Agende a sua avaliação
Ou agende pelos telefones (11) 2672-5700 - Estado de SP 0800 601 1520 - Demais estados

Agende a sua avaliação de forma rápida e fácil

Agende a sua avaliação

Enxerto ósseo



Você sabe o que é um enxerto ósseo? Sabe para que tipos de tratamentos ele é indicado? Ou, então, você precisa fazer um enxerto, mas ainda tem dúvidas sobre o procedimento? Então não deixe de seguir o nosso artigo de hoje.

Hoje, trouxemos informações importantes acerca do enxerto ósseo a fim de lhe manter por dentro deste assunto. Assim, você terá mais respaldo e propriedade quando ele for indicado pelo seu dentista.

Este tipo de tratamento vai além de questões estéticas, a maioria das indicações feitas por que o dentista visa recuperar estruturas que tiveram grandes danos na arcada dentária e/ou necessário realizar correção da função mastigatória. Trata-se de uma cirurgia que, embora simples, requer dedicação do paciente para ter um resultado satisfatório.

Porém, estamos aqui para te ajudar a compreender mais sobre as etapas e as possibilidades deste tipo de tratamento e, assim, te preparar mais para este momento.

 

O que é um enxerto ósseo?

Em linhas gerais, o enxerto nada mais é do que um “preenchimento”de osso nas estruturas da maxila ou da mandíbula, para deixá-la mais forte, espessa  e preparada para outros tratamentos, como é no caso do implante dentário. 

 

No caso do implante, quando o osso da mandíbula ou da maxila é muito fino, ou raso, tendo assim uma estrutura frágil, não é possível realizar o procedimento sem antes fazer o enxerto ósseo. Uma vez que ele consiste em, primeiramente, colocar um pino metálico no osso do maxilar ou mandibular, contemplando a função da raiz do dente. Para isso é necessário que a região esteja em bom estado e que o pino tenha uma estrutura sólida para ser fixado. Em seguida, a coroa é posicionada sobre este pino, formando o implante do dente artificial propriamente dito.

Agora para o procedimento do enxerto ósseo, o cirurgião tirará um pequeno pedaço de osso de outra região do corpo do paciente, ou então usará o enxerto sintético. Ele “preencherá” a região da mandíbula ou da maxila, a fim de fortalecê-la para o recebimento do pino para o implante.

Dessa forma, é possível que você tenha que esperar por alguns mese, cerca de 6 a 8 meses,  para que o enxerto crie um osso forte e capaz de dar sustentação ao pino do implante. Este período de tempo é essencial para garantir que o osso fique estável e seguro.

Dependendo do quadro, é possível que apenas um enxerto pequeno seja solicitado. E, nestes casos, muitas vezes é possível fazer o implante no mesmo procedimento. Porém, esta decisão deverá ser tomada pelo cirurgião dentista após a avaliação clínica do caso em questão.

Tipos de enxerto ósseo

Existem três tipos de enxerto ósseo, cada qual com suas especificidades e indicações. Conheça cada um deles:

1. Enxerto autógeno

Este tipo de enxerto diz respeito ao fato de se extrair uma parte de um osso do próprio paciente.

A cirurgia é bem simples e feita a partir de uma anestesia apenas local. É a mesma anestesia que costumeiramente usa-se na extração do siso, por exemplo.

Este procedimento é feito no próprio consultório dentário, mas, caso ele seja maior ou mais detalhado, precisará ser feito em um hospital, com o uso da anestesia geral.

Nestes casos, o enxerto poderá ser extraído da bacia, da calota craniana ou da tíbia. Este tipo de enxerto é o mais recomendado, uma vez que o mesmo é gratuito (afinal, é extraído do próprio paciente), é quase impossível que haja rejeição e tem um grande potencial de formar um novo osso forte e saudável, devido ao fato do material ser genético.

2. Enxerto alógeno

Estes tipos de enxertos são doados por outra pessoa (familiares e conhecidos, por exemplo). Neste caso, uma grande parte da proteína que estimula a formação dos nossos ossos (a proteína óssea morfogenética) acaba sendo destruída. Por essa razão, este tipo de enxerto acaba perdendo um pouco o seu grande potencial para se desenvolver.

Dessa maneira, ele funcionará como uma espécie de “direcionador”, a partir de um tipo de estrutura que servirá como um guia para a formação óssea do paciente.

Este procedimento requer testes prévios com o material que será coletado para ser feito o enxerto. Afinal, é preciso se certificar e verificar que a pessoa que doar o material não apresentava nenhum tipo de doença contagiosa, cumprindo com o procedimento que já acontece em qualquer doação de órgãos, por exemplo.

3. Enxerto xenógeno

Por fim, temos o tipo de enxerto conhecido como xenógeno. Estes enxertos são extraídos de outra espécie, sendo que o mais popular é o de origem bovina.

Inicialmente, havia-se criado o tabu de que este tipo de procedimento poderia disseminar a conhecida “doença da vaca louca”, mas, é claro que este tipo de efeito é praticamente impossível. O importante é sempre conversar e tirar todas as dúvidas com profissionais em uma clínica qualificada e de confiança, como a Sorridents.

Enxerto sintético

Além das opções que citamos, temos ainda outra opção para o procedimento de enxerto ósseo, que é o uso do enxerto sintético. Este tipo de enxerto é produzido em laboratório, a partir de materiais como hidroxiapatita sintética, polímero e cerâmica. Conta ainda com pequenas quantidades de outros materiais, que visam estabelecer uma estrutura consistente e firme para o enxerto.


Agende sua avaliação

Se preferir, agende por Telefone: 0800 601 1520


Nestes casos, pequenos fragmentos deste material são colocados na base óssea do paciente. Assim, passado o período recomendado (que varia em cada caso), este enxerto é absorvido pelo osso. Dessa forma, cria-se uma estrutura mais segura e estável para a colocação dos implantes.

Qual a vantagem do enxerto sintético?

Diferente das outras opções de enxerto, o paciente terá a vantagem de ser apenas uma ferida cirúrgica.

Não haverá a necessidade de intervir cirurgicamente, removendo a proteína que induz a formação do osso, de outra parte do corpo do paciente, bem como não será necessária a doação desse material, ou a extração de origem animal.

Assim, a recuperação é mais facilitada, uma vez que se diminuem as chances de infecções, pois este é feito para todos os organismo sem contra indicação, pois haverá apenas uma ferida cirúrgica requerendo cuidados essenciais.

Qual a desvantagem deste tipo de enxerto?

Em contrapartida, podemos lidar com a desvantagem deste tipo de enxerto provocar rejeição. Afinal, quando utilizamos material do próprio paciente, é praticamente impossível que isso venha a acontecer.

Mas, no caso de um material sintético, o corpo poderá não se adaptar da melhor forma possível. Porém, as chances são baixas e vale salientarmos que a ciência está a cada dia mais avançada neste quesito e, assim, são raros os casos onde há este tipo de rejeição.

Complicações causadas pelo enxerto ósseo

Se você está precisando de um enxerto ósseo, mas ainda tem dúvidas acerca dos pontos positivos e negativos do tratamento, conhecer as possíveis complicações pode ser uma alternativa. Lembrando ainda que estas complicações costumam ocorrer em casos onde encontramos pré-disposições no paciente. Por exemplo:

  • Pessoas que fumam;
  • Pessoas com diabetes;
  • Pessoas que sofram com a periodontite;
  • pessoas com cancer ou que fizeram tratamento para cancer
  • Pessoas que apresentam uma má higiene bucal.

Quanto às possíveis complicações, podemos destacar:

1. Perda óssea em torno do implante

A perda óssea é uma das possíveis complicações do enxerto. Isso pode ocorrer por diversos fatores, incluindo os hábitos que citamos no grupo de “risco” acima.

Para que seja evitado este tipo de quadro, é muito importante que o paciente respeite os retornos e todos os check-ups necessários. Assim, o dentista poderá detectar a probabilidade do problema, tratando-o corretamente.

2. Infecções

De maneira geral, as infecções causadas pós-cirurgia aparecem a partir de uma má higiene oral. Mas, além disso, nos casos onde o enxerto é autógeno, dependendo dos cuidados do paciente, pode desencadear infecções até mesmo nesta outra área do corpo.

Dessa forma, para que este tipo de complicação não ocorra, é primordial que o paciente considere as recomendações do dentista. Se houver a necessidade de medicamentos por um período de tempo, não pare o tratamento antes do recomendado.

É preciso deixar o seu corpo “preparado” para o desenvolvimento saudável do enxerto. Se não houver os cuidados necessários, como no caso da higiene, é possível que você leve mais tempo para fazer o seu implante. Afinal, a região precisa estar saudável e segura para o procedimento ser efetivado.

Além disso, se você já  sofre com alguma doença periodontal, é essencial que você siga um programa de prevenção, estipulado pelo cirurgião e aguardar o momento certo para realizar a cirurgia . Momento este que seu dentista vai te falar assim que a sua saúde bucal estiver favorável.  Além, é claro, de manter a higiene oral adequada.

3. Fratura

Este tipo de complicação é rara, uma vez que requer de hábitos específicos para que ocorra – por exemplo, em quadros onde o paciente apresenta a doença do bruxismo. Assim, a estrutura não conta com a recuperação necessária para se fortalecer e criar um osso forte e seguro.

Logo, com o atrito do bruxismo (ou outros hábitos parafuncionais) a estrutura poderá ficar comprometida e, consequentemente, surgirão as fraturas.Para esses casos o dentista deve ser consultado e avaliar com detalhes e cuidados para ver se poderá realizar o enxerto. 

Riscos do procedimento

Quando feito em uma clínica qualificada para tal procedimento, o enxerto não apresenta nenhum risco a saúde do paciente. Ou seja, é indicado para qualquer idade e pessoa , desde que, obviamente, a condição de saúde do paciente seja avaliada pelo dentista.  Então, a partir dessa avaliação, é necessário que seja feito um plano de prevenção, bem como as recomendações da pós-cirurgia.

Porém, de modo geral, não há nenhum tipo de risco apresentado pela cirurgia. Pacientes com diabetes, fumantes e todos os outros que apresentam mais pré-disposição a complicações podem fazer o enxerto ósseo após avaliação e aprovação dos seus médicos e dentistas. Mas, como mencionamos, é muito importante que cada caso seja avaliado de forma única, a fim de preparar o paciente da melhor forma possível.

Quais são os cuidados essenciais pós-cirurgia?

De acordo com profissionais da área, o pós-cirúrgico requer cuidados muito importantes para garantir a efetividade do tratamento. Quando não são levadas em conta as considerações e recomendações do dentista, o risco de complicações é imenso. Portanto, atente-se às dicas essenciais e importantes e não se esqueça de questionar o seu dentista para ter informações mais qualificadas para o seu caso em específico, a fim de ter sucesso garantido no seu enxerto.

  • O repouso é importante e fundamental . É crucial que você não se esforce ou pratique esportes por, pelo menos, 24 horas. Este é o período essencial para a recuperação se iniciar de modo eficiente;
  • Não tome sol pelo período recomendado pelo seu cirurgião;
  • Não fume ou beba bebidas alcoólicas durante a recuperação;
  • Eleve a sua cabeça na hora de dormir. Tente não deixá-la muito abaixada, evitando este movimento;
  • Ingira alimentos pastosos, e que sejam gelados. Os líquidos são ótimas opções também. Sorvetes e sucos serão os seus aliados nas primeira 24 horas;
  • Não faça pressão interna em sua boca por pelo menos 72 horas após o procedimento;
  • Não sugue líquidos por canudo;
  • Não faça bochecho e nem cuspa. No momento da higiene bucal, mexa a cabeça de um lado para o outro, a fim de enxaguar a boca. Na hora de cuspir, permita que a água saia sem esforço, apenas abrindo a boca e inclinando a cabeça para frente;
  • Fale apenas o necessário;
  • Faça compressas de gelo por 4 horas. Isso amenizará os hematomas;
  • Escove os dentes. Porém, na área operada, faça movimentos lentos e com muita cautela limpe a região com cotonete ou mesmo gaze;
  • Use a medicação prescrita corretamente. Não quebre com o tratamento apenas por “achar” que já está cicatrizada a região;
  • Retorne ao seu dentista para um check-up periódico.

Procure uma clínica de confiança

A colocação do enxerto ósseo, independente do tipo escolhido, é um procedimento de cunho cirúrgico. É muito importante que realizado em um local qualificado, além de ser importante que você conheça e tenha confiança antes de se engajar ao tratamento. Lembre-se de sempre questionar todas as suas dúvidas a fim de ter o melhor resultado possível. Para esse procedimento você pode contar com a Sorridents, agende hoje mesmo sua avaliação. 

 

 

Postado em 20/01/2020.


Compartilhe

Siga-nos no twitter

Siga-nos no twitter