Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Saúde bucal do idoso: tudo que você precisa saber



1. Introdução

Experiência, boas histórias e boa companhia são algumas palavras que ajudam a definir o prazer que é estar com um idoso. Essas pessoas, que muito já fizeram por seus filhos, companheiros, amigos e pelo mundo, hoje precisam de alguns cuidados especiais, principalmente quando o assunto é saúde bucal na terceira idade.

Sejam idosos com dependência de cuidadores ou aqueles que estão saudáveis e que podem se cuidar sozinhos, é fato que a atenção com a boca deve ser maior, já que alguns problemas relacionados a essa parte do corpo são comuns quando chega essa fase da vida.

Neste e-book, você vai conhecer algumas dicas importantes de higiene bucal para as pessoas mais velhas, assim como entender mais sobre os cuidados necessários com a boca, as doenças mais comuns e como preveni-las. Acompanhe!

2. Como deve ser feita a higiene bucal do idoso?

Os cuidados básicos de higiene bucal devem, sem dúvida, ser mantidos por toda a vida. Porém, é importante que alguns fatores sejam levados em consideração quando se trata da saúde do idoso.

Abaixo, você confere algumas atitudes específicas e cuidados especiais para tomar na hora da higienização da boca dos mais velhos.

2.1 Higienização especial para quem tem diabetes

Algumas pesquisas apontam uma forte relação entre o diabetes – doença muito comum em idosos – e o aumento de doenças relacionadas à gengiva, como gengivite e periodontite. Isso acontece porque o diabetes deixa o corpo mais vulnerável à infecções, tirando sua resistência.

Os problemas na gengiva são sérios e podem destruir o tecido e os ossos, que sustentam os dentes, podendo causar até sua perda.

Além de controlar os níveis de glicose no sangue para prevenir esse tipo de problema, é muito importante escovar os dentes após cada refeição e passar fio dental, já que é ele quem vai retirar os resquícios de comida que a escova não alcança.

A comida parada na boca pode contribuir para a proliferação de bactérias, causando tártaro e placa bacteriana, dois agentes importantes no desenvolvimento das doenças gengivais.

2.2 Como cuidar dos dentes de pessoas dependentes

É realidade que alguns idosos precisam da ajuda de algum profissional ou da família para realizarem atividades corriqueiras, seja por incapacidades derivadas de doenças físicas ou mentais ou até por fraqueza, falta de equilíbrio e de coordenação motora, comuns depois de certa idade.

Para isso, o cuidador do idoso precisa se atentar quando o assunto é higiene bucal, já que ele é o responsável por manter sua boca saudável. Deve-se escovar os dentes sempre após as refeições da maneira adequada, deixando o idoso em uma posição confortável, de frente para a pia ou com uma bacia.

O cuidador deve se posicionar atrás do paciente e, sempre usando luvas, retirar próteses ou dentaduras, se houver. Caso contrário, deve posicionar a escova a um ângulo de 45º dos dentes e escová-los fazendo movimentos da gengiva para a ponta. Repita esses movimentos nas superfícies voltadas para as bochechas e depois na superfície interna.

Depois, escove a superfície de mastigação, com movimentos de vai e vem. Não se esqueça de escovar a língua, para remover as bactérias e auxiliar na manutenção do hálito.

Após a escovação, passe o fio dental. Enrole as pontas dos fios nos dedos e deixe livre aproximadamente 10 centímetros, segurando entre o indicador e o polegar. Assim, você tem mobilidade e segurança para passar o fio na boca do seu paciente sem perigo se escorregar.

Passe o fio ao redor da base de cada um dos dentes, movimentando-o de trás para frente, cuidando para chegar até o início da gengiva, mas atenção, não force a entrada contra a gengiva, vá até onde o dente permitir, para evitar machucados.

2.3 Como fazer a limpeza de próteses

Assim como os dentes, as próteses devem ser escovadas para evitar o acúmulo de comida e provocar o tártaro, causando problemas gengivais e outras doenças. No mercado, existem escovas especiais para higienização da prótese, que tem cerdas especialmente projetadas para se adaptarem ao seu formato.

O primeiro passo é enxaguar a prótese com bastante água para que os restos de alimentos possam se desprender. Depois, molhe a escova e aplique um limpador específico.

É importante sempre manter a dentadura úmida. Ou seja, quando não estiver dentro da boca, a mantenha imersa em uma solução limpadora ou com água pura e fresca. É importante nunca usar água quente, já que ela pode deformar a peça.

Quando surgir qualquer dúvida sobre a limpeza da prótese ou na manutenção da higiene da pessoa de quem você está cuidando, não hesite em procurar um dentista e esclarecê-las.

3. Quais os principais (e diferentes) cuidados na saúde bucal na terceira idade?

O idoso pode desenvolver determinadas doenças bucais com mais facilidade – que serão mais exploradas no tópico 4 – e, por isso, precisam de cuidados especiais. Neste ponto, você vai saber a que se atentar na hora de cuidar do sorriso de uma pessoa mais velha e manter sua saúde bucal em dia.

3.1 Idosos sem dentes também precisam de cuidados

Os cuidados com a higiene bucal vão além de cuidados dos dentes e próteses do idoso. Ao contrário do que se imagina, pessoas que não têm os dentes também precisam de cuidados para evitar o acúmulo de bactérias e o mau cheiro.

Para esses casos, a indicação é usar uma gaze embebida em água. Enrole-a no dedo indicador e, sem esfregar, mas com movimentos firmes, passe por toda a gengiva e interior da boca, sempre após as refeições. Se não quiser usar os dedos, a sugestão é envolver a gaze em uma espátula própria de madeira e realizar os movimentos da mesma maneira.

3.2 A sensibilidade pode ser maior na terceira idade

É preciso ficar atento e cuidar para que a sensibilidade não seja um desconforto para o idoso. Ela costuma aparecer mais na terceira idade, já que com o passar dos anos, a gengiva vai se deslocando para cima e consequentemente expõe a raiz do dente. Por ela não ter a proteção do esmalte, é aí onde a sensibilidade aparece.


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Não há nada que previna o aparecimento da sensibilidade, mas ela pode ser controlada por meio de cremes dentais específicos para quem sofre do problema. Se você é um cuidador ou um familiar e tem um idoso totalmente dependente, pergunte a ele sobre dores, se ele sente desconforto ao consumir determinados alimentos e use o produto adequado para suas necessidades.

3.3 Alguns cuidados especiais com a prótese

Além da higiene diária com a prótese, é preciso ficar de olho frequentemente no encaixe dela com a boca. Muitas vezes, o envelhecimento vem acompanhado da perda óssea, que podem diminuir ou alterar o formato da boca, deixando as próteses frouxas. Dessa forma, elas podem ficar desconfortáveis e até machucar.

Verifique na hora de colocar, no caso de idosos dependentes, se o encaixe da prótese está perfeito. Em caso de dúvidas ou de alguma folga, consulte um especialista.

3.4 A perda dos dentes

Chegar à terceira idade com o sorriso completo é totalmente possível, ao contrário do que muitos podem pensar. Apesar de grande parte dos idosos no Brasil e no mundo perder seus dentes gradativamente, os cuidados para mantê-los saudáveis podem prevenir isso.

A perda dos dentes em pessoas mais velhas pode acontecer por meio de cáries e problemas gengivais que, quando não tratados, comprometem a estrutura dentária e não permitem que os dentes continuem sendo sustentados.

Isso, em boa parte, acontece devido à perda de força gradual do idoso, fazendo com que ele higienize a boca de maneira mais suave e superficial. Outro motivo são as confusões mentais, que podem trazer a dúvida se a pessoa escovou os dentes ou não, esquecendo-se de fazer a limpeza. A diminuição da coordenação motora também atrapalha muito na escovação adequada.

3.5 Cuidados com o mau hálito

Além da higiene inadequada, outros motivos contribuem para que o mau hálito seja uma constante na vida do idoso. Boca seca, ficar muito tempo sem comer, doenças estomacais e até mesmo alguns medicamentos podem causar o mau cheiro vindo da boca.

Por isso, é essencial cuidar especialmente da boca do idoso, escovando os dentes corretamente, passando fio dental e realizando exames periódicos, que podem trazer a causa do mau hálito, já que nem sempre vem apenas de problemas bucais.

3.6 A qualidade de vida e a saúde bucal

Esses cuidados com a saúde do idoso são meios de tornar a qualidade de vida dessas pessoas melhor, fazendo com que ela viva normalmente a chamada melhor idade. Próteses e algumas doenças podem até fazer parte do cotidiano das pessoas mais velhas, mas isso não quer dizer que elas tenham que viver desconfortáveis.

Converse com o idoso, ouça suas reclamações e pergunte sempre se algo o está incomodando. A boca interfere diretamente em nossa autoestima e na saúde e, portanto, é um dos fatores que mais influenciam na qualidade de vida.

4. Problemas bucais no idoso: como prevenir?

Assim como a higiene e os cuidados especiais com a saúde bucal do idoso, também é importante saber quais são as doenças mais comuns nessa faixa etária e como tratá-las ou preveni-las. Acompanhe abaixo e fique por dentro!

4.1 Xerostomia (boca seca)

Conhecida como boca seca, a xerostomia pode estar relacionada a outras doenças ou pode ser o efeito colateral do uso prolongados de medicamentos, normalmente anti-histamínicos, relaxantes musculares, medicação para incontinência urinária, antidepressivos e outros.

A falta de saliva dentro da boca pode irritar os tecidos, favorecendo a inflamação e a infecção. Além disso, a ação limpadora da saliva também pode prejudicar os dentes, colaborando na proliferação das cáries. A boca também pode causar dor de garganta, dificuldade para falar e engolir, sensação de queimação e rouquidão.

Para prevenir a boca seca, é importante estimular o fluxo salivar com balas e chicletes sem açúcar e, se for recomendado pelo dentista, umidificar a região com um produto específico.

4.2 Candidíase

A candidíase bucal é causada por fungos que se proliferam rapidamente dentro da boca. É frequente em idosos que utilizam aparelhos de inalação, ingerem antibióticos por longo período, portadores de diabetes ou que tenham alguma doença que ataca o sistema imunológico.

Os sintomas da candidíase oral são pontos brancos na boca e língua, sensação de desconforto, dificuldade para engolir, rachaduras no canto da boca e dor de garganta. É importante que, assim que apareçam os sintomas, procurar um profissional da área da odontologia, pois se não tratada, a infecção causada pelo fungo pode ir para a corrente sanguínea e causar problemas mais sérios.

Normalmente, são prescritos remédios administrados por via oral, antimicóticos e pomadas antifúngicas.

4.3 Leucoplasia

A leucoplasia é caracterizada por uma mancha branca ou cinza, que aparece na parte interna da boca, na bochecha. É uma patologia muito comum em idosos, que pode ser causada por dentaduras mal ajustadas, irritação em dentes irregulares, tabagismo e doenças autoimunes.

Normalmente, a leucoplasia é inofensiva, mas deve ser tratada se causa desconforto ao paciente. Para curá-la, é possível remover a mancha, ajustar os dentes ou prótese mal encaixada ou até mesmo realizar um tratamento junto a um fonoaudiólogo, para posicionamento correto da arcada durante a fala.

4.4 Câncer bucal

Apesar de não ter idade, o câncer frequentemente acomete pessoas acima dos 40 anos. Além da idade, outros fatores de risco são o tabagismo, consumo de álcool elevado e frequente, exposição intensa a luz solar sem proteção, próteses mal adaptadas que podem machucar o tecido da boca e desnutrição.

É importante verificar a boca do idoso constantemente e notar qualquer sinal de mudança na cor, espessura ou formato nessa região. É possível realizar o diagnóstico em sua fase inicial e tratar da maneira adequada, conforme orientação médica.

Alguns hábitos podem ajudar na prevenção do câncer, como evitar fumar e ingerir bebidas alcoólicas em excesso, ter uma alimentação saudável, evitar a exposição prolongada a raios solares sem a proteção devida, manter a higiene bucal e consultar um dentista regularmente.

5. Conclusão

A saúde bucal na terceira idade tem suas peculiaridades. Porém, se houver a higiene adequada, informação suficiente para entender sobre as doenças e complicações que podem acontecer nessa fase da vida e o que fazer para tratar ou prevenir esses problemas, cuidar da boca pode ser mais fácil do que se imagina.

Postado em 23/03/2020.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter