Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Tudo que você precisa saber sore Prótese Dentária Fixa



A ausência de um ou mais dentes que foram perdidos devido ao acometimento de doença na parte coronária, traumas ou que sofreram tratamento de canal com insucesso podem causar problemas de mastigação, de fala e estéticos. A prótese dentária fixa é uma excelente alternativa para suprir esse problema.

A prótese dentária fixa

A prótese dentária fixa é uma peça protética que é usada para repor elementos dentários perdidos podendo ser unitária (somente para um dente) ou parcial (quando une três ou mais dentes).

Com a reabilitação da cavidade bucal por uma peça protética, o paciente terá de volta sua fala, mastigação e seu sorriso estético.

Como funciona uma prótese dentária fixa

A prótese fixa não pode ser removida pelo paciente após ser instalada. Esta peça é confeccionada sobre um pino que esteja inserido na raiz do dente, ou colocada exercendo um apoio nos dentes que estejam ao redor, que servirão como suporte para ela.

Podemos observar um caso onde, em um dente que foi submetido a um tratamento de canal, o seu recobrimento coronário pode ser feito com uma prótese com o objetivo de prevenir a fratura do dente devido ao esforço da mastigação.

A prótese parcial que é formada por dois ou mais dentes, é indicada no caso da ausência ou da perda de um ou mais dentes, como substituição a eles.

Tratamento de canal:  é necessário para a instalação da prótese?

A realização do tratamento de canal, antes da colocação da prótese, depende de alguns fatores como: extensão da cárie, nível de comprometimento da polpa do dente, sensibilidade do dente, grau e extensão das restaurações preexistentes, remanescente de estrutura sadia, espaço necessário para a confecção e cimentação da prótese, entre outros.

O tratamento do canal realizado em dentes com cáries ou fraturas dificulta a sustentação de próteses fixas. Assim, o tratamento de canal só é indicado nesses casos quando um pino metálico é instalado para aumentar a resistência do dente e, em alguns casos, corrigir o mau posicionamento do mesmo.

Entretanto, existem casos em que é necessário fazer um retratamento do canal para maior fixação do pino protético em sustentação à prótese. Conheça algumas situações mais comuns em que é indicado o tratamento de canal para o uso de prótese.

Dentes com cárie e fraturados

As fraturas dentárias ocasionadas por traumas ou fragilidade proveniente de cáries podem expor o canal dentário em contato com o meio bucal, o que inviabiliza a colocação da prótese.

Dessa maneira, quando a exposição do canal for por um período superior a 30 dias, é recomendado o retratamento para o uso de próteses.

O Canal e sua extensão

O ideal é que o comprimento do canal termine ao final das raízes, mas nem sempre isso acontece. Nesses casos, o retratamento é indicado para que se consiga o comprimento necessário.

O comprimento inadequado, embora seja contra a norma, pode até ser suficiente para acabar com dores e inflamações, mas não é compatível com a instalação dos pinos protéticos, que proporcionam sustentação para as próteses.

Lesões X Canal

Realizando os exames radiológicos em pacientes, podem ser diagnosticadas lesões que afetem a saúde óssea, como é o caso de lesões inflamatórias crônicas, muitas vezes localizadas no ápice das raízes de dentes tratados anteriormente por canal.

Esses fatores devem ser levados em consideração antes da colocação da prótese fixa. Se houver a necessidade efetiva de ser realizado o tratamento de canal do dente e a prótese já estiver sido cimentada, ela deverá ser removida, o tratamento realizado e uma nova prótese deverá ser confeccionada.

Quando a prótese fixa não é indicada

Existem alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração e que estão por conta do profissional como, por exemplo, a avaliação dos princípios biomecânicos, que garantem a retenção, a resistência e a estabilidade.

As próteses unitárias, por exemplo, necessitam de uma estrutura do dente remanescente para que haja uma boa fixação.

No caso das parciais, é necessário ter dentes de suporte suficientes por serem essenciais para fixar a prótese. Assim, se o paciente possuir poucos dentes para servir de suporte, a prótese parcial ficará prejudicada e não é indicada, uma vez que existe o risco de ela não conseguir se fixar.

Como deve ser feita a limpeza da prótese fixa?

A prótese dentária fixa sendo confeccionada de metal ou de porcelana ainda está sujeita às cáries. O acúmulo de placa no encontro entre o dente e a gengiva ocorre da mesma forma como em um dente natural. Dessa maneira, os cuidados com a higiene bucal diária para os pacientes com prótese fixa devem ser os mesmos de uma dentição natural.

O uso de escovas especiais, como as interdentais, específicas para quem possui dentes muito unidos, e as de tufo, é indicado para que se possa fazer a higiene adequada entre a prótese e o dente de suporte, bem como o fio-dental ou fita-dental, que auxiliará na perfeita higienização da área inferior dos dentes unidos pelas próteses.

Esses cuidados são essenciais para prevenir problemas periodontais, como a periodontite e a gengivite, cárie secundária na região, bem como para prolongar a longevidade da prótese.

É importante, também, uma visita periódica ao dentista, no mínimo a cada seis meses, para exames de apuração clínica, profilaxia de rotina e exames radiológicos para avaliar a adaptação e a remoção de tártaro, se for o caso.

Tipos de próteses fixas

Podemos encontrar quatro tipos de prótese:

Prótese parcial fixa (nome popularmente chamado Ponte)

Caso tenha ocorrido a perda completa do dente, é utilizada a ponte para substituí-lo. Esta pode ser de três tipos:

Ponte tradicional

É o tipo mais comumente usados. É feita de cerâmica ou porcelana e metal. Em cada dente pilar é colocada uma coroa e o dente pôntico, no lugar daquele que falta, este pôntico está entre os dentes pilares.(https://www.minhavida.com.br)

Ponte cantilever

É utilizada quando só há dentes que podem servir como pilares de um lado do dente que falta, ou seja, o dente a ser reposto ficará suspenso com apoio apenas em um dos lados. Preparam-se os dentes pilares adjacentes uns aos outros e anexa-se o dente pôntico.(https://www.minhavida.com.br)

Prótese Adesiva

Este tipo de ponte é feito de uma estrutura de metal em que o dente pôntico (dente falso) é anexado ao metal ou porcelana cimentada nos dentes pilares. Este tipo de ponte é uma alternativa clássica à ponte tradicional.(https://www.minhavida.com.br)

Coroa

A coroa é utilizada para reabilitar um dente por inteiro ou somente uma parte danificada, sendo a prótese fixa mais utilizada. Ela pode ser confeccionada em cerâmica, porcelana e ainda outros materiais como acrílico, ligas de metal e ouro.


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Bloco

Quando existe a preservação da maior parte do dente, o bloco é eficiente para restaurar o elemento que falta. Eles podem ser confeccionados em porcelana e resina, por exemplo.

Prótese fixa sobre implante

Ela funciona da mesma maneira que a ponte ou a coroa. Porém, a prótese não é feita sobre o dente, mas sim sobre um implante dentário, sendo possível trocar dentaduras por prótese fixa de porcelana obtendo resultados sensivelmente superiores em relação à estética e durabilidade.

O tratamento pode ser efetuado apenas com a substituição por prótese de porcelana ou ainda um mais sofisticado que une a porcelana à zircônia, resultando em um visual estético marcante e irrepreensível.

 Materiais utilizados na confecção de próteses fixas

As próteses podem ser feitas de vários materiais e, dentre eles, os mais utilizados são metais com porcelana, porcelana pura e infraestrutura livre de metal.

Entre elas, a mais resistente é a de metal com porcelana por não sofrer alteração de cor com o passar do tempo, tem excelente durabilidade e é muito resistente ao desgaste.

As próteses de porcelana pura apresentam um melhor resultado estético, com grande translucidez, muito semelhantes às dos dentes naturais. Um ponto a ser destacado é que são muito mais resistentes, além de terem ótima durabilidade e não mudarem de cor com o tempo.

Já as confeccionadas em metal-resina, apesar de a estrutura ser metálica e extremamente durável, sofrem um maior desgaste com o tempo e apresentam uma leve alteração na cor.

Quanto tempo leva para colocar uma prótese dentária fixa?

O tratamento com esse tipo de restauração pode levar, em média, de 2 a 3 consultas.

Na primeira consulta, o dente é previamente preparado para receber a prótese. Para que o paciente não fique sem o dente, é colocado um provisório semelhante ao dente final.

Já na segunda consulta, é realizada a moldagem do dente e a confecção de um modelo do paciente que é encaminhado para o laboratório protético.

Na terceira consulta a prótese já está pronta para a cimentação. Porém, durante essa etapa, poderá haver a necessidade de alguns ajustes e, então, ela é encaminhada novamente para o laboratório para sanar o problema e poderá ser cimentada em uma eventual quarta consulta.

Existem casos que necessitam de uma reabilitação mais extensa, como aqueles em que mais de três ou quatro dentes receberão as próteses. Dessa maneira, mais consultas serão necessárias para a conclusão do tratamento.

É importante frisar que o número de consultas não deve ser primordial, mas sim a etapa de preparação, confecção, prova e cimentação da prótese, que devem ser feitas cuidadosamente.

Adaptação às próteses

É bastante corriqueiro que na fase de adaptação as pessoas sintam um leve desconforto. Isso ocorre em razão de um novo padrão mastigatório, mas que, aos poucos, tende a desaparecer.

O correto é que dentro do período de adaptação sejam evitados alimentos mais duros e seja feito um treino de dicção lendo livros, revistas, entre outros, em voz alta e na frente do espelho.

Entretanto, existem casos mais extremos em que a pessoa passou muitos anos sem os dentes e isso pode acarretar problemas na fala. O ideal é procurar por um fonoaudiólogo para iniciar um tratamento, com o objetivo de trabalhar os tônus e a postura muscular da língua, lábios e bochechas para que a adaptação seja mais fácil e rápida.

Durabilidade da prótese dentária fixa

A durabilidade de uma prótese depende de inúmeros fatores. E entre eles estão a experiência e a habilidade do cirurgião dentista, de seu conhecimento da especialidade protética, bem como nas etapas de preparo, moldagem e cimentação da prótese. Outro fator fundamental é a qualidade dos materiais utilizados na confecção da prótese pelo laboratório protético.

Fatores como a higiene bucal, cuidados com a gengiva, a frequência das consultas periódicas para a manutenção da prótese e dos tecidos que a apoiam também devem ser levados em consideração para garantir a durabilidade da prótese.

Podemos dizer, de uma maneira geral, que é indicado trocar as próteses unitárias, como as coroas, por exemplo, a cada oito anos. Já os pônticos protéticos (próteses dentárias unidas a dois ou mais dentes) a cada seis anos, para que a estética e a adaptação às gengivas sejam a melhor possível.

Levando-se em consideração todos esses fatores, a durabilidade de uma prótese, unitária ou parcial, é muito boa, podendo ser de, no mínimo, dez anos.

Prótese dentária fixa de porcelana: resultados estéticos x harmônicos e marcantes

O sucesso das próteses depende diretamente dos materiais odontológicos utilizados na sua confecção.

A prótese em porcelana é ideal para pessoas exigentes com a harmonia do sorriso e frequentemente é utilizada juntamente com lentes de contato dental e facetas laminadas, duas técnicas que realmente operam transformações marcantes no sorriso.

Uma das maiores vantagens das próteses em porcelana é a sua borda fina e delicada que realmente se assemelham aos dentes naturais. Mas não é somente isso. Veja outras de suas vantagens:

  • Podem ser combinadas com lentes de contato dental e facetas em porcelana;
  • Não escurecem gengivas e raízes dentárias;
  • Risco mínimo de problemas gengivais como inflamação e alergias;
  • Excelência estética para transformação do sorriso;
  • Não necessitam ser substituídas após a retração das gengivas.

Qual o preço médio de uma prótese dentária fixa?

O importante é inicialmente consultar um cirurgião dentista para que seja feita avaliação detalhadamente à necessidade do paciente e direcionado ao melhor tratamento para o problema do qual está sendo acometido.

 

Os preços de uma prótese fixa podem variar de acordo com a região do país, o material utilizado em sua confecção e o laboratório protético. Confira uma média de preços praticados nos últimos meses:

  • 1 coroa dentária fixa em porcelana: Aproximadamente R$ 1.060,00. Se houver a necessidade de fixação de um pino ou poste metálico na raiz, cujo valor é R$ 270,00, o preço total da coroa ficará em R$ 1.330,00;
  • Ponte dentária fixa de porcelana com 3 elementos (dois pilares e um dente suspenso) é utilizada quando ocorreu a perda total de 1 dente e seu valor é em torno de R$ 2.785,00;
  • Ponte dentária adesiva, utilizada em dentes da frente, tem um valor aproximado de R$ 1.359,00.

 

Postado em 09/04/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter