hora.

A segunda é apoiar as mãos na mesa com os punhos voltados na direção oposta à do tronco, braços esticados e dedos na bordada do móvel. Por fim, estenda os dedos da forma mais aberta possível e, depois, feche os punhos o máximo que conseguir, segurando por 5 segundos.

Computador na posição certa

Quando estiver longe da cadeira de dentista, mas, ainda assim, estiver trabalhando, não deixe de adquirir uma cadeira ajustável e bem acolchoada. Além disso, é fundamental deixar a lombar e as pernas bem apoiadas no assento, com os pés paralelos ao chão.

O monitor do computador deve estar a um braço da distância da sua cabeça, e a tela deve estar dentro do seu campo de visão, de forma que você consiga enxergar por cima dela.

Enfim, com todas essas dicas fica evidente a importância de aderir à ginástica laboral como parte da rotina profissional, não é? Ainda mais sabendo que os benefícios se estenderão para além do horário de trabalho!

E, para ficar por dentro de mais novidades de empreendimentos, rotina e dicas de gestão do mundo odontológico, não deixe também de assinar a newsletter  da Sorridents!

Postado em 12/01/2017.


Compartilhe

Siga-nos no facebook

Siga-nos no Linkedin

Siga-nos no Linkedin