Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Expansor Palatino



Com o desenvolvimento da odontologia,  o uso de aparelhos ortodônticos na população adulta aumentou. Há alguns anos atrás, o uso era mais frequente em crianças e adolescentes. Por isso, poucas pessoas conhecem o que é o expansor palatino.

Você sabe o que é um expansor palatino e suas funções?

Preparamos com muito carinho uma leitura especial para você poder entender e esclarecer algumas dúvidas deste assunto em ortodontia. Boa Leitura!

 

E o que é um expansor palatino?

O disjuntor ou expansor palatino é um aparelho fixo usado na correção da má oclusão em ortodontia. Este aparelho possibilita a correção de um distúrbio que ocorre com relativa frequência em crianças, jovens e adultos. Este distúrbio, conhecido pelo fato de ser um crescimento uniforme do osso levando a uma má oclusão, se dá no palato estreito ou palato ogival, que é caracterizado por ser mais estreito que o normal e também ter uma forma abobadada.

Uma das causas que ocasiona esse problema pode ser o hábito de sugar o dedo ou o uso prolongado da chupeta. Outra causa apontada é o fato de se respirar pela boca, podendo também, se relacionar com esse desvio da normalidade.

A ortodontia aplicada neste casos, é um aparelho que é fixado nos molares superiores posteriores, preso ao palato, sendo uma peça de metal com dois componentes simétricos. Estes exercem uma força lateral e oposta, permitindo que o ortodontista aumente gradualmente para atingir expansão da abertura do palato e ao mesmo tempo, adquirir sua curvatura normal.

Precisamos nos atentar que, no caso de um tratamento sendo uma paciente criança, ainda estará em fase de crescimento, o que permite ao ortodontista movimentos ósseos onde poderá moldar a estrutura óssea da boca e especificamente a do palato com mais facilidade, atingindo melhores resultados.

O expansor palatino deve ser usado por um período de sete meses a um ano para atingir a configuração normal do palato. Este não causa grande desconforto, embora algumas pessoas relatam dificuldades.

Durante as primeiras semanas, alguns pacientes relatam ter alguma dificuldade em falar, realizar a mastigação e ingestão de alimentos. No entanto, em pouco tempo, o paciente já se acostuma e faz suas atividades normalmente.

 

Expansor palatino móvel

O expansor palatino móvel é constituído por uma estrutura de acrílico transparente e aço inoxidável. O aparelho envolve os primeiros molares permanentes, os molares decíduos e as cúspides primárias com o acrílico palatino e um mecanismo de expansão na linha média do palato (céu da boca).

 

Sua Função 

O aparelho é usado para expansão lenta e cuidadosamente a maxila superior. Este aparelho  exerce pressão lateral nas duas metades da maxila (parte superior da boca) em pacientes onde esta se apresenta estreita e restrita à expansão. 

Com o uso correto do aparelho, depois de orientado por um profissional odontológico, ou seja ortodontista,  o osso cresce no meio do palato e sendo assim, a maxila constrita consegue atingir a largura adequada para melhorar a mordida. Expandir a maxila também pode ajudar a criar espaço para o apontamento dos dentes permanentes e a melhora da respiração nasal.

 

Instruções gerais

É recomendado evitar doces e gomas pegajosas enquanto estiver com o aparelho na boca.

Os pacientes são orientados a limpar o aparelho com escova e pasta de dentes, todos os dias, de 2 a 3 vezes ao dia. Se o expansor palatino precisar de uma limpeza mais profunda, o sabão antibacteriano e a água morna podem ajudar. Em seguida, é completada com uma limpeza com pasta de dente.

Os bochechos poderão ocorrer com água em temperatura ambiente, pois em temperaturas mais altas deve ser evitada para que não haja distorção do acrílico. O aparelho precisa ser usado ao comer e removido para limpeza, após a conclusão de cada refeição ou lanche.

Após a instalação do aparelho neste primeiro estágio, pode haver alguma obstrução da língua, mas a fala voltará ao normal em apenas alguns dias.

Os dentes, em contato direto com o aparelho, podem ficar doloridos por um dia ou dois, após um ajuste. O ortodontista poderá indicar quais medicamentos devem ser usados para cada caso, porém o uso de medicamentos anti-inflamatórios não esteroides podem ser úteis, se necessário.

Os pacientes poderão sentir uma pressão na parte interna do nariz durante um ajuste, à medida que a maxila se alarga.

 

Mecanismo e anatomia da expansão

O palato ósseo é formado pela união do palato direito e esquerdo. Sendo assim, o processo palatino dá-se da maxila superior direita com o da esquerda. Os palatos, esquerdo e direito, unem-se no centro formando a sutura mesiopalatina, que vai da frente para trás da cavidade bucal. Esta sutura ou união, em crianças, ainda é cartilagem, ou seja, o osso não foi formado. Nos adolescentes começa a ossificar, mas aos 25 anos ainda tem 5% de ossificação.

Quando a sutura ainda é macia, ela pode ser quebrada e aberta, alargando o palato. Como esse processo é feito lentamente, a mucosa que envolve o osso se adapta sem se rasgar.

 

Tipos de expansão palatal

A expansão pode ser de dois tipos: lenta e rápida. Há também a assistida cirurgicamente, mas não vamos entrar nesse ponto nesta leitura.

 

Expansor palatino lento (removível)


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


É feito com um dispositivo de resina removível – expansor palatino – que é colocado no palato. É uma placa de resina rosa (embora também possa ser de outra cor) de 1 mm de espessura e dividida em duas pelo centro, de frente para trás e, repousando em todo o palato.

Tem um parafuso central que gira. Suas duas partes vão sendo separadas e o dispositivo vai se expandindo. Cada ativação é de ¼ de volta.

O aparelho é removido para alimentação e, quando inserido no palato, é mantido na boca com fios flexíveis que circundam os molares. Embora abra a sutura mesiopalatina, parte da expansão deve-se à inclinação dos molares para fora.

Tem a desvantagem de, ao tirá-lo facilmente, ser necessária a cooperação do paciente. E no caso de crianças e adolescentes, você tem que estar muito atento a eles para que os coloquem sempre e não o percam. Às vezes, eles tiram para comer e depois se esquecem de fazer a recolocação, atrasando, assim, o tratamento.

 

Expansor palatino rápido (móvel)

O aparelho se apresenta com uma  placa de resina de 2 mm de espessura, que repousa em todo o palato, dirigindo -se para a superfície mastigatória dos pré-molares e molares, terminando na face externa dos elementos dentários onde essas peças vão ser fixadas.

Apresenta uma aderência especial aos dentes. Tem um parafuso central incrustado na resina que, ao girá-lo, separa as duas metades do aparelho. Isso as torna mais largas e, assim, expandem o palato, desencadeando uma pressão para o crescimento ósseo.

Uma ativação diária (que é um quarto de volta no parafuso incrustado no centro do aparelho) é feita e o dispositivo se expande em ¼ mm, desencadeando assim o crescimento do osso do palato.  Essa expansão se faz necessária para descruzar a mordida e consertar a má oclusão. A expansão de 4 mm ou 5 mm, isto é, 16 ou 20 ativações, é muito frequente, mas quem deverá indicar essas ativações é o dentista.

O paciente pode comer com ele, não sendo necessário tirá-lo. O aparelho não permite com que haja contato de cúspides superiores com inferiores, sendo assim, não ficam presos entre eles e o descruzamento é mais fácil.

 

Vantagens da rápida expansão

Os estudos relacionados à expansão da maxila comprovam que uma expansão rápida produz mais alterações ósseas esqueléticas. Esse crescimento é observado além da expansão do palato, também ocorre a expansão das paredes laterais das fossas nasais, melhorando a respiração. Isto porque o palato ou céu da boca é composto de uma parede que delimita o assoalho da cavidade nasal.

A expansão rápida descruza a mordida de forma mais eficaz e produz menos inclinação dos dentes. Além disso, se o expansor palatino rápido for usado em conjunto com o dispositivo extra oral acomodados do lado externo da boca para auxiliar nesta movimentação, irá  avançar a maxila e mandíbula, sendo esse avanço mais efetivo.

Isso é usado em casos de classe esquelética II e III. Pode ser usado quando a mandíbula está para frente e proeminente em relação à maxila (máscara facial de Petit) e quando a maxila está projetada para a frente (Arco extraoral). A maxila superior é mais estreita quando apresenta mordida cruzada, desencadeando assim um crescimento atrasado em relação ao resto da face. 

 

Aparelho para o palato: fases de tratamento

Quando pensamos em tratar os dentes, pensamos em confiança e então, pensamos na Clínica Sorridents, que é uma clínica diferenciada com profissionais especialistas no assunto, quando falamos em odontologia. O profissional da Sorridents especialista neste assunto, o ortodontista responsável, irá explicar o passo a passo do que será feito em sua boca.

O tratamento pode ser dividido em várias etapas ou sequências, que são:

       

  • Consulta inicial com apresentação do dentista ao paciente, solicitação de exames radiográficos (documentação ortodôntica) e uma anamnese para entender as causas e como podem ser resolvidas;
  • Projeto e criação: consiste em tomar as medidas corretas da região oral do paciente. Para isso, há um software específico para projetar e depois desenvolver o dispositivo para abrir o palato;
  • Adaptação e colocação: após a confecção, é o momento certo para o ortodontista adaptá-lo ao paciente. Recomenda-se que o profissional explique e informe claramente ao paciente sobre seu uso e posicionamento;
  • Tratamento: o tempo estimado para o tratamento dependerá de cada paciente. Em cada caso, os meses aproximados da duração devem ser indicados desde o início. A vantagem é que, entre 15 e 20 dias, os resultados já podem ser vistos.

Como ativar o aparelho expansor palatino

O profissional que é responsável pelo seu tratamento irá repassar todas as informações e instruí-lo sobre quando e como ajustar seu expansor. Quando atingir a expansão desejada, você usará o aparelho por vários meses para solidificar a expansão e evitar a regressão.

Apertando o expansor palatino – passo a passo

  1. Em uma área bem iluminada, incline a cabeça para trás;
  2. Coloque a chave no buraco até que esteja firmemente no lugar;
  3. Quando você empurrar a chave em direção à parte de trás da boca, notará que a pecinha central girará e o novo buraco aparecerá. A rotação deve parar quando a chave encontrar a parte de trás do expansor;
  4. Empurrando para trás e para baixo em direção à língua, remova a chave. O próximo furo para inserção da chave agora deve estar visível.

Pronto! Esses são passos simples e fáceis do próprio paciente executar o aperto do  expansor palatino corretamente.

É possível usar expansor palatino e aparelho fixo ao mesmo tempo?

Sim, é plenamente possível usar o expansor palatino e o aparelho fixo ao mesmo tempo. No entanto, isso deverá ser avaliado pelo ortodontista e só poderá ocorrer após o período da ativação e travamento do aparelho, então será montado o aparelho fixo nos elementos dentários.

Alguns ortodontistas entram em desacordo neste sentido, pois alguns deles acreditam ser melhor aguardar cerca de quatro meses da contenção e, só depois, colocar o aparelho ortodôntico fixo. Outros já trabalham em paralelo com o aparelho fixo instalado, sendo assim, vai ser avaliado por cada profissional e a técnica escolhida.

De todo modo, a palavra final ficará mesmo por conta do profissional que está acompanhando o tratamento desde o início.

Que tal você entrar em contato conosco por meio de um dos nossos canais de atendimento e agendar uma visita? Você poderá tirar todas as suas dúvidas sobre o expansor palatino com um de nossos profissionais ortodontistas especializados. Não perca mais tempo e venha sorrir com a Sorridents!

 

Postado em 07/08/2019.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter