Conheça mais sobre os nossos modelos de franquia

Afinal, como funciona a sociedade em franquia?


como funciona a sociedade em franquia

Quem trabalha como profissional liberal, especialmente aqueles que estão começando uma carreira, provavelmente já enfrentou o dilema quanto a montar o próprio negócio ou encontrar uma estrutura em funcionamento para prestar os seus serviços.

Para quem deseja independência financeira e gerenciar o seu tempo da maneira que lhe for mais conveniente, talvez a decisão mais acertada seja desenvolver o seu talento como empreendedor e abrir a sua clínica, escritório, consultório.

Mas o que fazer quando o capital não é suficiente para colocar as ideias em prática?

O modelo de franchising, sem dúvidas, é uma boa oportunidade, pois oferece uma marca já consolidada no mercado e todo o suporte técnico necessário. Se você já se convenceu de que esse é o melhor modelo, mas ainda não tem condições de colocá-lo em prática, saiba que encontrar um sócio pode ser a solução.

Para mais esclarecimentos, no post de hoje explicaremos como funciona uma sociedade em franquia e o que precisa ser considerado antes de investir nesse formato. Acompanhe!

O que, exatamente, é uma sociedade?

Uma sociedade acontece da reunião de indivíduos com a finalidade de exercer uma atividade econômica. Em regra, as pessoas se associam por não terem condições de colocar uma empresa em funcionamento — seja por falta de recursos financeiros, insegurança, não ter conhecimentos de gestão suficientes ou simplesmente por não querer assumir sozinho os riscos de um empreendimento.

É bastante comum vincular a imagem de sócios às grandes corporações, mas a realidade do mercado é que essa figura está cada vez mais presente em todos os setores da economia.

E não seria diferente no sistema das redes de franquias. Se você está pensando em apostar nesse modelo de negócio, saiba que nele também é possível estabelecer uma sociedade.

Como funciona uma sociedade em franquia?

No modelo de franquias, existem, basicamente, duas categorias de sócios: o operador e o investidor. Eles podem ser facilmente diferenciados de acordo com as atribuições exercidas por cada um. Veja qual deles complementa suas carências:

Sócio operador

Para esta função, além do tempo disponível para se dedicar integralmente ao empreendimento, é preciso que a pessoa preencha algumas características, como apresentar um perfil empreendedor, entender a proposta da empresa, ter capacitação profissional etc. O que se busca são pessoas preparadas para tomar decisões, apontar soluções criativas, manter o padrão de qualidade na prestação do serviço.

Sócio investidor

A figura do sócio investidor está relacionada ao emprego de capital para colocar o negócio em funcionamento. Aquele que vai bancar os custos de toda a estrutura.

Adquirir uma franquia nos moldes de uma sociedade não é uma decisão exclusiva do franqueado. O franqueador examinará alguns requisitos a serem cumpridos, caso contrário, o direito de usarem a marca não será concedido.

A título de exemplo, da mesma maneira que o sócio operador tem que apresentar competência técnica, um sócio investidor que tenha embaraços com instituições financeiras jamais será aprovado.

Qual o retorno financeiro para quem é sócio de uma franquia?

A base da remuneração dos sócios de uma franquia é a participação nos lucros, distribuídos da forma que ficou estabelecida no contrato social.


Quero ser franqueado


Entretanto, aqueles que se encontram na qualidade de sócio operador também fazem jus a um pró-labore (uma espécie de remuneração pelo trabalho de administrar a franquia).

O que devo analisar antes de optar por ter um sócio?

A escolha do sócio não é uma tarefa simples, e ela pode ser determinante para o seu negócio prosperar. Por isso, antes de tomar qualquer decisão, é fundamental ponderar sobre algumas características e, assim, evitar dores de cabeça no futuro. Questione:

Qual a nossa afinidade?

Ter afinidade com alguém não significa concordar em todos os aspectos ou ser amigo íntimo, mas sim ter uma relação pautada no respeito, que propicie um ambiente de trabalho amistoso. Nenhuma sociedade sobrevive quando ocorrem muitos atritos de opinião ou em um clima de competitividade; é a união de esforços em prol de um bem comum que os fortalecerá para alcançar os resultados desejados.

Temos objetivos em comum?

O segundo ponto a ser considerado para que uma sociedade dê certo é se as partes envolvidas apresentam desígnios em comum. Deixe seus objetivos claros desde o início. Dessa forma, você evitará perder tempo com pessoas que não se enquadram nas suas metas.

Quem tem aspirações de crescimento, para expandir o empreendimento, não será compatível com um sócio que tenha ambições menores ou medo de correr riscos, que não somará para superarem os limites. Fatalmente, uma das partes vai acabar frustrando suas expectativas.

Seus princípios éticos são compatíveis com os meus?

Observe se os valores éticos do sócio são os mesmos que os seus, pois este pode ser um fator que gere muitos conflitos.

Uma parceria com alguém que só vise o lucro, sem estar preocupado em oferecer um serviço de qualidade, não tem como funcionar, se você preza por oferecer um atendimento de excelência aos seus clientes, por exemplo.

Temos habilidades diferentes?

No momento da escolha de um sócio, a decisão mais inteligente é priorizar as pessoas com um perfil diferente, aquele que complemente suas habilidades.

Por exemplo, você tem aptidão para fidelizar e conquistar os clientes, mas não leva jeito para negociar com fornecedores ou administrar os ativos e passivos da empresa, então, ter alguém competente em gestão financeira fortalecerá o seu time.

Dessa forma, as chances de o empreendimento ser bem-sucedido são muito maiores.

Meu candidato a sócio é uma pessoa comprometida?

Independentemente de qual seja a parcela de participação do sócio na empresa, ele deve estar engajado, disposto a se dedicar para vencer os obstáculos. Se sua participação foi investir capital, nada o impede de apresentar novos caminhos, estimular a criatividade, acompanhar como os recursos estão sendo empregados. Quanto maior o comprometimento dos membros, maiores serão as chances de sucesso.

Para realizar o seu desejo de investir na independência do próprio negócio, vale a pena buscar e avaliar todas as possibilidades, inclusive inovar nos modelos de parcerias, como no caso de sociedade em franquia, que pode ajudar, e muito, a efetivar o seu sonho.

Gostou do nosso post? Agora que você aprendeu um pouco sobre sociedade nas redes de franquias, aproveite para baixar gratuitamente o nosso e-book e descobrir como garantir o seu sucesso nesse tipo de empreendimento!

Como administrar e cerscer uma ranquia odontológica

Postado em 22/05/2017.


Compartilhe

Siga-nos no facebook

Siga-nos no Linkedin

Siga-nos no Linkedin